Amigdalite de repetição: por que algumas crianças estão mais propensas?

0
5940

Segundo o Ministério da Saúde, a amigdalite é uma doença de cunho inflamatório, causada por agentes externos, como vírus e bactérias. Quando se torna recorrente, a amigdalite de repetição pode gerar o “abscesso periamigdaliano, uma formação de bolsa de pus atrás ou do lado da amígdala”. Nessa  situação, há uma maior necessidade de drenagem e controle da infeção e da dor. Consequentemente, mais vezes no hospital, atrapalhado assim toda a rotina.

Costuma aparecer mais durante a infância e juventude, tendo como principais sintomas “inchaço, dor e vermelhidão dos gânglios do pescoço, febre e mau hálito”.

Muitas pessoas acabam tendo que tirar as amígdalas, perdendo assim uma importante ferramenta de proteção contra agentes infecciosos. Essa cirurgia é normalmente recomendada exatamente quando há obstrução das vias aéreas, assim como a amigdalite de repetição.

Alguns pesquisadores buscaram compreender por que algumas crianças têm maior predisposição que outras a desenvolver a doença repetidas vezes.

Predisposição à amigdalite de repetição

Uma equipe de pesquisadores da divisão de desenvolvimento de vacinas do La Jolla Institute for Immunology, na Califórnia, Estado Unidos, parece ter dado o primeiro passo para a prevenção da amigdalite de repetição. Eles fizeram um estudo tentando compreender a predisposição à doença.

Se conseguissem entender o que era ativado quando o rato se contaminava repetidamente, poderiam buscar uma forma de reduzir a possibilidade que isso aconteça, através de uma vacina. Dessa forma, analisaram as amígdalas que haviam sido retiradas de pessoas entre 5 e 18 anos.

Ao examinar o tecido imunológico presente nas mesmas, percebeu-se que aquelas crianças que tinham a doença, tinham estruturas imunológicas menores do que as de crianças saudáveis, previamente documentadas. A quantidade de células que ajudam a produzir anticorpos era muito menor, fazendo com que as infecções se repetissem mais facilmente.

Além disso, perceberam que essas mesmas crianças tinham uma quantidade menor de anticorpos contra a proteína A – induzida pela bactéria, perturbando assim ainda mais o sistema imunológico, já debilitado. O resultado é uma maior quantidade de infecções ao longo da vida.

Esse estudo é importantíssimo, pois encontrou, pela primeira vez, quais são os fatores impulsionadores da amigdalite de repetição. A partir desse ponto, pode-se buscar formas de fortalecer a imunidade através de vacinas, desenvolvidas exatamente para deter esse mecanismo, recém descoberto.

Cada vez mais a ciência e a medicina avançam para o fortalecimento e melhoria da qualidade de vida do ser humano. Cada vez mais pesquisas, soluções e vacinas para combater e prevenir doenças. Como resultado, uma maior longevidade, com saúde e condições de desfrutar cada fase de forma plena.

Saiba mais sobre essa doença incômoda no vídeo.