Conheça a Síndrome de Hellp que pode matar a mãe e o bebê

0
2719

Ao descobrir que está grávida, a mulher fica feliz e ansiosa aguardando o novo membro da família. Entretanto nos nove meses que estão por vir pode acontecer muitas coisas boas, mas também ruins.

Geralmente, as mulheres não têm problemas em suas gestações, mas algumas são mais suscetíveis a contrair síndromes muito perigosas para elas e seus filhos. Entre os problemas que podem atingir as grávidas e seus filhos está a Síndrome de Hellp.

Síndrome de Hellp

A síndrome de Hellp é uma complicação que acontece quando a gestante está com pré-eclâmpsia, essa síndrome coloca em risco a vida da mãe e do bebê. A síndrome de Hellp causa insuficiência renal, edema agudo no pulmão ou problemas no fígado.

A síndrome de Hellp é confundida com a pré-eclâmpsia grave, porque tem sintomas parecidos, mas, essa síndrome tem um diferencial que é a dor no estômago.

Essa terrível complicação na gravidez pode ser tratada, mas para isso ela deve ser descoberta rapidamente. A má notícia é que pode ser necessário interromper a gravidez.

Sintomas da Síndrome de Hellp

  • Náuseas e vômitos;
  • Mal-estar geral;
  • Pressão arterial alta;
  • Alterações na visão;
  • Dor de cabeça

Quando uma grávida apresentar um ou mais sintomas dos listados acima, ela deve procurar imediatamente um médico, especialmente, se ela já sofre com pré-eclâmpsia, lúpus, diabetes ou problemas nos rins ou no coração.

Os sintomas da síndrome de Hellp aparecem no período da gestação, mas também podem ocorrer logo após o parto.

Como tratar a Síndrome de Hellp

Para tratar a síndrome de Hellp, é preciso que a grávida fique internada no hospital para que o obstetra acompanhe a evolução da gravidez.

O tratamento dessa síndrome vai depender do período gestacional da mulher. É comum que após as 34 semanas de gravidez, seja provocado o parto precoce, isso evita que a mulher morra e o bebê sofra.

Quando a mulher está com menos de 34 semanas de gravidez, o procedimento realizado é a aplicação de injeções de corticoesteroides no músculo, como a substância betametasona, para desenvolver os pulmões do bebê para que o parto possa ser adiantado. Quando a gestante tem menos de 24 semanas de gravidez, o tratamento pode não ser eficaz, sendo necessário interromper a gravidez.

A síndrome de Hellp é uma complicação muito grave na gravidez. Ela pode ser detectada com exames laboratoriais, por isso, é fundamental que a mulher faça um pré-natal completo para descobrir possíveis doenças em sua gravidez.

Portanto, a síndrome de Hellp é uma doença muito grave, que na maioria dos casos, a gravidez é interrompida e a mãe também corre risco de morrer. Quando descoberta no grau avançado, essa síndrome pode matar mãe e filho.