Engravidar com o DIU é raro, mas acontece

Recém-nascido segura o dispositivo e foto viraliza

0
4411

“Fracasso do Mirena”. Foi essa a frase posta pela norte-americana Lucy Helein assim que seu filho nasceu.

O DIU (Dispositivo Intra-Uterino) não evitou a gravidez e foi encontrado na placenta. Para não perder a ironia, a mãe postou uma foto do pequeno segurando o dispositivo.

A criança nasceu com 4,11 quilos e a foto foi feita na sala de parto. Dexter, além de não ter sido planejado, nasceu antes do tempo.

Era esperado para 4 de maio. Agora, a mãe fez uma laqueadura para evitar uma nova gravidez.

O que a foto de Dexter demonstra é a prova de que o DIU é um método que falha

A taxa é pequena, não passa de 2%, mas isso não quer dizer que não exista. O problema é que a gravidez com o DIU é arriscada e pode haver complicações.

Entre os riscos da gravidez com o DIU estão:

1. Aborto espontâneo;

2. Parto prematuro;

3. Possibilidade de ruptura da bolsa amniótica do quinto ao oitavo mês de gestação;

4. Risco de carioamnionite (inflamação das membranas fetais).

Quais são os sintomas de uma gravidez com o DIU?

Os mesmos de uma gestação normal. Há alterações hormonais e a menstruação é interrompida.

É possível retirar o DIU após constatada a gestação?

Nem sempre. Antes da 12ª, se o fio do dispositivo for visível, a possibilidade é maior. Depois disso fica arriscado.

A gravidez com o DIU precisa de cuidados especiais?

Sim. O médico responsável vai monitorar toda a gestação e ficar atento à necessidade de contornar possíveis problemas.

O DIU causa problemas ao feto?

Não necessariamente. Os riscos são o de aborto. Não há possibilidade de problemas teratogênicos.

Por que o DIU não é 100% seguro?

Nenhum método contraceptivo é 100% seguro. Até mesmo a cirurgia de laqueadura pode ser falha e haver gravidez. Nesses métodos definitivos, contudo, as chances de concepção são muito pequenas, mas acontecem.

Relacionado: A pílula não é um método totalmente seguro