15 Acontecimentos que marcam o pós-parto

Na altura em que tudo vai mudar, nós estamos ao seu lado, com 15 acontecimentos chave desse momento tão especial

0
9326

Sem sombra de dúvida, o momento mais importante de todo o processo de gravidez é o nascimento do tão esperado filhote. Contudo, infelizmente, não é sinónimo de calma ou relaxamento.

Hoje, vamos partilhar os 15 acontecimentos mais marcantes, que poderão surgir entre as 6 e as 32 semanas após o parto.

Não é para assustar. Lembrem-se, tudo vale a pena quando o/a temos nos nossos braços. Leia com a atenção e prepare-se, a si e à família, para que tudo passe da melhor forma.

1. Cansaço excessivo

O nascimento do nosso novo bebé exige muito esforço. Assim, seja qual for o tipo de parto escolhido, o certo é que irá despender de muita energia, e não terá o devido tempo para recuperar. Seja pelas noites em claro, o ritmo do seu filho, ou até a pressão psicológica por ter sob sua responsabilidade um ser tão frágil. Tudo pelo que passar, irá criar desgaste. Não o enfrente sozinha. Peça ajuda a quem estiver ao seu lado.

2. Baby Blue

A expressão vem do inglês e significa, em tradução livre, “tristeza de bebê”, e está ligada àquela sutil tristeza ou falta de apoio que quase a totalidade das mulheres sente logo após o nascimento do seu bebê. Normalmente, é um turbilhão entre receios e inseguranças, acentuados pela redução hormonal registrada no pós-parto.
Nas palavras da Psicanalista Vera Laconelli, gerar é um momento em que a mamãe poderá retornar a si e enfrentar de modo saudável as alterações que surgem com o nascimento. Mas é importante nunca esquecer – e saber diferenciar – a leve tristeza usual com a depressão pós-parto (DPP). Se isso acontece, procure um especialista.

3. DPP (Depressão pós-parto) Masculina

Não são só as mulheres que têm depressões pós-parto. O nascimento do bebê, provoca uma transformação da mamãe, agora focada no seu filho. O fator se acentuará se o pai não sentir capacidade de ajudar ou contribuir de forma construtiva. Ainda na opinião de Vera Laconelli, os principais sintomas são a tristeza, cansaço, variações de humor, dificuldades em dormir e até complicações alimentares. O Pai pode ainda fazer notar a sua falta de interesse em hábitos antigos como o desporto, o sexo, a tv, entre outros, fazendo com que se dedique mais ao trabalho, por exemplo.
Como forma de prevenção, o ideal será que o casal frequente cursos de preparação para futuros novos pais e, depois, os dedicados ao pós-parto.

4. Um estranho na cama

Após todo o sofrimento e espera, o momento em que o temos nos braços acaba por ser sempre estranho. No bom sentido, mas estranho. Inconscientemente criamos expectativas, sobre tudo o nos vai esperar, mas nem sempre correspondem à realidade. Na voz de Vera Laconelli, este ponto é um tabu que são poucos comentam, mas a verdade, é que a mãe pode estranhar o seu filho. No final de contas, a verdade é que a mãe nunca viu o bebé até então. Ele acaba mesmo por ser um desconhecido. Os laços vão se criando ao longo do tempo.

5. Visitas e Opiniões

Após o parto, os recém papais chegam em casa cansados, principalmente a mãe. Desgastada, com dores, e como se não bastasse, ainda tem que encontrar forças para ser anfitriã das visitas. Tenha calma, é normal que sinta vontade de explodir. Como complemento, ainda vamos ouvir as opiniões das pessoas sobre o como educar o nosso filho, o famoso “não faça assim”. Não se preocupe com tudo o que lhe é transmitido, não há nenhuma ciência exata para a educação de um filho. Vocês são os pais, vocês decidem. Caso se sinta desconfortável na presença das visitas, e das suas opiniões desconfortantes, seja direta com eles. O seu tempo e o tempo do seu filho estão sempre à frente.

6. Solidão

Depois da época das visitas, tudo ficará mais calmo. Bem mais calmo. As pessoas deixam de aparecer em nossa casa constantemente, o pai do bebé volta ao trabalho, e muitas mulheres se encontram sozinhas. Sendo o bebé ainda demasiado pequeno para sair de casa, ficamos isoladas. Muitas vezes sentem-se aprisionadas. A melhor forma de combate é a criação de rotinas. Convide os amigos a visitar a sua casa, para um chá, uma boa conversa, umas fotos para as redes sociais… Tudo a que a faça sentir completa. Lembre-se que não está sozinha.

7. A chegada do leite

Normalmente, o leite surge entre o 3º e o 5º dia após o parto. Até lá, a mamãe apenas produz um liquido bastante rico em anticorpos e gordura. Por ser assim rico, é de extrema importância nas primeiras horas de vida do bebé.
Pouco antes da chegada do leite, é usual a temperatura do corpo aumentar, até ao máximo de 38C. Se, porventura, a febre ultrapassar esse valor, poderá ser indicador de infecção.

8. Intestinos presos

Os pontos, o desconforto, a dor, poderão ser fatores influenciadores. Podem fazer com que a mamã fique com os intestinos presos ou que até surjam hemorroidas. Para ajudar a que tudo volte ao normal, será importante que beba muita água, se alimente com produtos ricos em fibra e evite o sedentarismo.

9. Permanecia do inchaço nos pés

Será usual o inchaço nos pés demorar até 7 dias a desaparecer, devido à retenção de líquidos e à medicação. Passados esses dias, os antidiuréticos deixarão de fazer efeito, estará mais relaxada, e tudo voltará ao normal.

10. Variações urinárias

Todo o tempo em que o bebé passou no seu útero, criou variações. Para este caso, principalmente musculares. O peso que transportou, era apoiado na bexiga e nos músculos pélvicos. Isto poderá causar tanto incontinência, como dificuldade em urinar. Mas calma, pouco a pouco, tudo voltará ao normal. Se desejar acelerar a recuperação, os exercícios para o períneo poderão ajudar.

11. Barriga

Um dos maiores medos das mulheres no pré, durante e pós-parto – Como irá ficar a barriga. Não se esqueçam que todas passam por isso. Calma que tudo voltará ao normal. A princípio, a barriga demora a desinchar entre 40 a 80 dias. Não esquecer que o útero aumentou de peso e tamanho, em cerca de 11 vezes (face ao tamanho inicial), durante 9 meses. Assim, sabemos por senso comum, que a situação não se irá alterar do dia para a noite. Não tem que se preocupar, tudo vai ao lugar. Se ao fim de 3 meses a sua barriga ainda está flácida, fortaleça-a com exercícios específicos para o abdómen e verá que voltará rapidamente ao normal.

12. Sangramento

Quando o útero inicia o processo de expulsão dos tecidos e líquidos que protegeram o seu bebé, fará com que inicie também o sangramento, até ao máximo de dois meses. Só se deverá preocupar se o sangramento de mantiver intenso e escuro após o primeiro mês. Se assim for, entre em contacto com o seu médico.

13. Dieta

Está proibida de fazer dieta logo após o parto. Isso poderá afetar a produção e qualidade do leite. Não queremos que o bebê saia prejudicado com os nossos erros. E lembre, ao dar leite ao seu filho, está a queimar gorduras. Nesta fase, é mais que suficiente. Só será seguro fazer exercício cerca de 15 dias após o parto, contudo, de forma leve. Beba muita água, alimente-se bem e com paciência despeça-se do peso extra.

14. Cólicas

Nos primeiros dias, a cólica corresponde à contração do útero, no seu regresso ao tamanho normal. O aleitamento é um processo fundamental no processo por libertar hormônios, auxiliando o processo. Se sentir cólica mais forte quando estiver a amamentar não se preocupe, é um ótimo sinal.

15. Sexo

Por norma, os médicos sugerem um tempo de espera em cerca de 40 dias, até voltarem a ter relações. Isto no caso de parto normal. Se for cesariana, o tempo poderá aumentar até os 90 dias, devido à cicatrização e incisão no útero. Mesmo assim, é provável que demore mais algum tempo. Tudo dependerá da mulher e de como ela se sente.

Além da exaustão e da preocupação com o bebé, não se poderá esquecer a prolactina, um homónimo que poderá diminuir tanto o desejo como a lubrificação.

Compartilhe essa dica!