Conheça o melhor país para recém-nascido no mundo

0
1385

Todos os anos mais de 2 milhões de bebês morrem antes mesmo de completar o primeiro mês de vida.

Esses dados são da Unicef, que publicou recentemente um relatório com os piores e melhores países do mundo para ser um recém-nascido.

De acordo com o documento, o lugar com o menor índice de mortalidade entre recém-nascidos é um país de alta tecnologia.

Melhor país para recém-nascido no mundo

De acordo com o relatório da Unicef, o lugar com o menor índice de mortalidade entre recém-nascidos é o Japão, onde 1 em cada 1.111 bebês morre nessa faixa etária. Já o Paquistão, nesse relatório é o pior dos 184 países da lista: 1 a cada 22 bebês morre precocemente.

Na lista o Brasil está na 76ª posição (entre 184 países). No nosso país 1 a cada 128 bebês não sobrevive ao primeiro mês de vida. O Brasil ficou atrás de outros países em desenvolvimento na América do Sul, como: Argentina (64ª) e o Chile (60ª). Os dados do documento foram colhidos em 1990 e 2016 na maior parte dos países.

Principais causas das mortes dos recém-nascidos

Entre as principais causas da morte dos recém-nascidos estão: prematuridade, complicações no parto e infecções como pneumonia e sepse. Sendo que uma boa parte dessas causas podem ser prevenidas e tratadas, por isso, em países mais desenvolvidos morrem menos bebês.

Em resumo os bebês que morrem vivem em países com situações precárias, por causa da pobreza.

Melhores países para ser um recém nascido

1. Japão
2. Islândia
3. Singapura
4. Finlândia
5. Eslovênia
6. Estônia
7. Chipre
8. Coréia do Sul
9. Noruega
10. Luxemburgo
Os piores países do mundo para ser um recém nascido
1. Paquistão
2. República Centro-Africana
3. Afeganistão
4. Somália
5. Lesoto
6. Guiné-Bissau
7. Sudão do Sul
8. Costa do Marfim
9. Mali
10. Chade

O índice de mortalidade de bebês nos países mais pobres do mundo se deve a falta de estrutura hospitalar. As mulheres não conseguem fazer o pré Natal que é fundamental para a criança e quando é descoberta alguma doença ou anomalia na gravidez ou no bebê não tem como tratar por falta de dinheiro e profissionais especializados.

Já os bebês que nascem nos países mais ricos podem contar com todas as comodidades dos países desenvolvidos como: os melhores hospitais com médicos especializados.

O pré Natal é realizado do início ao fim da gravidez e quando surge qualquer problema com a gestante ou com o feto, logo é resolvido, claro que tem problemas que nem os países mais ricos podem resolver.

Então bebês muito pobres dificilmente chegam ao seu primeiro mês de vida.