“A criança mais feliz de todas” é adotada por um casal homossexual

Conheça essa história comovente e feliz!

0
4627

Um simples trabalho escolar viralizou nas redes sociais. Em março de 2017, o menino João Vitor, de 11 anos, fez um texto sobre como seria o dia a dia da criança mais feliz do mundo. No trabalho, João decidiu contar a sua própria vida e afirmou: “Eu sou a criança mais feliz de todas”.

Adoção transforma criança triste em um menino muito falador

Essa história feliz começou em fevereiro de 2016 quando João conheceu os seus dois pais: Marcelo Pereira e Fernando Luiz. Há mais de 1 ano que a criança vivia num orfanato, aguardando ansiosamente pelo momento da adoção: “Ele receava nunca mais sair do orfanato, porque apenas os bebês e os meninos com menos idade é que estavam sendo adotados”, explica Fernando.

Felizmente, esse tempo de espera terminou. “Nós tínhamos vontade de aumentar o nosso núcleo familiar. Nos últimos meses de 2014, surgiu essa hipótese e fomos saber como um casal homossexual podia adotar uma criança”, conta o microempresário. “Planejamos adotar aquelas crianças que não costumam ser a prioridade: os irmãos, que não podem ser adotados separadamente, e as crianças com mais idade, mas até aos 8 anos”, relembra.

João receava nunca mais sair do orfanato, porque apenas os bebês e os meninos com menos idade é que estavam sendo adotados

Mas o coração falou mais alto quando viram João pela primeira vez. Tinha acabado de fazer 10 anos. “Realmente, ele não correspondia àquilo que tínhamos planejado. Mesmo assim, decidimos conhecê-lo. O João era uma criança inexpressiva. A sua fisionomia era triste, mas nós sentimos que ele gostou da gente, porque quis saber logo se nós íamos regressar. No outro dia, fomos novamente ao orfanato. As visitas foram ficando cada vez mais frequentes e começamos a ver o João diariamente”, recorda Fernando.

Após 15 dias de visitas sem interrupções, João passou uma noite na casa dos dois. Um mês depois, Marcelo e Fernando obtiveram a guarda do menino. Agora, João é uma criança feliz e muito faladora. Enfim, agora João é “a criança mais feliz do mundo”.

Leia a redação escolar de João

“Antes, eu vivia sozinho com o meu pai. Mas um dia ele faleceu e, como ninguém me queria, fui para um orfanato. Depois de muito tempo, eu conheci dois pais do mesmo gênero, que gostaram de mim. Me adotaram e, desde aí, eu sou muito feliz. Vivo com muito amor desde esse momento. Sou uma criança feliz, que dá e recebe amor. O nosso dia a dia é repleto de brincadeiras, de diversão, de apoio nos momentos difíceis… Não me envergonho de ser adotado. Adoro a minha vida, a minha família. A minha outra família não gostava de mim e eu não era feliz. Mas agora não. Agora, eu sou a criança mais feliz de todas. Do João para os meus dois pais homens de quem eu gosto tanto”.

Essa redação surpreendeu o casal. “Quis que ele lesse em voz alta. O Marcelo chorava, eu também… Divulguei nas redes sociais, porque mexeu muito comigo”, conta Fernando.

O casal já está planejando adotar 3 irmãos e com uma idade próxima do João: “Ele sempre diz para as pessoas adotarem as crianças com mais idade. Todas querem pertencer a um lar. Todas querem ser felizes”.

Relacionado: Homem e criança sem relação biológica são, sem dúvida, pai e filha

Assista a esse vídeo para conhecer melhor a história dessa família feliz:

Achou essa história interessante e comovente? Compartilhe!