Aprenda a se comunicar com criança de forma calma e eficiente!

Uma conversa tranquila é mais eficaz que uma reprimenda!

0
9482

Para ter o condão de acalmar os ânimos de uma criança pequena, primeiro vai precisar de acamar os seus. Uma boa conversa pode ter efeitos mil vezes superiores aos de uma bronca, que acaba por deixar a garotada retraída e amedrontada.

Não acredita? Então olhe esses 10 exemplos. Preste atenção nessas formas como você não deverá reagir e considere essas recomendações.

Crie uma relação de confiança com seus filhos, com base na explicação, na pedagogia e na amizade.

10 sugestões para comunicar de forma eficaz com as crianças

1. Ao invés de “Pare de jogar coisas pelos cantos!”

Tente “Por que é que você pousou ali seu brinquedo? Assim eu fico pensando que você não gosta de brincar com ele. É esse o problema?”

Usando essa técnica você vai desarmar a criança com a sua preocupação. Está falando sem hostilizar, mantendo a conversa em aberto para que ela exponha a sua versão dos acontecimentos. Está mostrando o seu ponto de vista, dando espaço para que ela possa fazer o mesmo.

2. Ao invés de “Se não comer vai dormir de papo vazio!”

Tente “Não está gostando? Como é que você acha que poderia gostar mais dessa comida? ” 

Comer é um ato essencial, e também é um dos grandes prazeres dessa vida. Você não vai querer que a hora das refeições vire um momento traumático. Ajude o seu filho a criar uma boa relação com os alimentos.

3. Ao invés de “Pronto, você está de castigo!”

Tente “Venha comigo ali um pouco para conversarmos e nos acalmarmos.” 

Em vez de promover o isolamento, dê um momento de atenção para a criança para que possam conversar e ela possa refletir, na sua presença, sobre o que está acontecendo.

4. Ao invés de “Vamos sair agora!”

Tente “Já está pronto? Precisa de ajuda?” 

Faça parte da solução, em vez de retrair a criança com hostilidade. Se ela se sentir culpada pelo atraso vai acabar se atrapalhando e atrasando cada vez mais.

5. Ao invés de “Pare de me fazer passar vergonha!”

Tente “Quer conversar em privado? Explique para mim o que você está sentindo.”

É sempre positivo poder sair do meio da tensão. Tente fazê-lo promovendo o diálogo e mostrando que os sentimentos da criança também importam.

6. Ao invés de “Não vou voltar a repetir!”

Tente !Não é legal fazer isso. Por que você está insistindo? Pode explicar para mim?” 

Mantenha o canal de comunicação em aberto, para que ambos possam ter uma conversa sobre o sucedido.

7. Ao invés de “Pare de dizer não!”

Tente “Não quer mesmo? Me diga então o que você prefere fazer.”

É preciso que você e a criança possam entender que nem todo o não é uma questão de birra ou mera imposição de autoridade. Tente perceber a razão e dê espaço para que o seu filho possa fazer suas propostas.

8. Ao invés de “Pare de gritar agora!”

Tente “Quer fazer um jogo? Vamos fazer de conta que vamos apagar velas de aniversário?” 

Essa respiração profunda necessária para apagar velhinhas imaginárias vai ajudar a que a criança recupere a calma.

9. Ao invés de !Menino/a crescido/a não chora!”

Tente “Chore o que for preciso. Liberte essas lágrimas, que vai se sentir melhor.”

Dê espaço ao seu filho para que ele possa sentir da forma que precisar. Lembre sempre que a perspectiva deles é bem diferente da de adulto, e que os problemas que os apoquentam, apesar de nos parecerem menores, devem ser respeitados. Você não vai querer que o seu bebê reprima as suas emoções.

10. Ao invés de “Já chega! Pare de reclamar!”

Tente “Qual é a solução que você propõe?” 

Desse jeito você está passando parte da responsabilidade para as mãos da criança. Vai também estar a incentivar que ele formule suas opiniões e crie novas hipóteses, estimulando também as suas capacidades.

Experimente essas técnicas! Crie uma ligação aberta entre você e seus filhos. Crie espaço para o diálogo para que a vossa relação possa crescer saudável e feliz!

Relacionado: 3 segredos para ser uma mãe mais feliz e equilibrada

Compartilhe! Crie com as suas crianças uma ligação especial.