Ensaio fotográfico com seringas

Porque razão foi essa bebê fotografada com 205 seringas? Fique conhecendo essa história de superação!

0
1560

Um ensaio fotográfico é um jeito muito popular de fixar no tempo os primeiros dias de vida de um bebê. No caso da pequena Hellena, o que vai ficar para a posteridade reflete uma parte importante da sua história.

A simbologia de um ensaio fotográfico com 205 seringas

Para que a bebê Hellena pudesse vir ao mundo sua mãe, Aurilane de Oliveira, teve que sofrer bastante! Durante a gestação foi diagnosticada com endometriose e trombofilia, o que lhe valeu uma média de uma injeção por dia para poder enfrentar a situação. De um total de 235 seringas, 205 foram usadas no primeiro ensaio fotográfico de sua filha.

Não tem melhor jeito de avançar na vida do que assumir nossos desafios e dificuldades

A primeira sessão fotográfica da bebê Hellena foi isso mesmo. Um ato simbólico, que celebra a luta e o sacrifício de sua mãe.

Aos 23 dias de vida, a recém-nascida foi fotografada pela fotografa carioca Glória Marie com um adereço muito especial. As seringas da medicação que sua mãe foi forçada a tomar, para que o seu nascimento se viabilizasse. Dito assim, parece coisa agressiva, não é? Mas as seringas foram dispostas em formato coração. Nenhuma outra imagem podia ser mais flagrante do amor que une essa mãe a essa filha.

Seringas são prova de um ato de superação

ensaio fotográfico com seringas

O ensaio teve lugar em Rio Branco, cidade onde habita esta bela família de lutadoras. O método da fotografa implica que as crianças estejam dormindo, para captar esse aquele ar pacífico e suave dos primeiros dias. Em alguns casos pode tornar-se um pouco complicado. Nem todos os bebês têm sono pesado! Foi o que se passou com a pequena Hellena, que exigiu um pouco mais de paciência e atenção.

No final, o resultado não poderia ter sido mais positivo! Não é maravilhoso como em uma imagem pode estar concentrada toda a história de superação e força de vontade dessa mãe? A fotógrafa não esconde o orgulho em seu trabalho. “A Aurilane já tinha sido fotografada por mim na gestação. As seringas fazem parte da sua história, nada mais justo fazerem parte do cenário”, revela.

A história de Aurilane

Faz cinco anos desde que Aurilane foi diagnosticada com esses problemas. Seguiu-se uma cirurgia e muita dificuldade em conseguir levar avante uma gestação. Em 2013 conseguiu engravidar, mas acabou perdendo o bebê, culpa de uma anomalia no sistema de coagulação. Por isso, mal soube que estava grávida da pequena Hellena, deu início aos tratamentos. A cada uma das injeções que teve de tomar todo o santo dia corresponde um anticoagulante, para evitar o entupimento das veias. O ensaio fotográfico é o seu jeito de celebrar esse sacrifício que não hesitaria em repetir. Afinal, “é uma dádiva muito grande conseguir ter nossa filha, que veio com um estado de saúde perfeita”.

Relacionado: Colestase: uma doença complicada e muito perigosa que pode ocorrer durante a gestação

Compartilhe essa história maravilhosa!