Introdução alimentar do bebê: o que oferecer?

Veja os cuidados que deve ter e quais alimentos pode oferecer ao bebê.

Foto: Freepik

Quando o seu bebê completar 6 meses de vida, você poderá fazer a introdução alimentar para que ele comece a conhecer outros sabores, aromas e texturas, além do leite materno.

Publicidade

Percebe como isso é importante? Os primeiros contatos do seu filho com outros alimentos vai determinar muito sobre os gostos dele no futuro. Então, faça uma introdução alimentar caprichada e cuidadosa.

Hoje você vai saber qual é a importância da introdução alimentar, dicas para fazer da melhor forma possível e quais alimentos podem ser oferecidos ao bebê – sempre com acompanhamento do pediatra, que é essencial!

Publicidade

Veja também: 7 Benefícios Incríveis Do Leite Materno Para A Mãe E Seu Bebê

A importância da introdução alimentar

Mesmo que, aos seis meses de vida, um bebê não guarde memórias claras sobre cada momento vivido, essas memórias vão ficar em algum lugar servindo de base para as outras experiências de vida e a forma como ele vai se relacionar com isso depois que crescer.

Por exemplo, pode ser que você não tenha ideia do motivo pelo qual odeia comer aveia. Mas, pode ser que lá na sua infância, você tenha tido uma experiência horrível comendo aveia, seja porque prepararam do jeito errado, porque você se engasgou com a comida ou porque o ambiente em que você estava era desagradável. Já parou para pensar nisso?

Publicidade

Então, pense em todos esses aspectos na hora de proporcionar a introdução alimentar ao seu bebê: a experiência completa é bem importante.

Não só o alimento deve estar bem preparado, mas você deve estar pronto para esse momento, com paciência e compreensão, e o ambiente deve estar adequado para o bebê prestar atenção somente na prova do alimento.

Uma introdução alimentar bem-sucedida vai ajudar muito para que seu filho tenha boas experiências e uma relação saudável com os alimentos ao longo da vida.

Publicidade

Escolhendo a cadeira, o prato e os talheres

Outro cuidado bem importante para a introdução alimentar é escolher o cadeirão onde seu filho vai sentar com conforto, o pratinho e a colher que ele vai usar para aprender a comer sozinho e experimentar os alimentos pela primeira vez.

Desde cedo é importante que o bebê aprenda a se sentar “na mesa”, em uma cadeira com apoio para os pés e os bracinhos, com o pratinho em sua frente e uma colher para aprender a usá-la, mesmo se preferir comer certos alimentos com as mãozinhas.

Permita que o bebê fique à mesa junto com a família na hora da refeição para que se acostume com esse momento e tenha outras experiências visuais e olfativas com alimentos diferentes, mesmo que não possa comer de tudo ainda.

Publicidade

Deixe que o bebê pegue o prato e a colher da forma que se sentir mais confortável, evite ficar colocando colheradas de comida na boca dele, muito menos force-o a comer tudo, como se isso fosse uma obrigação. Deixe acontecer naturalmente.

Ofereça os alimentos separadamente

Esta é uma dica fundamental da introdução alimentar: ofereça um alimento de cada vez para o bebê. O motivo é simples: a introdução alimentar serve justamente para o bebê conhecer as cores, aromas, texturas e sabores de cada alimento.

Se você der mais de um tipo de comida ao mesmo tempo, o bebê não vai conhecer o sabor de cada uma separadamente. Depois, com o tempo, é normal misturar. Mas, no início, principalmente no primeiro contato do bebê com determinado alimento, ofereça uma coisa de cada vez.

Publicidade

Não force o bebê a comer

Não se preocupe se o bebê não quiser comer tudo o que você ofereceu. Pode ser que esteja sem fome ou mesmo que não tenha gostado de alguma coisa, e você deve prestar atenção nisso.

Observe as carinhas que ele faz quando sente cada alimento, se parece gostar ou não. Ofereça porções bem pequenas e deixe a experiência fluir, sem forçar nada.

Quais alimentos oferecer na introdução alimentar?

Antes de tudo, leve seu bebê ao pediatra. Como você sabe, cada pessoa tem um organismo único, diferente das outras, e pode precisar de uma dieta específica. Mas, de modo geral, alguns alimentos preparados de modo que seja fácil de o bebê experimentar podem ser oferecidos:

Publicidade

Frutas: banana, abacate, mamão.

Proteína animal: ovo, carne bovina, frango, peixe sem espinhos.

Proteína vegetal: feijão, lentilha.

Legumes e verduras: diferentes tipos de batatas, cenoura, abóbora, brócolis, chuchu, abobrinha.

Cereais: arroz, macarrão.

Temperos: só adicione sal na comida do bebê depois que ele completar 12 meses. Até lá, use apenas pequenas quantidades de ervas como alecrim, alho, alho-poró, cebola, cebolinha, coentro, erva-doce, hortelã, manjericão e orégano.

Lembre-se de deixar tudo bem cozido, macio e fácil de ingerir, principalmente enquanto o bebê ainda não tem dentinhos.

Publicidade

Veja também: Como Esterilizar Mamadeira De Forma Prática E Eficaz