Cientistas descobriram que a inteligência é passada das mães, não dos pais

0
1513

Cientistas finalmente provaram aquilo que todas nós já sabíamos, a inteligência é passada das mães, não dos pais.

Pesquisas genéticas descobriram que as pessoas obtêm o seu registo de inteligência de seu gene X, o feminino.

As mães têm um impacto muito maior sobre a inteligência dos seus filhos do que pais. Os homens não vão gostar muito desta notícia.

Inteligência do pai vs inteligência da mãe

A maioria dos estudos baseia-se no papel dos cromossomas X e Y no desenvolvimento do bebe.

Para facilitar a leitura e a compreensão do restante dos resultados deste estudo ficam algumas dicas importantes.

Um cromossoma é uma estrutura semelhante a um fio que consiste em ácidos nucléicos e proteínas. Eles carregam informação genética.

Todo ser humano carrega um par de cromossomos em cada célula.

As mulheres têm dois cromossomos X.

Os homens têm um cromossomo X e um Y.

Existem genes condicionados, que são aqueles que são específicos de género.

As propriedades genéticas destes genes são ativadas ou desativadas dependendo da designação específica.

Os genes condicionados contêm um sistema de marcação, que é composto de material bioquímico.

Esse sistema de marcação permite duas coisas importantes: rastreamento do ponto de origem do gene e determinação de um estado ativado ou desativado dentro do corpo. Genes ativados influenciarão o desenvolvimento genético, enquanto os genes desativados não.

Se uma característica individual é influenciada pela mãe, os genes paternos são desativados. E funciona exatamente no sentido contrário.

O que Revela este estudo?

Teoricamente, as mulheres são mais propensas a influenciar a cognição, já que as mulheres possuem dois cromossomos X, enquanto os homens carregam apenas um.

Acredita-se que a inteligência seja um gene altamente condicionado, pela parte da mãe, ou seja, o do pai fica desativado.

Os cientistas descobriram que os sujeitos de testes embrionários que foram administrados predominantemente material genético materno desenvolveram um crânio e cérebro desproporcionalmente maiores.

Por outro lado desenvolviam um corpo muito menor.

Os indivíduos a quem administraram quantidades desproporcionais de material genético paterno desenvolveram um corpo maior, mas um crânio e cérebro menores.

Além do crânio e do tamanho do cérebro, os pesquisadores estavam a par de outras observações interessantes.

Eles identificaram seis áreas do cérebro que continham apenas genes maternos ou paternos.

Segundo, eles não encontraram nenhum material genético paterno dentro do córtex cerebral – a área do cérebro responsável pelo funcionamento executivo, como linguagem, planejamento, raciocínio lógico e pensamento avançado.

Os cientistas afirmam conclusivamente que o QI da mãe foi considerado o melhor preditor de inteligência.

A conclusão foi que as mães têm uma influência significativa nas habilidades cognitivas de seus filhos.

Para além disso, a alimentação da criança também influencia diretamente seu crescimento intelectual da criança. Esta é uma responsabilidade, maioritariamente, da mãe.

Fonte: http://hangover-cure.co.uk