Bebê sai caro, mas compensa!

Saiba como se organizar de forma a enfrentar as despesas de um filho, antes e depois de nascer.

0
287

Papais de primeira viagem, será que estão preparados para enfrentar as despesas do primeiro filho? O melhor é começar poupando logo desde o início.

De acordo com a especialista Anemarie Dalchau Müller, um casal de classe média gasta em média R$ 450 mensais em despesas relacionadas com o bebê.

Ter bebê sai caro, especialmente nos primeiros 12 meses

Durante o primeiro ano, os custos relativos a um bebê são mais elevados, e podem deixar alguns pais assustados. A conta em fralda é grande, e algumas crianças têm necessidades especiais de alimentação, que pensam bastante nessa equação.

Para que melhor possam lidar com essa facada no orçamento, a professora Jani Floriano, especialista em economia doméstica, recomenda que as contam sejam feitas desde o momento em que a gravidez é dada como certa. Tirem umas horinhas e elaborem listagens das despesas obrigatórias e as não obrigatórias. Chamem seus amigos e familiares que foram pais recentemente, para que melhor possam perceber as rotinas e os custos de que não vão poder fugir.

Despesas para toda a vida

Parece que estamos falando de um aluguél, ou de uma prestação de um automóvel, que tem de ser paga todo o mês. E não é que de certa forma é isso mesmo? Um filho é um compromisso para a toda a vida e desde o momento em que sabemos da sua existência é tempo de começar pensando em seu futuro. Vai querer colocar ele em colégio privado? Vai querer que ele siga seus estudos e faça faculdade? Essas coisas são muito caras. Por isso o melhor mesmo é começar a colocar algum dinheirinho numa conta poupança. Até porque nunca se sabe que surpresas poderá o futuro reservar. E o seguro morreu de velho!

Saber poupar não custa!

Saiba como pode economizar nesse momento de grande despesas. Siga essas 8 dicas!

1. Economizar nessa fase pode até ser bastante simples. Quantos amigos e familiares tem que foram pais? Peça conselho! Tente verificar o que é realmente indispensável e dispense o acessório.

2. Elabore listas! Atribua as quantidades do que vai necessitar em cada fase da vida do bebê. Desse jeito será mais fácil evitar gastos supérfluos.

3. Para quando está previsto o nascimento? Qual será a temperatura, que tipo de roupinha é que o bebê vai precisar? Tem amigos e familiares que podem dar roupinha que já deixou de servir em outros bebês? Aproveite, ora! Eles crescerão rápido e mal vão ter tempo para usar! Para que as roupas durem mais tempo, recomendamos a lavagem manual. Pode ser mais chatinho, mas vai acabar por ser mais econômico.

4. Opte por móveis neutros para decorar o quartinho do bebê. Assim eles poderão acompanhar o seu crescimento. Decore com pormenores mais adequados, que possam ser trocados mais tarde.

5. Recomendamos poupança em tudo, menos em artigos que sirvam para assegurar a segurança do seu bebê. Vai comprar uma cadeirinha usada? Tudo bem, mas verifique está tudo funcionando corretamente.

6. Tanta coisa tão bonitinha relacionada com bebê espalhada por todo lado! Dá vontade de comprar tudo, verdade? Para controlar melhor seus impulsos, imponha um limite de gastos mensais.

7. Comece o estoque de fralda antes de o bebê nascer. Aproveite a promoção! Principalmente de tamanhos M e G, que serão os mais utilizados.

8. Soube que está esperando o bebê? Parabéns! E que tal iniciar uma poupança? Coloque algum dinheiro nela, que se irá revelar muito útil quer para emergências quer para garantir o futuro da criança.

Antes do nascimento do bebê

Esses items deverá comprar com antecipação, para que já estejam à sua disposição quando o bebê nascer. Com sorte, muitos desses artigos ganhará de presente.

  • Berço: do mais barato ao mais caro, irá gastar entre R$ 200 e R$ 800.
  • Kit para berço: jogo de lençol, edredom, laterais e cabeceiras. Poderá chegar nos R$ 300.
  • Colchão: poderá chegar nos R$ 300, mas pode encontrar opções mais econômicas a partir de R$ 70.
  • Travesseiro: até R$ 60.
  • Abajur: R$ 20.
  • Cômoda: com R$ 300 assegura uma cômoda para guardar os pertences do seu bebê.
  • Roupeiro: R$ 700.
  • Poltrona para alimentação: R$ 300.
  • Trocador com banheira: R$ 150.
  • Toalha de banho: no mínimo R$ 15, no máximo R$ 45.
  • Carrinho: varia entre R$ 270 a R$ 2 mil.
  • Sacola para a maternidade: no mínimo R$ 70.
  • Babá eletrônica: R$ 130.

O truque é ir repartindo essas despesas ao longo do período de gestação e, claro, procurar lugares que vendam esses produtos em segunda mão. Confira se vale mesmo a pena comprar algo tão caro, que será usado por tão pouquinho tempo!

Depois do nascimento do bebê

Fraldas:

Sabe quantas fraldas por dia irá gastar por dia? Em média, 5! Mensalmente, tendo em conta que cada pacote de 36 unidades tem o custo de R$ 20, você irá gastar cerca de R$ 140.

Artigos de higiene:

Use seus dotes de pesquisa e procure bem pela internet até encontrar o melhor preço. Em média, tudo o que você vai precisar pode não ultrapassar os R$ 50. Vai precisar de creme para as assaduras (R$ 10) e lenços umedecidos (R$ 3,70, com cerca de 60 unidades) para a muda da fralda. Para o banho irá necessitar de sabonete líquido neutro (R$ 7) e xampú neutro (R$ 7). Não esqueça algodão (R$ 2), álcool 70% (R$ 1,30) e cotonetes (R$ 2).

Alimentação:

Enquanto o bebê puder ser amamentado esse parâmetro vai pesar pouco nas contas. Porém, caso seja necessário recorrer a leite em pó, os preços variam de acordo com o leite recomendado. Por exemplo, uma lata de leite comum custa em média R$ 18, mas uma lata de leite especial, para bebê com intolerância à lactose, ronda os R$ 85. Quando chegar nos seis meses, tem início a fase da papinha. As prontas têm um custo médio de R$ 3,50. Multiplique esse valor por quatro, que é o número de papas que o bebê consumirá diariamente.

Creche:

Se optar por deixar seu filho meio período na creche, deverá pagar entre R$ 300 a R$ 400. Prefere o período integral com as refeições incluídas? Essa opção deverá rondar os R$ 600.

Plano de saúde:

Para um bebê com menos de três anos, o valor atribuído vai dos R$ 120 aos R$ 140 mensais. Esses planos por norma incluem a vacinação, que tem o valor de R$ 140 e R$ 350.

Para brincar

Sejamos honestos! Criança pequena não é tão exigente assim nessa matéria! Tudo o que seja colorido ou que faça barulhinho em princípio será do seu agrado.

Como está sua matemática? Quem foi que falou que ter filho saía barato?

Saiba mais sobre esse assunto, assistindo a esse vídeo:

Compartilhe! Prepare o nascimento do seu filho com antecedência e muita organização.

Recomendado: Organize as despesas com o parto