Você sabia que a cesárea pode mudar a evolução humana?

0
17622
impacto evolutivo da cesárea
Crédito: Pxhere

A polêmica entre parto normal e a cesárea cresce a cada ano. A cesariana, como é também conhecido esse procedimento cirúrgico, surgiu no século XVIII. Desde então tem sido responsável por salvar inúmeras vidas. Inicialmente deveria ser usada apenas em casos de gravidade, de necessidade real, que houvesse risco de mãe e de bebê morrerem no parto.

Nos últimos tempos, contudo, a cesárea se popularizou. Em alguns países, entre eles o Brasil, se tornou, inclusive, a principal via de nascimento. Isso divide opiniões entre os médicos. Alguns consideram a cesariana uma epidemia. Já outros defendem esse procedimento como o método mais seguro para que o parto ocorra sem problemas.

No Brasil, a cada 10 partos, 8 são cesarianas na rede particular

Um estudo recente realizado por pesquisadores austríacos veio para colocar mais fogo nessa polêmica. De acordo com esse estudo, cesárea pode mudar a evolução humana. Tudo começou a partir de um apontamento da Universidade de Viena, que diz que desde 1960 a quantidade de partos obstruídos aumentou em torno de 20%.

Cesárea pode mudar a evolução humana. Mas como?

evolução humana impactada pela cesárea

Primeiro é preciso entender o que são partos obstruídos. Eles ocorrem quando o bebê é muito grande para nascer. Isso acontece porque a cabeça da criança é realmente grande demais ou porque a pélvis da mãe é muito estreita. A partir disso é possível compreender que ao longo de toda a história humana isso era uma sentença de morte para mães e filhos.

Em termos de evolução, isso significa muito. As mulheres com pélvis muito estreitas ou bebês grandes demais estavam, aos poucos, sendo eliminados pela seleção natural. É a lei do mais forte. Sobrevive quem se adapta. Os genes carregados por esses indivíduos morriam com eles e não passava para as gerações seguintes.

A medicina evoluiu e com essa evolução surgiram as cesáreas. Desde o século XVIII elas são realizadas justamente para evitar que esses indivíduos não morram no parto. Em termos de evolução genética, essas pessoas morrerem significa seleção natural. Contudo, com propagação desenfreada das cesarianas, o cenário está mudando.

Há pelo menos 100 anos as mulheres com a pélvis muito estreitas não sobreviveriam de jeito algum. A partir das cesarianas, elas sobrevivem e passam seus genes “de pélvis estreita” para suas filhas. Além de as cesarianas interferirem nisso, elas interferem no tamanho dos bebês. Agora é cada vez mais incomum bebês com cabeça pequena.

Qual o real impacto das cesáreas na evolução humana?

cesárea pode mudar evolução humana

A ciência comprova que bebês maiores têm chances maiores de sobreviverem ao parto e depois dele. Afinal, eles são melhor nutridos e, portanto, mais fortes e resistentes. Por esse motivo há forte pressão de muitos médicos e especialistas da área para que as cesarianas continuem a ser realizadas no ritmo desenfreado atual.

Em termos de evolução humana, os estudiosos da Universidade de Viena acreditam que o impacto evolutivo das cesáreas não será tão forte quanto os dados sugerem. A tendência é que o número de partos normais em todo o mundo diminua a cada década, mas isso não significa que a médio ou mesmo a longo prazo eles deixem de existir.

Segundo um dos pesquisadores, Dr. Mitteroecker, a evolução humana é lenta e depende de inúmeros fatores. Ele afirma que a intenção do estudo não foi de criticar as cesarianas, mas sim de explicar que elas têm algum impacto evolutivo. Igualmente, esse estudo serve para ajudar a entender por que cada vez mais os bebês estão nascendo tão grandes.

Crédito das imagens: Pxhere

Fonte: PNAS