Medicamento contra o refluxo pode impedir a pré-eclâmpsia

Ainda na fase de teste, remédio estará disponível em 5 anos

0
3924

Um estudo australiano pode ser a resposta para o fim de um problema que intriga médicos e pacientes: a pré-eclâmpsia.

Cientistas que atuam no hospital para mulheres Mercy, localizado em Melbourne, descobriram que o esomeprazol interrompe a produção das toxinas responsáveis pelos quadros de pré-eclâmpsia.

O esomeprazol é usado para tratar o refluxo, mas foi observado que tem a capacidade de agir sobre as toxinas da pré-eclâmpsia.

Os resultados ainda estão em estudo e o medicamento para tratar a pré-eclâmpsia só deve ser colocado no mercado em cinco anos.

Embora os ensaios clínicos tenham se mostrado eficazes, não aconselhável utilizar o medicamento por conta própria porque, ainda não foram divulgados os efeitos colaterais para esses casos.

O que é a pré-eclâmpsia?

É um quadro de aumento súbito da pressão arterial que pode ser acompanhado de fortes dores de cabeça e inchaço.

Quando ocorre, a placenta libera toxinas na corrente sanguínea, danificando os órgãos. O processo leva à danificação dos vasos e pode causar a morte.

Relacionado: Pré-eclampsia: conheça as causas, sintomas e saiba como tratar

Mãe e criança correm risco de morrer. O fluxo do sangue enviado pelo bebê pelo cordão umbilical é interrompido, o que pode levar à indicação de parto prematuro para evitar a morte.

Na mãe, a pré-eclâmpsia pode causar convulsões e edema cerebral.
Quando estiver grávida, ao menor sinal de alteração, comunique o seu médico para que ele conduza da maneira mais adequada a situação.