História da Chapeuzinho Vermelho para contar às crianças

0
302
História da Chapeuzinho Vermelho
Crédito: Freepik

Os anos passam, mas os contos infantis estão sempre presentes, passando de geração em geração. Mesmo com poucas lembranças, os pais sabem que, quando crianças, já ouviram histórias como as dos Três Porquinhos, João e o pé de feijão, João e Maria e, claro a história da Chapeuzinho Vermelho.

Então, se você deseja transmitir aos seus filhos a gostosa sensação de ouvir histórias contadas pelos pais, relembre agora a história da Chapeuzinho Vermelho para contar a eles.

Veja também: como montar um quarto montessoriano para seu filho

História da Chapeuzinho Vermelho

História da Chapeuzinho Vermelho
Crédito: Freepik

Era uma vez uma linda menina, que morava com sua mãe, numa bela casinha. Ela sempre usava uma capa com um chapeuzinho bem vermelho.

Certo dia, sua mãe pediu que ela fosse levar uma cestinha de doces para sua vovó:

– Chapeuzinho, evite o caminho da floresta que é perigoso, vá pelo bosque e não fale com estranhos.

Chapeuzinho adorava sua avó, e saiu em disparada, cantando de alegria. Queria fazer uma surpresa para a vovó e começou a colher as flores que encontrava no caminho.

A menina estava distraída com as flores, quando deu de cara com o lobo mau. Ela não sabia que ele era o lobo malvado, mas não se assustou e nem sentiu medo.

– Bom dia, Chapeuzinho Vermelho.

– Bom dia.

– Aonde você está indo assim tão cedinho?

– Vou visitar minha vovozinha, que está muito doente.

O lobo, como era muito esperto, disse a ela bem depressa:

– Por que não vai pela floresta, que é bem mais perto?

Ela ficou em dúvida, porque não gostava de desobedecer sua mãe, mas resolveu seguir o conselho do lobo. Enquanto Chapeuzinho seguia pelo caminho da floresta, o lobo rapidamente seguiu pelo bosque, cantando e correndo.

O lobo chegou na casa da vovozinha e bateu na porta:

– Quem está aí? — Perguntou a velhinha.

O lobo respondeu, disfarçando a voz:

– Sou eu, Chapeuzinho Vermelho.

– Entre minha querida, a porta está aberta.

O lobo, que era muito rápido, foi entrando e de uma só vez engoliu a vovozinha. Depois vestiu as roupas dela, e ficou  esperando a Chapeuzinho Vermelho.

Chegando na casa da vovó, ela encontrou o lobo e perguntou:

– Vovó! Por que suas orelhas estão tão grandes?

– É para te ouvir melhor.

– Vovó! Para que esses olhos tão grandes?

– É para te ver melhor.

– Credo vovó, por que a senhora está com essa boca tão grande?

– É para te comer! — respondeu o lobo.

Dizendo isso, o lobo começou a correr atrás de Chapeuzinho. Depois de algum tempo ele tropeçou e caiu no chão. Enquanto isso a menina se escondeu dentro de um velho armário.

O lobo resolveu dar uma cochilada e começou a roncar. Um caçador que passava escutou:

– Que ronco esquisito é esse?

Ele entrou e encontrou o lobo:

– Ah! É você que está aí, seu malvado!

Escutando isso, Chapeuzinho apareceu e contou toda a história para o caçador. Aproveitando que o lobo estava dormindo, cortaram a sua a barriga e tiraram a vovozinha de dentro.

As duas se abraçaram muito felizes.

– E agora, o que faremos com esse malvado?

Os três resolveram encher a barriga do lobo de pedras. Quando o lobo acordou, tentou fugir, mas ele caiu e nunca mais levantou. Todos ficaram aliviados e felizes.

O caçador foi embora, e as duas foram se sentar na varanda e saborear os doces. Chapeuzinho prometeu nunca mais desobedecer a sua mãezinha.

A importância dos contos infantis no desenvolvimento das crianças

importância das histórias
Crédito: Freepik

Contar histórias de contos de fadas para as crianças é uma atividade importante desde que elas nascem, por muitos motivos. Escolher um momento tranquilo do dia para ler histórias ao seu filho é estreitar o laço entre vocês.

Certamente, esses momentos estarão na memória dele por muitos anos, remetendo a sentimentos positivos.

Mas, além desse benefício, segundo o Portal Educação, há inúmeros outros relacionados à contação de histórias. Veja alguns deles e comece a separar livrinhos de histórias para vivenciar bons momentos com os pequenos.

Veja também: 4 dicas para o desenvolvimento do seu filho

Estimula a fala

Desde os últimos meses de gestação o bebê já pode ouvir o mundo exterior. Ele começa a conhecer as vozes que o cercam. Quando nasce, começa a observar também o que acontece ao seu redor.

Ele vai assimilar os movimentos faciais dos pais com os sons que saem da boca deles e, assim, vai começar o seu aprendizado da fala.

A contação de histórias é um excelente método para estimular ainda mais o aprendizado da fala, pois é um momento em que a criança pode se concentrar na voz e nos movimentos faciais sem interrupção.

Estimula a alfabetização

Conforme a criança vai crescendo, aprende as palavras e também vai aprendendo o alfabeto, em casa mesmo.

Então, nessa fase, é interessante que as histórias sejam contadas com livros físicos nas mãos para que os pequenos possam ver as palavras escritas e, quem sabe, arriscarem as primeiras leituras.

Quanto mais contato eles tiverem com os livros físicos, melhor. Até mesmo porque os livros infantis são ilustrados, então vão ajudar a criança a entender melhor a história, pois vai saber o que imaginar naquele momento.

Veja também: jogos educativos para alfabetizar as crianças

Trabalha a memória

A memória da criança é trabalhada o tempo inteiro, mas existem formas de estimulá-la ainda mais, como a contação de histórias.

Ao ouvir as mesmas histórias, dia após dia, elas vão ficando gravadas na memória e mantendo-a em constante exercício, o que vai ajudar a memorizar outras informações ao longo do dia e a saber explicar melhor o que se lembra, quando quiser contar a outra pessoa.

Desperta e ajuda a expressar os sentimentos

As histórias infantis abordam, de forma leve e lúdica, todos os sentimentos bons e ruins de uma pessoa. Por isso, os especialistas enfatizam que, através das histórias, as crianças podem compreender melhor o que é o amor, a alegria, a raiva, a tristeza e o arrependimento, por exemplo.

Quando elas quiserem expressar esses sentimentos aos adultos, podem utilizar as histórias como referência, mesmo quando ainda não possuem vocabulário e capacidade cognitiva o suficiente para explicarem o que sentem.

Estimula a criatividade e a resolução de problemas

Quanto mais ouvem histórias e as memorizam, mais as crianças começam a criar suas próprias histórias, especialmente na primeira infância, quando ainda não sabem distinguir o mundo real da fantasia.

Essa é uma boa fase para que elas explorem sua criatividade, mesmo sem saberem que o estão fazendo.

Além disso, os contos infantis sempre trazem um problema a ser resolvido, então, os pais podem aproveitar o momento após a história para instigar a criança a pensar sobre o que mais o personagem poderia ter feito para resolver o seu problema.