Dor do crescimento: o que é, sintomas e tratamento

0
3733
dor do crescimento
Crédito: Freepik

Quantas vezes seu filho pequeno já chegou se queixando de dores nas pernas, atrás do joelho ou até nos braços, sem causa aparente? Pois saiba que a dor do crescimento pode afetar qualquer criança, deixando sinais difusos da sua presença, o que leva os pais a pensarem que as queixas não passam de manha.

Pois saiba que não é nada disso! De acordo com o pediatra Clovis Artur Almeida Silva, em entrevista a EBC, entre 10% e 20% das crianças podem apresentar essa dor, atingindo a faixa de até 8 anos de idade, podendo passar um pouquinho. Se os pais sentiram o mesmo incômodo quando eram pequenos, as chances de que seus filhos também tenham aumentam bastante.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), “as dores noturnas recorrentes em membros são benignas e recebem o nome de dor de crescimento. Na realidade, não existe relação com nenhuma fase do crescimento físico, mas este termo foi consagrado pelo uso e ainda é utilizado nos dias atuais”.

Mesmo que não seja algo maligno, deve-se procurar um médico para eliminar a possibilidade de outros problemas. O mais importante é não ignorar o pedido da criança, achando que se trata de dengo ou necessidade de chamar a atenção.

Sintomas de dor do crescimento

dor do crescimento sintomas
Crédito: Freepik

Alguns sintomas são típicos da dor do crescimento e podem ser observados em grande parte dos casos do problema. Saiba quais são as principais dores.

Coxas

As coxas podem começar a doer sem qualquer sinal de fadiga ou estresse físico. A dor aparece normalmente nas duas pernas, igualmente, podendo em casos raros aparecer somente em uma. É uma dor uniforme e constante, ou seja, ela não dá pontadas, torções ou similares além de ter a mesma gravidade durante todo o período, seja durante o dia ou até o final do problema.

Panturrilhas

Também as panturrilhas podem ser alvo da dor de crescimento, sendo muito mais evidente quando a criança tem que subir escadas. Acontece em ambas as pernas, com intensidade constante. É muito incômoda, principalmente para crianças que não ficam quietas.

Canelas

Podem ocorrer episódios de dores nas canelas, não sendo necessariamente essa dor, fixada em um único ponto do corpo. Ela pode variar de acordo com os dias, podendo inclusive atingir os membros superiores, porém são casos muito mais raros. A dor nas canelas pode ser percebida ao andar e até mesmo quando paradas.

Joelhos

Uma das queixas mais comuns, as dores na parte posterior do joelho também prejudicam a movimentação da criança, doendo muito à noite, principalmente na hora de dormir. Ela faz com que atividades antes divertidas passem a não constar mais na lista de brincadeiras, como andar de bicicleta ou jogar bola.

Causas

Ela também pode ter uma origem emocional, sendo algumas vezes associadas ao estresse na escola ou até mesmo em casa, quando em situações de conflito familiar. Para evitar, procure conversar com a criança e saber o que está acontecendo no colégio. Também evite discussões e brigas na frente da mesma, mantendo um ambiente seguro e saudável.

O fator genético também é importante e influencia. Analisando o histórico familiar, pode-se encontrar até 47% dos parentes em primeiro grau que apresentaram o problema, quando pequenos.

Quando aparece?

dor do crescimento quando aparece
Crédito: Freepik

Costuma surgir entre dois e oito anos de idade, podendo ter variações. Normalmente é confundida com necessidade de chamar a atenção, exatamente por passar pela fase de querer colo, quando a criança pode não querer desgrudar dos braços dos pais.

Épocas mais frias também tendem a desencadeá-la ou até mesmo agravar, tornando o problema menos suportável. Da mesma forma, é mais comum acontecer de tardezinha para a noite, podendo inclusive acordar a criança de madrugada.

Normalmente não tem manifestações diárias de dor, sendo casos esporádicos. Ela pode levar desde alguns dias para aparecer novamente, como até semanas ou meses. Fatores que impulsionam também são o estresse, frio e cansaço físico intenso.

Tratamento

O tratamento é simples, fácil, barato e faz bem não somente para o corpo, mas também para a mente e, porque não dizer, para o coração. Dê atenção à criança quando ela reclamar da dor e procure aliviar a mesma com uma massagem ou até mesmo compressas quentes na região.

Massagear a região vai fazer com que o sangue circule melhor, aliviando a dor. Além disso, ajuda a relaxar naqueles dias de estresse, fazendo com que passe mais rapidamente. Claro que uma boa alimentação, hidratação e atividades físicas moderadas fazem toda a diferença também para esses casos.