Conselhos para quem acabou de descobrir que está grávida

Parece que falta muito, mas não, é pra já

0
2686

Assim que o resultado da farmácia dá o positivo e confirma as suspeitas, um misto de dúvida, ansiedade e indecisão vai correr o pensamento das mães. Grávida! É, grávida. E muita coisa terá que ser ajeitada antes da chegada do bebê ou dos bebês, você ainda não sabe.

1. Calma

Diante de tanta pressa, primeira coisa a fazer é mesmo ter calma. É como dizem os antigos: “devagar, porque estou com pressa”.

Isso é necessário para esperar o tempo certo de cada exame, entre eles o que vai, definitivamente confirmar a gravidez.

O exame de farmácia embora considerado seguro, tem uma margem de erro relativamente alta, se comparado com o exame de sangue. Também é preciso esperar pelo exame de imagem, que é feito lá pela oitava e 12ª semana.

É quando aparece a atividade do coração do feto.

2. E o que fazer enquanto a confirmação não chega?

O ideal é interromper rotinas que podem prejudicar o bebê, como bebida, fumo e abuso de medicamentos.

Se a gravidez foi planejada, o uso de vitaminas já integra a rotina da nova grávida, mas caso isso seja uma surpresa, não é prudente tomar essa decisão sozinha.

Grávida ou não, uma dieta adequada é sempre a ideal. O cuidado fica por não usar alimentos
que prejudicam o feto, ter cuidado com carnes cruas e outros com potencial para provocar abortos.

No reforço da nutrição está o aumento do consumo de alimentos com proteína e cálcio. A hidratação não pode ser desprezada.

3. A confirmação veio. E agora?

É fazer um plano de ação com prazos e metas. Isso mesmo.

Defina a rotina do pré-natal e tudo o que o bebê vai precisar

4. É possível fazer exercícios?

Qualquer tipo de atividade física, mesmo para quem já praticava, depende do consentimento do médico.

É por isso que o pré-natal precisa começar o mais rápido possível. Assim que houver o aval do médico, a rotina de exercícios é determinada para cada mulher individualmente.

5. Como fica a diversão?

Gravidez não é doença. A mulher grávida não precisa se privar.

6. E dos direitos trabalhistas?

Isso depende da forma de contrato. Mulheres que trabalham por contra própria precisam recolher ao INSS. As informações estão na página: www.previdencia.gov.br

Para as que trabalham como contrato, também há a legislação específica para o pré-natal, a licença a maternidade e licença amamentação.

Relacionado: 13 direitos assegurados às gestantes que estão no mercado de trabalho

7. Seu médico deve ser seu aliado.

Tire todas as dúvidas que puder com o seu médico. Você estará em um momento de fragilidade, e isso quer dizer que não pode ter qualquer tipo de problema com o profissional.

Se for preciso, troque. Você precisa estar absolutamente confortável com seu profissional de pré-natal.

8. Procure outros profissionais além do médico.

Doulas, parteiras e enfermeiras podem ser aliadas sobre dúvidas relacionadas à conduta dos cuidados com a gravidez, o nascimento e o puerpério.

Relacionado: O direito de toda mulher a um parto humanizado

9. Economize, economize e economize.

Puxa, é um momento único, não importa quantos filhos terá. Por isso, a melhor forma de ter tranquilidade para aproveitar bem é não gastando mais do que pode e guardando algo para imprevistos.