10 conselhos para se adaptar aos primeiros dias com o bebê!

Adaptar as suas horas de sono e ter paciência são apenas algumas das nossas dicas

0
1209

A maternidade é uma experiência única: cada bebê é singular e cada mamãe reage e se adequa de maneira diferente. No entanto, nos primeiros momentos das crianças em casa, há certos aspetos que se repetem entre muitas mães e filhos.

Leia 10 coisas que você precisa de descobrir sobre os primeiros dias dos bebês

1. Eles choram. Muito!

Os recém-nascidos estão se adaptando ao mundo exterior e, por essa razão, choram bastante. Por isso, mamães de primeira viagem, não existem motivos para sustos: se os seus filhos chorarem, isso não quer dizer que estejam doentes. Aliás, muitas pesquisas afirmam que os bebês plenamente saudáveis costumam chorar entre 1 e 3 horas diárias. Isso acontece porque as crianças necessitam dos outros para obter a comida e o conforto de que tanto precisam. Mas atenção: caso os pequenos chorem de forma exagerada e nunca pararem, é recomendável contatar o pediatra.

2. É normal os bebês perderem peso

Mais uma vez, não se preocupe se as crianças sofrerem uma perda de peso. É frequente os pequenos perderem entre 3 a 10% do seu peso nos primeiros dias depois do parto. No entanto, o pediatra deve estar atento nas 2 ou 3 semanas seguintes para confirmar se os bebês conseguem recuperar o peso perdido: por exemplo, existem casos em eles podem não estar sugando com a força necessária o peito da mamãe durante a amamentação.

3. Seja paciente durante a amamentação

Os primeiros dias de lactação podem ser complicados: no começo, é comum as mães produzirem apenas colostro, um líquido que tanto pode ser fino e aguado, como espesso e amarelado. Só após 3 ou 4 dias – por vezes, até mais – é que o leite começa a surgir. Porém, o colostro inclui importantes substâncias que melhoram o sistema imunológico das crianças. Por outro lado, esse líquido tem uma descida lenta, o que é relevante para os bebês: por exemplo, eles conseguem desenvolver uma sucção e uma respiração mais coordenadas.

4. Há vários meios de fazer os seus bebês arrotarem

Arrotar é essencial para os bebês após da amamentação: durante a lactação, as crianças também ingerem ar, o que contribui para um desconforto nos seus estômagos. Além de ser um alívio, o arroto deixa os seus filhos mais bem-dispostos. Mais uma vez, é necessário ter paciência. Os bebês podem chegar a demorar 1 hora para arrotar. Aliás, por vezes, até pensamos que eles já arrotaram, mas nós é que não ouvimos. De resto, cada mamãe conta com uma posição preferida para colocar as suas crianças para arrotar. Por exemplo, as mães costumam deitar os pequenos durante 2 segundos e levantá-los logo de seguida.

“Arrotar é essencial para os bebês após da amamentação”

5. Os cocôs vão ser uma prioridade na sua vida!

As mamães se preocupam bastante com as fezes dos seus bebês. É por isso que não perdem uma oportunidade de analisar a sua cor, a sua consistência… Lembramos que o primeiro cocô dos bebês se chama mecônio, e surge com o estímulo resultante do consumo do colostro.

6. Os seus filhos podem sofrer de cólicas… Ou não

Nem sempre as crianças têm cólicas. Mas, se for o seu caso, já avisamos que as cólicas são absolutamente normais: elas são uma manifestação do amadurecimento do sistema digestivo dos bebês. Não opte por medicamentos ou produtos naturais, que até podem intoxicar os pequenos. A melhor solução é mesmo o leite da mãe juntamente com o aquecimento da barriga e a posição fetal. Para identificar o choro de cólica, saiba que é mais intenso e se inicia e acaba subitamente, enquanto a barriguinha das crianças fica muito dura.

7. Carregue os meninos com muito cuidado

Segurar no colo seres tão frágeis exige muita atenção por parte das mães. Mas basta seguir algumas dicas para que tudo corra bem: por exemplo, apoie bem a cabeça e as costas das crianças, porque os músculos do seu pescoço ainda não estão suficientemente desenvolvidos. Para isso, a cabeça deve ser colocada na dobra do cotovelo e as costas no antebraço. Os movimentos bruscos estão proibidos. Nunca pressione em excesso a zona superior da cabeça (a moleira): os ossos cranianos ainda não se encontram completamente formados.

8. Tenha paciência!

Você vai ter vontade de gritar algumas horas. Vai chorar e vai achar que não consegue. Vai brigar com seu companheiro e vai brigar com você mesma, muitas vezes. É normal! Respira fundo, não se sobrecarregue e leve as coisas no seu ritmo. Vai dar tudo certo! Seja paciente com os outros e, principalmente, com a mãe que você está se tornando.

9. Adapte as suas horas de sono

Já durante a gestação, as mulheres não conseguem dormir de forma confortável. Isso se deve à azia, ao peso da barriga… Após o nascimento do bebê, a situação não melhora: normalmente, é preciso acordar, pelo menos, em cada três horas para a troca de fraldas ou para a amamentação. Além disso, as mamães com os filhos mais chorosos devem ampará-los, mesmo de madrugada. Para ganhar umas horas de sono, tente ajustar os horários das crianças com os seus. Lembre: uma mãe descansada é uma mãe mais paciente e disposta.

10. Aproveite!

Olhe. Toque. Aproveite todos os instantes com o seu recém-nascido. São momentos incríveis, que passam muito rápido!

Relacionado: Vamos falar sobre a maternidade real?

Descubra outros conselhos importantes, assistindo a esse vídeo:

Curtiu o artigo? Compartilhe com outras mães!