Cáries de mamadeira: causas, sintomas, tratamento e como prevenir

0
3730
Crédito: Freepik

A cárie é a doença bucal mais frequente em pessoas de todo o mundo, em qualquer idade. Isso quer dizer que até os bebês podem ter. Nesse caso, são as cáries de mamadeira, já ouviu falar?

Essa doença ocorre quando o bebê, que ainda mama no peito ou na mamadeira, não recebe a higiene oral adequada após cada mamada.

Como explica a odontopediatra Vânia Côrtes, com o passar do tempo, os alimentos que o bebê ingere, o que inclui o leite materno, vão deixando acúmulo de resíduos açucarados nas gengivas e nos pequenos dentinhos da criança, originando as cáries.

Muitos pais pensam que não há problema em não lavar a boca do bebê e fazer a escovação dos primeiros dentinhos porque são de leite e logo vão cair.

Mas esse é um grande erro. Primeiro porque é muito importante ajudar a criança a adquirir o hábito de cuidar da sua higiene oral desde cedo.

Segundo, ela poderá ter uma saúde bucal bem mais frágil se ficar deixando que o acúmulo de bactérias dê origem a problemas bucais logo na primeira infância.

Então, veja a seguir quais são os riscos das cáries de mamadeira, os sintomas, como tratar e também como evitar que aconteça.

O que causa as cáries de mamadeira?

As cáries são lesões que acometem os dentes. Quando os dentes não são escovados após cada refeição, os resíduos dos alimentos vão formando a chamada placa bacteriana.

Quanto mais tempo essas placas ficam sobre os dentes, mais elas os corroem, dando origem à desmineralização do esmalte do dente.

No começo a cárie deixa uma mancha branca no dente, pois é sinal de que a camada protetora externa do dente está sendo corroída.

Depois dessa fase, o dente vai ficando escuro e aberto ou quebrado, já que está se desfazendo.

Mesmo que os bebês só mamem no peito ou na mamadeira, com uma ou duas refeições de papinha pastosa, as bactérias do leite e dos alimentos com açúcares ficam nas gengivas e nos primeiros dentinhos, causando as cáries de mamadeira.

Esse problema é bastante comum em bebês que dormem mamando, por isso o nome da doença, e o que justifica a sua causa principal.

Leite materno causa as cáries de mamadeira?

Sim. Como já mencionado, qualquer alimento que o bebê recebe pode causar as cáries de mamadeira.

O leite materno, ainda que seja natural e totalmente saudável para o bebê, contém açúcares que vão ficar impregnados nas gengivas e nos dentinhos.

O mesmo vale para as papinhas de vegetais, pois todos os alimentos contêm uma determinada proporção de açúcares, ainda que sejam naturais.

Quais os riscos que a cárie de mamadeira apresenta?

É comum os pais pensarem que os dentes de leite não precisam de escovação porque logo vão ser substituídos pelos dentes permanentes.

Mas esse é um engano que pode prejudicar o bebê de diferentes maneiras. Os dentes de leite servem para ajudar o bebê a aprender a mastigar e a falar, o que é essencial para o desenvolvimento da sua mandíbula.

Eles também servem como base para a dentição definitiva, portanto ajudam a determinar se a criança terá dentes permanentes fortes e saudáveis.

Logo, existe o risco de a criança começar a desenvolver doenças bucais sérias, como evolução da cárie, desde pequena, afetando sua saúde bucal ao longo da vida.

Quais os sintomas das cáries de mamadeira?

sintomas de cáries de mamadeira
Crédito: Freepik

Conforme explicam os especialistas, a cárie de mamadeira apresenta sintomas semelhantes às cáries em dentes permanentes, especialmente quando não tratada o quanto antes.

Dor

Toda cárie causa sensibilidade no dente quando está na primeira fase, apresentando as manchas brancas. Depois de que o dente fica preto e quebrado, com aparência de deteriorado, a cárie causa ainda mais dor.

Dificuldade para mastigar

Logo aos 6 meses de vida o bebê já pode começar a conhecer os sabores e texturas dos alimentos sólidos.

Mas como é que ele vai ter esse desenvolvimento se estiver com os dentinhos machucados? Não terá força nem vontade de usá-los para aprender a mastigar, logo, sua alimentação poderá ser prejudicada, além de impedir que ele tenha uma boa experiência com os alimentos, o que pode afetar sua alimentação ao longo da infância.

Mau hálito, inchaço e vermelhidão

Mesmo antes de as cáries deixarem o dente escuro é possível perceber que há algo errado. Quando o beber se queixar de dor, a doença já estará deixando a gengiva inchada e avermelhada, além de ser possível perceber o mau hálito na criança.

Tratamento para cáries de mamadeira

Caso o problema já esteja instalado na boca da criança, é preciso levá-la ao dentista para iniciar o tratamento, que vai depender do estágio da cárie e da idade da criança. Nos casos iniciais, o tratamento com produtos à base de flúor podem ajudar a reverter o quadro.

Já em casos mas graves, os tratamentos são semelhantes aos em adultos, como a restauração, o canal ou mesmo a extração do dente que já não pode mais ser salvo.

Além disso, os pais serão orientados a iniciar imediatamente a escovação dos dentes da criança todos os dias após as refeições principais, além de não deixarem o bebê ter o hábito de pegar no sono enquanto mama.

Como prevenir as cáries de mamadeira?

como prevenir as cáries de mamadeira
Crédito: Freepik

Como já mencionado, é muito importante que os pais sempre escovem os dentes da criança após cada refeição principal, além de não deixarem que o bebê pegue no sono enquanto mama, pois aquele tempo em que ele estará dormindo com a boquinha fechada será o momento de ataque das bactérias. Veja outros cuidados importantes:

  • Limpar as gengivas do bebê que ainda não tem dentinhos, sempre após cada mamada. Essa limpeza pode ser feita com uma gaze embebida em água;
  • Quando os primeiros dentinhos surgirem, começar a praticar a escovação com produtos próprios para bebês;
  • Evitar oferecer à criança alimentos extremamente açucarados, em especial os industrializados, como refrigerantes, balas e chocolates em excesso;
  • Não passar doces, como mel, na chupeta;
  • Manter uma alimentação saudável e equilibrada;
  • Dar o exemplo, escovando os dentes junto com a criança todos os dias, para que ela queira fazer essa atividade por conta própria e adquira o hábito;
  • Fazer visitas periódicas ao dentista para prevenir doenças bucais ou detectá-las logo no início e poder tratá-las sem causar danos sérios.