O inchaço na gravidez: quando ele começa a ser preocupante?

Saiba o que provoca o inchaço, e como ele deve ser combatido e amenizado, para viver uma gravidez mais confortável, saudável e plena.

0
1611

A gravidez é um período na vida da mulher bastante feliz. No entanto, as mudanças do corpo trazem também alguns sintomas menos simpáticos como as náuseas, os vômitos, a azia, urinar várias vezes ao dia e as pernas inchadas e pesadas.

A grande maioria das grávidas (cerca de 75%) queixa-se desse desconforto, em especial no final do segundo trimestre de gravidez. Tudo isso acontece por causa da retenção de líquidos.

O edema, inchaço ou retenção de líquidos

Normalmente, a retenção de líquidos acontece porque os hormônios, como a progesterona e o estrogênio, passam a existir em doses bastante elevadas. O útero começa também a ocupar mais espaço, e isso quer dizer que comprime os vasos sanguíneos, dificultando a circulação sanguínea. Ou seja, mais difícil se torna que o sangue retorne dos pés e pernas até ao coração.

É muito comum ter pés e pernas inchadas à conta disso. O sistema linfático pode também não estar a funcionar a 100% e ter problemas em escoar todo o líquido que o corpo acumula.

O calor agrava o inchaço

A época mais quente agrava o inchaço, não é à toa que as grávidas que passam o último trimestre nos meses mais quentes, também se queixam mais. Para a temperatura do corpo manter o seu equilíbrio, é natural que haja mais líquidos retidos.

As partes do corpo que mais sofrem com o inchaço

Se há dificuldade de circulação do sangue e acúmulo de líquidos, acabam por ser as pernas, tornozelos e pés a sofrer mais com esse problema. No final da gravidez as gestantes queixam-se que nem têm calçado para colocar nos pés, preferindo chinelo de dedo. As leis da gravidade fazem com que tudo se acumule nos membros inferiores, que sofrem o triplo da pressão venosa. Acaba por ser uma pressão em cadeia.

O útero comprime a veia cava inferior e as veias pélvicas, que se agrava quando a gestante está parada de pé, fazendo com que as pernas e coxas fiquem mais presas e provocando o edema gravitacional nos membros inferiores. Também acontece com as extremidades como os dedos, mãos, braços e a retenção de líquidos também pode acontecer no rosto.

Inchaço na gravidez é normal?

O inchaço é normal, mas desconfortável. No entanto a gestante deve estar atenta no caso de o inchaço ser demasiado, ao ponto de limitar os movimentos ou causar formigamento nos braços. O inchaço ou edema excessivo pode indicar outros problemas como hipertensão ou proteínas na urina. Isto pode querer dizer que está perante pré-eclâmpsia. Esta situação coloca mãe e bebê em perigo e a única solução é o bebê nascer, mesmo que prematuro.

Quais os sinais da pré-eclâmpsia:

  • Inchaço ao redor da barriga;
  • Dor de cabeça persistente;
  • Aumento repentino do inchaço;
  • Problemas de visão e
  • Mãos e rosto inchados

Relacionado: Pré-eclampsia: conheça as causas, sintomas e saiba como tratar

É importante a gestante estar a ser acompanhada por um médico, seguindo o plano de consultas pré-natal e, caso identifique sintomas de pré-eclâmpsia, deve procurar o seu médico imediatamente ou dirigir-se ao hospital. É melhor prevenir do que ter problemas e riscos com a sua gravidez.

Vamos deixar algumas dicas para amenizar o inchaço e passar uma gravidez mais confortável.

Evite:

  1. Sapatos apertados, sapatos de salto alto e roupas justas;
  2. Sal em excesso;
  3. Alimentos pré-cozidos e embutidos, porque normalmente têm mais sal.
  4. Passar muito tempo sentada;
  5. Passar muito tempo em pé;
  6. Cruzar as pernas enquanto estiver sentada.

Tente fazer mais: 

  1. Alimentação equilibrada e saudável, com pouco sal:
  2. Beba muita água, para fazer funcionar bem os rins e minorar o inchaço;
  3. Atividade física adequada à sua condição de grávida: hidroginástica ou natação, pois melhoram a circulação (informe-se com seu médico antes de começar qualquer exercício físico);
  4. Uso de meias de compressão elásticas adequadas. Se vai viajar, é provável que necessite (aconselhe-se junto do seu médico);
  5. O uso de sapatilhas ou tênis confortáveis;
  6. Deite-se sobre o lado esquerdo, com um travesseiro entre as pernas, o que vai melhorar a circulação e amenizar a pressão da veia cava;
  7. Coloque os pés para cima – pode colocar uns travesseiros para elevar as pernas, em casa no final do dia, para que o sangue retorne dos pés para o coração, mais facilmente;
  8. No trabalho, se estiver sentada, encontre um apoio para os pés para que fiquem do mesmo nível da anca. Se tiver que ficar de pé, mantenha-se em movimento, e procure sentar várias vezes ao dia;
  9. Faça drenagem linfática manual para reduzir os líquidos, oxigenar as células e reduzir os inchaços, mas consulte primeiro seu médico para que seja um benefício para você e não um risco.

Veja no vídeo a seguir mais sobre o inchaço na gravidez: