Consequências de beijar bebês e crianças na boca

Herpes está entre os resultados dessa prática que parece inocente

0
3476

Beijar crianças na boca é uma prática comum e encarada com naturalidade para muitas pessoas. O que a maioria ignora é a possibilidade de transmissão de diversos micro-organismos que só prejudicam a criança.

Há outras formas mais saudáveis e menos agressivas de demonstrar afeto e nunca é demais pensar na segurança dos pequenos.

O afeto pode ser traduzido por abraços e mesmo sorrisos. O contato com a mucosa bucal é uma risco que não precisa ser adicionado ao bebê e às crianças menores.

O que acontece se beijar o bebê?

A saliva das pessoas adultas contém vários agentes, como micoses, bactérias e vírus. Como os pequenos ainda estão com a imunidade desenvolvida plenamente, poderão ser alvo de infecções com mais facilidade.

assoprar a comida do bebê também não é adequado porque a saliva chega ao alimento e há o risco de contaminação

Quais doenças podem ser transmitidas pela saliva?

1. Cândida;

2. Cárie;

3. Herpes;

4. Helicobacter pilory.

Há algum risco social para a prática do beijo na boca?

O risco é o físico mesmo. Crianças muito pequenas não têm discernimento sobre o que é certo e errado nas relações e somente repetem gestos.

Quais as consequências do beijo na boca para o recém-nascido?

A transmissão de herpes está entre os principais riscos para os bebês recém-nascidos. Esse alerta muitas vezes é ignorado e as consequências assustam.

Para quem duvida da transmissão, uma mãe inglesa divulgou em setembro de 2015, uma fotografia do bebê que contraiu herpes ainda no hospital.

A mãe, Clare Henderson, afirmou ao jornal The Telegraph, que recebeu muitas visitas assim que o bebê nasceu e não sabe como a contaminação possa ter ocorrido.

Relacionado: Bebê contrai herpes por causa de um beijo