Será que a melatonina é a melhor alternativa para ajudar a criança a adormecer?

Conheça os riscos que estão associados ao consumo dessa substância por crianças e quais os casos em que ela é indispensável

0
143

A melatonina (hormônio do sono) é uma substância fabricada pelo nosso corpo, mas que também é possível adquirir em lojas sob a forma de comprimidos, gotas, cápsulas ou balas, que se apresentam com diferentes sabores, tons e configurações, para chamar a atenção das crianças.

A melatonina é cada vez mais popular junto aos pais, devido a uma preocupação cada vez maior em encontrar uma substância que faça os seus filhos dormirem. Aliás, por vezes, esses pais tomam sozinhos a decisão de ministrar melatonina nas suas crianças, sem se aconselharem devidamente, por acreditarem que é “natural”. Isso é um erro comum, que deve ser evitado.

A utilização da melatonina deve ser feita com muito cuidado e sempre receitada e sob acompanhamento médico, porque existem poucas pesquisas científicas que comprovem quais as consequências da ingestão contínua dessa substância por crianças.

a utilização da melatonina deve ser feita com muito cuidado e sempre com acompanhamento médico

Algumas experiências com ratos, desenvolvidas na Universidade de Genebra (Suíça), têm demonstrado que é provável que o consumo de melatonina sintética modifique o metabolismo e os aparelhos cardiovascular e reprodutivo.

O consumo desse medicamento deve ser recomendado por um especialista e em casos bem específicos, porque a melatonina sintética tem sido associada a algumas consequências sérias, como pesadelos, falta de apetite ou puberdade precoce, principalmente quando o seu uso não é esporádico.

Melatonina em comprimidos

Saiba quando a administração da melatonina se torna imprescindível

Antes de começar a ministrar a melatonina, é essencial passar por uma avaliação com um especialista em sono, porque as crianças que têm boa saúde e não sofrem de nenhum problema para dormir não devem fazer esse tratamento.

Relacionado: Será que o bebê está dormindo o suficiente?

A aplicação da melatonina apenas é imprescindível quando o organismo dos pequenos não consegue produzir o suficiente diante de um quadro de autismo, cegueira completa, danos neurológicos, patologias graves ou distúrbios relevantes no cérebro. Porém isso quem vai avaliar é o pediatra. Somente o médico pode diagnosticar e tratar esses quadros.

Quais são as alternativas à melatonina?

Não se deixe enganar por estratégias de marketing: algumas embalagens com melatonina sintética enfatizam que esse produto é um aliado natural para uma boa noite de sono das crianças, mas, se você analisar atentamente as bulas, poderá confirmar que essa afirmação não conta com a aprovação do Food and Drug Administration (FDA, órgão norte-americano equivalente à Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Suco de maracujá é uma ótima alternativa para a criança relaxarNormalmente durante as viagens, os pais recorrem a medicamentos que impedem os enjoos e têm como princípio ativo o dimenidrinato, uma substância que causa sonolência.

Por isso, muitos pais utilizam esse remédio para ajudar os filhos a dormirem. Porém, os médicos somente recomendam o consumo dessa droga quando for receitada por um pediatra para uma finalidade específica, frisando que o seu efeito de sonolência é temporário.

Outro método que tem ganhado muita popularidade junto dos pais são os livros para crianças, que prometem fazer os filhos adormecerem, como “O Coelhinho que Queria Dormir”, de Carl-Johan Forssén Ehrlin, cuja leitura lenta seria uma boa ajuda para as crianças relaxarem.

Os médicos não conseguem garantir que essa tática dará sempre certo, mas, pelo menos, é uma alternativa saudável e que pode criar o gosto pela leitura.

Se o seu filho está tendo dificuldades para dormir, procure um médico para que ele faça uma avaliação completa e indique o tratamento mais adequado.

Compartilhe essa matéria!