15 dicas para lidar com birras, choramingos e raiva das crianças

Aprenda a desvendar a linguagem da birra e a acalmar a criança

0
754

As birras, choramingos e ataques de raiva são certeiros para a maioria das crianças. Elas são diferentes, mas todas terão um ou milhares de episódios e será preciso interpretar o sentido.

É importante destacar que nem sempre a birra significa mau comportamento. Não quer dizer que ela não será usada em um episódio de mau comportamento, mas muitas vezes está além disso.

Em alguns casos, a birra pode ser uma forma de clamar por atenção e isso quer dizer que o comportamento da criança reflete o que recebe do entorno. Ou seja, criança ignorada também responde com birra.

motivos podem ser desconforto, tristeza, decepção e medo.

Antes de somente apontar o pequeno como um mau comportado, é preciso olhar para si.

As dicas a seguir podem ajudar, mas não pode ser esquecida a diferença entre uma criança e outra.

1. Ela precisa de opções

Crianças maiores podem ajudar a decidir sobre o próprio dia. Isso pode acontecer naqueles dias que fogem à rotina, como fins de semana e férias.
Se elas ajudarem a tomar a decisão, dificilmente entrarão em conflito.

2. Sinceridade e olho no olho

Abaixe-se ao nível da criança. Fale olhando para ela em um tom de voz firme, mas sincero. Evite gritar de cima, como se ela não tivesse importância.

Relacionado: Entenda porque gritar com os filhos é ruim

3. Importe-se e demonstre

Tente saber o que está acontecendo. Ouça e nomeie as emoções. Depois, ajude a lidar.

4. Deixe as emoções fluírem

Quem não tem vontade de sair gritando ou chorando até acalmar. Há crianças que são tão pequenas e que nem vale o esforço do argumento, ela só quer extravasar as emoções. Deixe.

5. Seja transparente

Não precisa somente demonstrar a cara da braveza para a criança. Ela precisa ser ensinada a entender que você também sente tristeza. Compartilhe isso.

6. Envolva

Tente mudar o foco. Dependendo do lugar em que estiver, peça ajuda, faça com que o pequeno sinta toda a importância que tem.

Ouça a birra e o choro e, depois, ofereça alternativa porque o pequeno se distrai. Se estiver em casa, peça ajuda em uma tarefa que esteja fazendo.
Se for no supermercado, por exemplo, peça auxílio com a lista de compras.

7. Mude o rumo

Use a sua imaginação e instigue a do seu filho. Leve seu filho para o centro de histórias e tente pôr emoção nisto.

Tente, de alguma forma, interpretar os sentimentos, saber se há alguma chateação e como ele pode resolver isso dentro da própria cabeça. Uma das formas é inventar histórias onde ele é o herói.

8. Ensine o respeito a acordos

Combine o que espera do comportamento antes de entrar em uma situação, como sair de casa, ir a um centro de compras ou festas.

O desejo sobre como deve ser o comportamento precisa ser explicado e, depois, cobrado se houver desrespeito. Caso a criança cumpra o acordo, elogie.

9. Nada de encorajar o que não concorda

Aquela voz de bebê crescido não agrada? Diga isso. Fale que só vai ouvir o que quer a partir do momento em que ele ou ela falem normalmente, parem de chorar ou gritar.

10. Seja leve

Por que assumir uma cara de raiva e imposição o tempo todo? Tente tirar proveito das situações, ser engraçado e incitar o seu filho ou filha a rir com as situações. Em muitas vezes o foco será mudado e a birra esquecida.

11. Deixe a birra rolar

Respeite a birra. Ela pode significar tristeza e decepção. Demonstre que está por perto e que seu filho ou filha tem seu apoio. Caso a criança demore muito para se acalmar, vá até ela, abrace e beije.

O carinho é uma arma muito importante contra a birra.

12. Paciência e atenção

Fale com seu filho ou filha e escute o que têm a dizer. Não grite e nem se descontrole. Basta a birra do pequeno.

13. Você é o espelho onde eles são refletidos

O comportamento de choramingar, chorar e, mesmo a birra, pode ser uma imitação da família. Há momentos em que os pais não sabem como argumentar e reclamam da rotina, da bagunça e dos filhos.

Olhe para si e tente saber se seus filhos não passam de uma cópia sua neste sentido.

14. Esqueça

A birra acabou? Nada de ficar lembrando isso para a criança. Seu papel é de ensinar a lidar, não o de guardar rancor e repassar esse comportamento. Da forma mais clara: se passou, passou.

15. Evite o tédio

Deixar a criança cansada, frustrada, com fome ou entediada é birra certeira. Para que isso não ocorra, tente:

1. Manter a rotina de sono;

2. Não o deixar ter fome;

3. Ofereça brinquedos;

4. Se precisar mudar de rotina, explique;

5. Não o sobrecarregue com atividades;

6. Mantenha expectativas reais;

7. Não o subestime;

8. Mantenha a rotina;

9. Tente acalmá-lo;

10. Seja gentil.

Gostou desse artigo? Compartilhe!