Homem oferece assento no mêtro para mulher e é, literalmente, premiado

Ricky Barksdale ficou chocado ao descobrir que ele foi o primeiro homem em quase dois anos a oferecer um assento no mêtro para esta mulher grávida.

0
2759

Ricky Barksdale ganhou recentemente um troféu “# 1 decente Dude” (em tradução livre, algo como “primeiro cara decente”). Provavelmente imagina que ele deve ter feito algo muito incrível para receber esse prêmio, certo?

Barksdale tem um currículo impressionante como veterano do exército, ator, dublê e artista marcial. No entanto, ele não precisou usar nenhuma habilidade especial para ganhar este troféu.

Yvonne Lin premiou Barksdale com este troféu por uma razão surpreendentemente simples.

Ele ofereceu seu assento para Lin no metrô quando percebeu que ela estava grávida.

Lin sempre teve um cartão de parabéns em sua bolsa durante a sua primeira gravidez. Ela planejou entregá-lo ao primeiro homem que desistisse de seu assento no metrô, uma vez que ela percebeu o quanto raro esse ato era.

Para chegar ao trabalho, Lin perde mais de uma hora, todos os dias, no metrô. Difícil de acreditar, considerando a frequência de seus passeios no metrô, que durante toda a gravidez nenhum homem lhe ofereceu o assento.

Ela nunca chegou a entregar o cartão de parabéns. Mas Lin não ficava em pé não: muitas mulheres lhe ofereceram o assento.

Quando ela ficou grávida pela segunda vez, queria que o prêmio fosse maior do que um cartão. Ela criou um troféu personalizado que dizia “#1 DECENT DUDE”, o primeiro homem a oferecer lugar no metrô para uma mulher grávida durante duas gestações”.

E o troféu ainda é super legal!

Todos os dias, durante oito meses, o troféu permaneceu intocado em sua bolsa de trabalho. Apenas quando Lin perdeu quase toda a esperança de que iria encontrar um “cara decente” no metrô, Barksdale ofereceu seu assento para ela.

Lin foi agradavelmente surpreendida e aceitou sua oferta. Ela entregou-lhe o troféu, e Barksdale ficou embaraçado ao recebê-lo, de acordo com Lin.

Barksdale ficou chocado ao descobrir que ele foi o primeiro homem em quase dois anos a oferecer-lhe um assento. Claro, certamente não pensou que merecia um troféu ou qualquer reconhecimento por simplesmente fazer o que parecia ser razoável quando uma mulher grávida, um idoso ou um deficiente são obrigados a ficar em pé.

Gostaríamos de saber qual foi a sua reação à raridade dos homens oferecendo seus assentos nos transportes públicos. Compartilhe esta história!