Como saber se o seu filho sofre de atrasos no desenvolvimento?

Olhar atento dos pais é essencial para um tratamento rápido e eficiente

0
290

Como cada criança tem um desenvolvimento próprio, normalmente os pais não conseguem diferenciar uma particularidade de um atraso no crescimento, resultante de uma condição que deve ser diagnosticada e tratada.

É por esse motivo que, durante o crescimento dos seus filhos, os pais têm muitas dúvidas. “Com essa idade, os meus sobrinhos já engatinhavam. Por que será que o meu filho ainda não?” ou “Será que nessa idade ele já não devia estar falando?» são apenas algumas das questões mais frequentes.

O que é um atraso no desenvolvimento?

Estamos perante um atraso no desenvolvimento sempre que os meninos não alcançam algumas etapas de crescimento na idade esperada, mesmo tendo em conta as diferenças individuais.

Estes são os exemplos de atraso no desenvolvimento:

  • Atrasos na coordenação motora ampla, ou seja, em aptidões, como sentar ou rolar;
  • Atrasos na coordenação motora fina, como por exemplo na manipulação das coisas.
  • Atrasos na fala e na compreensão da linguagem.
  • Atrasos no relacionamento com os outros.
  • Atrasos em se vestir, entre outros exemplos de autocuidado.

Essa condição é frequente?

Alguns estudos comprovaram a existência de atrasos no desenvolvimento entre 10 a 15% dos meninos com uma idade inferior a 3 anos. Ou seja, esse é um quadro comum.

Dificuldades em aprender, em se mover, em se comunicar e em brincar são as mais frequentes.

Se existir um tratamento eficiente e rápido, maior é a hipótese de diminuir o impacto dos atrasos.

Alguns problemas somem até o começo do percurso na escola. Porém, há outros atrasos que só serão diagnosticados mais tarde.

Fique ainda sabendo que cerca de 40% das crianças com atrasos no desenvolvimento sofrem de um atraso noutra área. Apenas 2% dos meninos têm três ou mais tipos de atrasos.

“SE EXISTIR UM TRATAMENTO EFICIENTE E RÁPIDO, MAIOR É A HIPÓTESE DE DIMINUIR O IMPACTO DOS ATRASOS”

Quais são as causas dos atrasos?

Em alguns casos, existe uma origem médica identificável, como a Síndrome de Down. O atraso no desenvolvimento também pode ocorrer devido a uma doença ou acidente.

A dificuldade de audição pode estar na origem de atrasos na linguagem e na fala juntamente com problemas cognitivos e transtornos neurológicos e físicos. Os neuropediatras e fonoaudiólogos são alguns dos profissionais mais indicados para diagnosticar e tratar esse tipo de dificuldades.

Por vezes, os problemas de visão causam atrasos, mas são difíceis de diagnosticar. No começo, o pediatra é quem avalia a vista das crianças e, em caso de dúvida, deve aconselhar uma consulta com um oftalmologista para uma análise mais pormenorizada.

Que tipo de atraso pode ser identificado pelos pais?

É fácil detectar dificuldades em certas habilidades, como no andar. Porém, os pais também podem conseguir identificar atrasos mais específicos, nomeadamente problemas em segurar pequenas coisas.

Na parte da linguagem, os pais devem perceber se a criança tem dificuldades em compreender o significado das palavras ou se nem tenta comunicar, preferindo balbuciar ou apontar.

Além disso, nas consultas com o pediatra, o médico tem de questionar sobre o comportamento da criança e avaliá-la para confirmar que não existe qualquer atraso no desenvolvimento.

No caso dos meninos prematuros, é normal que haja uma maior demora para alcançar certas etapas do desenvolvimento em comparação com as crianças que nasceram no tempo previsto. É por esse motivo que, até aos 3 anos de idade, o pediatra pode considerar que a «idade» do prematuro é a data prevista do parto, ou seja, a data na qual a gravidez iria completar 40 semanas.

Deve procurar uma segunda opinião?

Claro que sim! Se você continuar desconfiando de que algo de estranho se passa com o seu filho, mesmo depois de uma análise detalhada e profissional, não hesite em procurar uma segunda opinião de um médico especializado num determinado tipo de atraso.

Relacionado: A importância do afeto no desenvolvimento do bebê 

Assista a esse vídeo para saber mais sobre os primeiros meses de desenvolvimento das crianças:

Curtiu as nossas dicas? Compartilhe! Pode haver outros pais com as mesmas dúvidas!