8 decisões que toda a gestante deve tomar com antecedência

Vacinar ou não a criança? Comer ou não a placenta? Esses são apenas alguns dos principais dilemas que as mamães atravessam

0
4904

Nas primeiras horas após o nascimento dos bebês, as mães devem tomar importantes decisões. E isso pode ser intimidante, a não ser que você planeje tudo o que deve fazer nos momentos que se seguem ao parto.

Em que questões você deve refletir antes do nascimento do bebê?

1. Pediatra

Escolher um pediatra para o seu recém-nascido é uma decisão relevante, porque você vai passar horas e horas com esse médico nas primeiras semanas de vida do bebê. Muito provavelmente, a maternidade vai pedir que você escolha o pediatra mesmo antes de sair do hospital.

O plano de saúde, os horários das consultas e o jeito de trabalhar e de pensar do pediatra são alguns fatores importantes para a melhor escolha do profissional. Por exemplo, há pediatras que não aceitam mães que se recusam a vacinar os bebês.

Daí que seja tão relevante escolher o médico logo durante o 3º trimestre de gestação, para que haja tempo suficiente para você conhecer pessoalmente o pediatra e se sentir confiante com a sua escolha.

2. Amamentação

Decida se você quer ou não dar o peito ao bebê – se for possível, claro. Se quiser, aproveite para saber tudo sobre o aleitamento materno durante a gravidez. Saber o que esperar da amamentação – e onde procurar ajuda – é essencial para ultrapassar os problemas que possam surgir com a lactação no decorrer das primeiras semanas.

Mesmo assim, se surgir alguma dúvida no próprio dia do parto, você sempre pode pedir ajuda a uma enfermeira especializada em aleitamento.

3. Circuncisão

Você deve decidir se quer que o seu bebê seja ou não circuncisado. A circuncisão é uma intervenção cirúrgica que retira completamente o prepúcio. Antes de tomar uma decisão, pergunte ao seu médico quais são os benefícios da circuncisão, como a menor probabilidade de desenvolvimento de doenças (câncer no pênis, infecções urinárias…). Descubra ainda as suas desvantagens, como a hemorragia.

De acordo com a American Academy of Pediatrics, existem mais vantagens do que riscos, mas a diferença não é suficiente para recomendar completamente a circuncisão.

Além disso, você deve tomar a decisão que julga ser a melhor para o seu bebê.

4. Adiar o corte do cordão umbilical

Aguardar alguns segundos até cortar o cordão umbilical, permitindo que uma maior quantidade de sangue circule da placenta para o bebê, pode trazer importantes benefícios para a saúde da criança, como um menor risco de anemia nos primeiros seis meses.

Segundo o American Congress of Obstetricians and Gynecologists, adiar o corte do cordão entre, pelo menos, 30 a 60 segundos diminui a probabilidade de desenvolvimento de riscos de saúde para o bebê. Fale com o seu médico com antecedência, mas saiba que o dia do nascimento pode ser completamente diferente daquilo que foi planejado.

“Fale com o seu médico com antecedência, mas saiba que o dia do nascimento pode ser completamente diferente daquilo que foi planejado”

5. Preservar células-tronco

Muitos pais estão optando pela preservação das células-tronco, que poderão ser úteis para qualquer problema de saúde das crianças. Mais uma vez, você deve tomar essa decisão com tempo (normalmente, nas 35 semanas de gestação): caso você queira preservar essas células, deve receber um kit que terá de levar na hora do parto, para a equipe médica fazer a recolha do material.

Decida ainda se quer doar o sangue do cordão umbilical para um banco público ou pagar para armazenar esse material num banco privado para uso familiar. Reflita sobre as vantagens e custos e fale com o seu médico.

6. O que fazer com a placenta

Se você pretende comer a placenta, por exemplo, fique sabendo que diferentes maternidades têm diferentes políticas relativamente ao consumo desse órgão, incluindo a forma como a placenta é removida ou transportada. Fale com o hospital para conhecer todos os procedimentos.

7. Medicação

Em alguns casos, antes de sair da maternidade, o seu bebê deve tomar um antibiótico (normalmente, eritromicina) para os olhos. Desse modo, a criança é protegida contra qualquer bactéria a que possa estar exposta, o que até poderia causar cegueira ou outros problemas na sua visão. Pode ser dado também uma injeção de vitamina K nas coxas, para evitar a carência desse nutriente. Caso contrário, o pequeno pode sofrer de um quadro de hemorragia.

Será que você tem liberdade para recusar essa medicação? Mais uma vez, cada maternidade pode ter políticas diferentes. Por isso, fale com o seu médico.

8. Vacina para a Hepatite B

Normalmente, os bebês recebem a sua primeira dose de vacina (Hepatite B) juntamente com a injeção de vitamina K. Se você optar por não vacinar o seu filho ou prefira adiar, fale com o seu pediatra com antecedência.

Se você ainda tem mais dúvidas, faça uma visita à maternidade onde vai dar à luz ou se inscreva num curso de pré-natal para conhecer outras decisões importantes que você deve tomar no grande dia.

Relacionado: Foi mamãe recentemente? Então esclareça as suas dúvidas sobre o período do pós-parto!

Assista a esse vídeo para refletir sobre uma das primeiras decisões que você deve tomar para o seu bebê – vacinar ou não a criança:

Curtiu essa matéria? Então, compartilhe!