Como lidar com os medos dos nossos filhos?

O que fazer quando a coragem e a curiosidade dos mais pequenos são substituídas pelas primeiras fobias? Siga os nossos conselhos!

0
239

É comum os pais tomarem um susto quando os meninos abandonam o seu lado aventureiro e se tornam mais inseguros. Sem que nada o justifique, as crianças começam a chorar compulsivamente quando você se ausenta por segundos ou se assustam quando escutam um ligeiro ruído.

Apesar de ser preocupante, essa ansiedade pode ser uma manifestação normal. Por exemplo, a angústia da separação dos pais é uma fase natural no desenvolvimento dar crianças.

Por que a insegurança e ansiedade podem dominar as crianças?

Para os mais pequenos, o mundo exterior é enorme e cheio de mistérios. É por esse motivo que cada passo rumo à independência é acompanhado pelo medo do desconhecido e pela confirmação de que nem tudo é perfeito: os cães mordem, os pais desaparecem, os amiguinhos tiram brinquedos…

Ao mesmo tempo, as crianças vão ganhando uma imaginação mais fértil e vão desenvolvendo um medo irracional por eventuais perigos, como o famoso monstro escondido debaixo da cama.

É nessa altura que os seus filhos também diferenciam os rostos familiares e desconhecidos, relutando em ir para o colo de estranhos. Também é frequente que surjam medos mais específicos, como o receio pela água.

Se se tratar de um medo súbito, pode existir uma conexão com um acontecimento que nem foi assim tão grave. Eis um exemplo clássico: o menino ficar com medo de cães após ter sido derrubado por um cachorrinho brincalhão.

Felizmente, essas angústias costumam sumir quando a criança amadurece e consegue controlar melhor os seus sentimentos.

Como suavizar os medos nas crianças?

O instinto dos pais é valioso e, por isso, é importante segui-lo: se os seus filhos estiverem assustados, siga a sua intuição e abrace-os. Conforte-os. Mas há mais estratégias para ultrapassar esse problema… e algumas bem criativas! Confira:

Reconheça a fobia da criança

Um dos receios mais frequentes é a ausência dos pais. É por isso que só o fato de você ir ao banheiro pode originar um transtorno nas crianças. Solução: explique ao seu filho o que vai fazer em vez de desaparecer sem dizer nada. Converse calmamente com a criança, diga que ela está sempre segura e que você só vai ao banheiro e logo estará de volta.

“Um dos receios mais frequentes é a ausência dos pais”

Prepare a criança antes de sair de casa ou de as visitas chegarem

O seu filho fica sempre amedrontado num lugar estranho? Ou fica muito ansioso quando encontra um desconhecido? Solução: antes de participar de um convívio, explique à criança que ela irá falar com pessoas que conhece e rever outras. Além disso, é importante sublinhar que é educado cumprimentar cada uma das pessoas e olhar para elas quando conversam com a gente.

Prepare a separação

Entre uma e outra brincadeira, ensine a criança a suportar a sua ausência. Por exemplo, quando ela estiver bem-humorada, marque 30 segundos no cronômetro do micro-ondas e suma da sala. Avise-a para ficar atenta àquele barulho do timer e apareça logo que se ouvir o apito.

Se o seu filho não suporta ver você saindo da sala, use outra tática: diga para que seja ele a sair e você é quem fica esperando.

Caso ele se sinta mais seguro, o tempo de separação deve aumentar. Essa brincadeira ajuda a criança a perceber a ausência e, quando vocês se separarem novamente, ela já adivinhará o que irá acontecer: os pais saem, passam um tempinho no exterior e depois regressam.

Como já sabe o que esperar, o seu filho enfrentará mais calmamente os momentos em que estarão separados.

Entregue um objeto de segurança

Alguns objetos, como os ursinhos de pelúcia, permitem que as crianças tolerem melhor as separações dos pais ou outros medos. O apego a um brinquedo especial é fundamental para enfrentar o mundo exterior, que se tornará menos aterrorizador.

Além disso, incentive o seu filho a brincar antes de você ir embora. Mesmo que ele chore, essa brincadeira poderá ser uma fonte de distração logo após a sua saída.

O apego aos ursinhos de pelúcia é importante para enfrentar os medos

Ajude a criança a compreender os pesadelos

Explique ao seu filho que esses sonhos maus não são verdadeiros. Fique com ele até se acalmar o bastante para voltar a dormir.

Caso o pesadelo seja recorrente, fale sobre o assunto ao longo do dia (quando a recordação do sonho não é tão ameaçadora). Depois que a criança perceber o que terá acontecido no sonho, faça sugestões para ela se defender: por exemplo, se o seu filho tiver continuamente um pesadelo em que está sendo perseguido, aconselhe-o a «pegar» um cãozinho para assustar o perseguidor.

Celebre as conquistas e não zombe dos medos

Comemore cada uma das realizações do seu filho, por muito pequenas que sejam, como ir ao banheiro sozinho. Essa celebração aumenta a autoconfiança da criança, assinalando a sua bravura.

Por outro lado, nunca ria das suas fobias. Isso só agravará o problema.

Dê bons exemplos

A aprendizagem dos mais pequenos se baseia na observação dos pais. Se você chorar de medo quando vê uma lagartixa, você está reforçando a ideia de que o mundo é assustador.

Pelo contrário, caso você enfrente tudo com confiança, o seu filho se comportará do mesmo jeito.

Não imponha coragem

Não obrigue a criança a enfrentar as suas fobias. Quase nunca resulta. Por exemplo, se você forçar o seu filho aterrorizado a usar o elevador, ele começará a sentir medo de você, além do próprio elevador.

A criança tem que desenvolver de forma natural a sua independência. Com o seu próprio ritmo.

“Não obrigue a criança a enfrentar as suas fobias. Quase nunca resulta”

Invente uma história

Simplifique as coisas assustadoras, contando histórias. Por exemplo, se a criança tem medo de um trovão, invente uma pequena história sobre um cãozinho que também tem essa fobia, mas que ultrapassou tudo com a ajuda da mãe.

Acalme os terrores da criança

O seu filho tem muito medo dos monstros que vivem debaixo da cama? Acalme-o, dizendo que você mesmo irá manter os terríveis monstros afastados dele.

Há inúmeras soluções para «derrotar» esses monstros imaginários: por exemplo, colocar umas pequenas luzes em cada um dos cantos do quarto onde a criança pode enxergar umas sombras estranhas… e assustadoras. Garanta ainda um final de dia calmíssimo (sem discussões entre os pais, por exemplo).

Essas estratégias irão transformar o quarto da criança num lugar repleto de conforto.

Ensine a criança a lidar com a separação

Por vezes, o melhor é mesmo não fazer nada, principalmente quando você já fez tudo o que podia para acalmar o seu filho. Essa decisão é importante para o crescimento da criança. Para que ela compreenda que nem sempre tudo acontece do jeito que ela quer.

Se mesmo seguindo alguns desses conselhos (ou mesmo todos), os seus filhos continuam com fobias, chegando ao ponto de atrapalhar o sono, o melhor é marcar uma consulta junto de um pediatra.

Assista a esse vídeo para saber mais sobre como lidar com os medos dos seus filhos:

 

Relacionado: Tem filhos? Aprenda 4 expressões muito úteis para controlar as birras dos seus filhos!

Achou esse artigo interessante? Compartilhe-o com seus amigos!