Discriminação no trabalho contra mães

Uma história que demonstra as dificuldades das mães no mercado de trabalho

0
601

Sonia Tomiyoshi, mãe de 2 filhos, desabafa online sobre o seu caso de discriminação no mercado de trabalho. Esse desabafo em um grupo do facebook, e foi recebido com muitas mensagens de apoio e histórias semelhantes.

Sónia candidatou-se a um emprego e, após 2 meses, e ter passado em todas as etapas, foi-lhe dito que mesmo sendo a melhor candidata, o fato de ser mãe lhe custou o trabalho. Sonia ainda disse que tinha babá e família que lhe puderiam ajudar com os filhos, mas a decisão se manteve. Até mesmo a recrutadora achou triste a decisão da diretoria de negar o direito ao emprego às mães.

Um estudo realizado nos EUA demonstra que homens tem até 3 vezes mais chances de obter emprego que uma mãe.

Fernando Castro Neves, advogado em direito trabalhista, afirma o que já está presente na constituição federal. Toda e qualquer diferencia no salário e salário baseada no gênero, idade, raça e números de filhos é ilegal. E que esses casos devem ser denunciados ao Ministério Publico do Trabalho, mesmo sendo uma denuncia anónima. O único problema é mesmo encontrar provas de tal discriminação, visto não existir qualquer tipo de prova física que o demonstre.

O fato de a história de Sonia ter sido recebida com tanto apoio e histórias semelhantes apenas mostra que não é a única. Milhares de mulheres mundialmente sofrem de discriminação. Um estudo realizado nos EUA demonstra que homens tem até 3 vezes mais chances de obter emprego que uma mãe.

Sonia vai continuar a procura de emprego, e decidiu não apresentar queixa contra a empresa, pois ela realizou o objetivo de trazer para discussão esse caso lamentável. Sonia ainda declara que o fato de o mercado de trabalho favorecer os homens é algo triste e precisa de evoluir. Pois ser mãe apenas faz com que elas dêem 110% pelo bem dos seus filhos.

E você, já passou por algo semelhante?