Bebê prematuro fica com os dois braços quebrados na hora do nascimento

0
331

Ao descobrir que está grávida a mulher começa a se preocupar com tudo. Desde a saúde do seu bebê dentro do seu útero até o que vai acontecer com ele fora da sua barriga.

Em 2017, devido a negligência de alguns profissionais, um bebê teve seus braços quebrados ao nascer.

Na realidade, a grande maioria dos médicos, enfermeiros e anestesistas que trabalham com partos são profissionais responsáveis que dão o melhor de si para que a criança venha ao mundo saudável e que não ocorra nada com a mãe, entretanto, toda regra tem as suas exceções.

Bebê prematuro tem os braços quebrados ao nascer

Os pais da pequena Laura que esteve internada na UTI do Hospital Metropolitano da Lapa, em São Paulo, acusaram profissionais da unidade hospitalar de negligência. O que causou fraturas nos dois braços do bebê.

O hospital afirmou que o caso ocorreu porque a criança tem uma doença que causa deficiência de cálcio, e por isso, os ossos ficam frágeis, facilitando as fraturas.

Juliana Esteves de 20 anos, mãe de Laura foi quem percebeu as fraturas.

De acordo com informações do advogado da família que falou com a imprensa, em fevereiro de 2017, Juliana percebeu hematomas e inchaços no braço esquerdo de sua filha.

A menina nasceu após seis meses de gestação, ou seja, ela é prematura.

O advogado afirmou que a equipe do hospital reconheceu o manuseio indevido, resultando nos ferimentos na criança.

A mãe também acusa de causarem fratura no outro braço da criança.

A mãe de Laura só notou a fratura do braço do bebê quando a equipe pediu que saísse da sala de UTI para colocar um acesso venoso na criança, mas quando chegou a menina já estava com os dois braços cobertos por gesso.

O hospital de São Paulo emitiu uma nota para a imprensa dizendo que o bebê sofre com uma doença chamada “ossos de vidro”, na qual ocorrem fraturas espontâneas.

Apesar da explicação do hospital, o advogado da família deve entrar com um processo no Conselho Regional de Medicina de São Paulo e no Conselho de enfermagem.

É verdade que quando uma criança tem a doença chamada “ossos de vidro”, por qualquer coisinha podem surgir fraturas que causam muita dor no pequeno.

Porém, isso não deveria acontecer com médicos e enfermeiros, pois, eles estudam e são treinados para ter muito cuidado com os pacientes, então esse caso foi realmente um erro ou negligência por parte dos profissionais.

Portanto, essa é mais uma triste notícia que envolve um bebê que nasceu prematuramente e sofreu fortes dores nos primeiros minutos de sua vida.