Gravidez anembrionada: saiba o que é e como descobrir

0
243
Gravidez anembrionada
Crédito: Freepik

Com o avanço da medicina, muito se descobriu sobre as possíveis causas de uma gravidez que não dá certo. As tentantes que o digam. Por exemplo, existem casos como a gravidez anembrionada que traz uma sensação momentânea de fracasso, mas que aumenta ainda mais a determinação pela realização do sonho de ser mãe. Se você nunca ouviu falar sobre esse tipo de gestação, veja os detalhes a seguir.

O que é gravidez anembrionada?

Também chamada de gravidez anembrionária, essa é uma das anormalidades que podem ocorrer no primeiro trimestre de gestação. O que acontece nesse tipo de gestação é que mesmo ocorrendo a fecundação do espermatozoide no óvulo e a formação do saco gestacional, não se forma um embrião, que é a sementinha que vai se transformar em placenta e bebê. Essa condição é causada por erros nos cromossomos e, então, a gestação que se iniciou logo termina.

Gravidez anembrionária dura quantas semanas?

A média de duração da gravidez anembrionária é de 8 semanas. Passado esse tempo, a mulher elimina o saco gestacional por meio de um sangramento que é considerado um aborto espontâneo.

Como identificar uma gravidez anembrionada?

como identificar a gravidez anembrionada
Crédito: Freepik

É complicado identificar precocemente uma gravidez sem embrião porque ela faz a mulher ter os mesmos sintomas de uma gestação com embrião. Inclusive, o teste de gravidez de farmácia e o de laboratório apontam positivo, a menstruação é interrompida, ela sente os enjoos e os demais sintomas de uma gravidez.

Como esse tipo de gestação tem uma duração média de 8 semanas, para detectá-la é recomendado que se faça um exame de ultrassom a partir da 7ª semana. Em uma gestação normal, o embrião já pode ser visto no ultrassom a partir da 6ª semana, por isso, ao realizar o exame depois desse tempo, o embrião não será visualizado, caracterizando a gravidez anembrionada.

Ainda assim existe a chance de que o embrião esteja lá, só que seja tão pequeno que o exame não mostre. Por isso é comum realizar mais um ultrassom depois de alguns dias até que se tenha a certeza.

Gravidez anembrionada sintomas

Além do exame de ultrassom que identifica a ausência do embrião, também é possível que a mulher tenha febre e pequenos sangramentos. Esses sintomas podem indicar outros problemas, claro, mas servem como indicativo de que o ginecologista deve ser consultado.

O que fazer?

Quando o ginecologista faz o ultrassom no período entre a 6ª e a 8ª semana e não identifica o embrião, ele poderá recomendar as seguintes ações:

Aguardar o aborto espontâneo

Como é uma ação natural do organismo expelir o saco gestacional vazio, a mulher pode aguardar que o aborto espontâneo aconteça.

Uso de medicação para abertura do colo

Se confirmada a gestação anembrionada e a mulher não quiser aguardar pelo aborto espontâneo, ele poderá ser induzido com medicação orientada pelo médico.

Limpeza uterina

Seja por aborto espontâneo ou induzido é importante que a mulher siga as orientações do médico para fazer uma limpeza interna de seu útero por meio de uma aspiração ou da curetagem que é a raspagem uterina. Esses procedimentos são feitos no hospital e visam limpar do útero os restos do saco gestacional para evitar possíveis complicações na saúde da mulher, como infecções ou dificuldade para tentar engravidar de novo.

Pode acontecer mais de uma vez?

É raro que uma mulher tenha mais de uma gravidez anembrionada, mas não é impossível. Caso ela esteja tentando engravidar, o médico para todos os exames necessários para descobrir a causa do problema e realizar o melhor tratamento.

Caso a mulher tenha passado por uma gestação como essa, recomenda-se que aguarde um período de pelo menos 3 ciclos menstruais para tentar engravidar de novo, em especial se tiver passado pela curetagem para que o útero tenha tempo de se recuperar.

É possível prevenir?

como prevenir gravidez anembrionada
Crédito: Freepik

Falar sobre prevenção da gravidez anembrionária é complicado porque, a princípio, a causa é cromossômica, então não tem como evitar. Mas é possível que o casal tome medidas para melhorar sua saúde na intenção de prover óvulos e espermatozoides mais fortes e saudáveis.

Essas medidas estão diretamente ligadas a uma alimentação de boa qualidade, rica em vitaminas do complexo B, carnes, vegetais verde-escuros, oleaginosas, frutas, verduras, leguminosas, sementes, cereais integrais e legumes.

Também é importante que o casal tentante se mantenha em acompanhamento médico, realizando exames para prevenir doenças e manter o sistema reprodutor saudável para uma nova gestação, dessa vez com sucesso.