A história que comoveu milhares de pessoas

A história foi divulgada na Internet por Shanna, mãe do Kainoa, que tem cinco anos e é autista.

0
623

É difícil imaginar os sentimentos de uma mãe a quem não é permitido sequer abraçar o próprio filho sem o receio de que ele sofra um ataque de pânico.

Para as crianças autistas, é extremamente difícil estabelecer relações com as pessoas que as rodeiam e o mundo também pode parecer caótico, sem regras bem definidas ou significado.

Os cães são treinados para ajudar a acalmar a criança quando sentem um ataque de pânico ou QUE estão agitadas.

Também podem tomar conta e avisar aos pais quando o filho necessita de ajuda. Alguns estudos concluíram que as crianças autistas se relacionam melhor com animais do que com pessoas. O amor, devoção e a interação dos animais costumam ajudar pessoas nessas condições a estabelecer um vínculo com o mundo que as rodeia.

O autismo é um distúrbio neurológico caracterizado por comprometer a interação social, comunicação verbal e não-verbal e manifesta-se por um comportamento restrito e repetitivo. Não é curável com medicamentos.

O autismo também se pode manifestar em crianças como em Kainoa (foto abaixo), fazendo com que sintam um desconforto extremo quando são tocadas ou abraçadas. Mas Kainoa ganhou um cãozinho e agora pouco a pouco está se sentindo a vontade para partilhar emoções.

A mãe da criança ficou comovida e disse que há 2 anos esperava pelo cãozinho, que deve ser treinado, e que a afinidade do filho com o cão foi imediata.

Relacionado: Você pode prevenir o risco de autismo no seu filho: saiba como!

Compartilhe essa história!