Método de ensino construtivista: interação do aluno com o meio

0
685
método de ensino construtivista o que e
Crédito: Freepik

O método de ensino construtivista é, ao lado do método tradicional, o mais utilizado pelas escolas de todo o Brasil. Ele foi incorporado à educação brasileira no século XX, após estudiosos nacionais e internacionais trazerem ao país um novo olhar sobre o ensino. Ele é muito mais centrado na figura do aluno do que na figura do professor.

O que é o método de ensino construtivista?

A abordagem construtivista foi idealizada pelo suíço Jean Piaget. Piaget acreditava que os estudantes deveriam, acima de tudo, serem instigados pela curiosidade. Somente a partir daí eles poderiam se tornar agentes em seu próprio processo de aprendizagem. Esse método de ensino faz com que o aluno busque suas respostas por ele mesmo.

É por meio da interação do aluno com o meio que acontece a aprendizagem

A teoria de Piaget foi posteriormente estendida e aprofundada, no campo da leitura e da escrita. O método de ensino construtivista acredita que a criança é capaz de se alfabetizar sozinha. Isso só pode ocorrer, no entanto, se o meio em que ela está proporcionar o contato com textos desde cedo.

Como funciona?

sistema de ensino construtivista e benefícios
Crédito: Pexels

O construtivismo centraliza os alunos dentro de seu próprio processo de aprendizagem. O professor, portanto, é apenas um guia, um mentor. O estudante parte de suas ações para apreender o mundo ao seu redor e construir o significado daquilo que lhe é proposto. As escolas construtivistas devem propor, nunca impor conhecimento.

A pesquisa e a investigação são pontos fortes dos construtivistas. O trabalho em grupo também aparece entre os destaques, assim como estímulo aos questionamentos e dúvidas. É um método de ensino que preza pela ação do indivíduo.

Dessa forma, o erro é tão valorizado quanto o acerto nas escolas construtivistas. Errar não é uma queda ou uma falha, mas um caminho para chegar à plena aprendizagem. O construtivismo condena procedimentos de ensino severos, rígidos, pautados pela dor e pelo sacrifício. As avaliações padronizadas e uniformes são dispensadas, e o material didático precisa ter relação com o meio do aluno.

Inicialmente, o construtivismo não era um método de ensino. Jean Piaget pensou mais em uma teoria. Ela buscava trazer novas estratégias para que qualquer indivíduo pudesse adquirir conhecimento em suas mais variadas etapas da vida.

Vantagens e benefícios

O foco será sempre o processo de aprendizagem dos alunos. Há uma busca constante pela autonomia dos estudantes, para que dependam apenas de si mesmos. Uma vez que o professor é um mediador em sala de aula, a relação entre ele e as crianças é de harmonia e de respeito mútuo, sem a clássica postura autoritária de que apenas um lado está certo.

Veja abaixo vantagens do método de ensino construtivista:

  • O aluno se torna agente e deixa de ser paciente em seu processo de aprendizagem;
  • O professor media as aulas e não apresenta postura autoritária;
  • Os erros do aluno são problematizados para que ele busque as respostas por si só;
  • As falhas discentes não são punidas, mas sim são vistas como trampolim para a aprendizagem;
  • Os planejamentos das aulas são baseados no que os alunos possuem de bagagem cultural e de conhecimento prévio;
  • Todo o trabalho é fundamentado pela temática, pelo conteúdo, mas o conteúdo não é o mais importante;
  • O meio se torna parte do aprendizado, o que aumenta as potencialidades dos alunos e leva em consideração sua realidade social;
  • É eficaz como método de ensino para qualquer idade.

Atividades construtivistas

sistema de ensino construtivista e vantagens
Crédito: Pixabay

As atividades construtivistas não se diferenciam tanto do que é feito em escolas mais tradicionais. A grande diferença está na abordagem que os professores dão a essas atividades. A forma como os alunos participam também é o que caracteriza o construtivismo na prática.

As salas de aula contam com poucos alunos, a fim de que o professor acompanhe o desenvolvimento de cada um. O docente se informa dos conhecimentos prévios de cada aluno para que cada um receba um tratamento individualizado. Os construtivistas trabalham com a ideia de intervenção do professor, sempre que necessário.

A intervenção, no entanto, não significa imposição. O trabalho fundamental do professor é mediar, motivar, estimular e propiciar que a individualidade de cada aluno se destaque. O ganho do todo, do grupo, se dá quando cada membro dele consegue desenvolver e explorar suas habilidades e capacidades.

As atividades do método de ensino construtivista voltam-se para debates e exposições orais ou escritas de opinião. A busca por formar sujeitos autônomos é também uma busca por formar cidadãos críticos, com opinião própria, capazes de interferir na sociedade de forma positiva.

Ensino tradicional e ensino construtivista

método de ensino construtivista e a escola
Crédito: Pxhere

O ensino tradicional está relacionado com a decoreba e não com a construção de conhecimento. As escolas tradicionais despejam no colo das crianças conteúdo e informações ditas como verdadeiras. Não há espaço para contestação por parte dos estudantes.

O conteúdo vem em primeiro lugar, em nome de um saber que não pode jamais ser contestado. Por esse motivo, as salas de aula são comandadas por um professor visto como autoridade, que muitas vezes impõe medo.

Os erros no ensino tradicional são inaceitáveis. Eles são punidos com notas baixas e com reprovações de ano. Há um controle disciplinar rígido, autoritário. As escolas tradicionais não levam em consideração o passado e a situação de vida do aluno, sendo o meio algo dispensável para os tradicionais.

Comparação entre métodos

Veja abaixo informações a respeito dos dois métodos de ensino:

Método de ensino tradicional Método de ensino construtivista
Método Há transmissão de informações por parte do professor. O conhecimento está estabelecido como verdade. Há interação com o meio. O aluno aprende quando conecta sua realidade ao mundo. Ele recebe informações pertinentes a sua realidade e, por meio delas, constrói suas verdades.
Resultado O aluno deve reproduzir o que aprendeu e é avaliado a partir disso. Teoricamente não há provas, pois a avaliação é realizada ao longo da aprendizagem.
Erros Há punições disciplinares e pedagógicas, como reprovações de ano. O erro é um trampolim para que a aprendizagem se concretize.
Aluno É um depósito em que as informações são jogadas dentro. É um indivíduo pensante, responsável pelo próprio desenvolvimento.
Professor É um transmissor de conhecimento e de verdades. Facilita o processo de aprendizagem. Ele cria situações que façam o aluno explorar suas potencialidades.
Escola É um lugar de reprodução da herança cultural do mundo. É um espaço de formação e de desenvolvimento pleno de uma pessoa.

Métodos alternativos

O método de ensino construtivista é muito interessante, mas esbarra na visão que a sociedade brasileira tem sobre educação. O método tradicional ainda é amplamente difundido e defendido no Governo e em instituições de ensino básico e superior. Prova disso é que a maioria dos vestibulares e o próprio ENEM ainda são baseados no ensino conservador.

Ao tentar entrar no ensino superior, o aluno construtivista pode passar por algumas dificuldades. Isso porque ele não estará acostumado com o tipo de prova dos vestibulares. Existem outros métodos interessantes além do construtivismo. É importante que os pais se informem sobre. Veja alguns métodos de ensino alternativos:

  • Tradicional: é o mais utilizado no país. Enxerga o aluno como um depósito de informações. A individualidade não é levada em consideração.
  • Freiriano: os aspectos culturais e sociais são levados em consideração. As necessidades do aluno são o que mais importa;
  • Comportamentalista: o processo, a técnica e o material são o foco. Isso exige do professor extremo controle;
  • Montessoriano: o professor é visto apenas como um guia. As crianças têm poder de escolha sobre as atividades que querem realizar;
  • Tendência democrática: a liberdade dos alunos é o foco, por isso eles sugerem o que irão aprender;
  • Método Waldorf: Os alunos são agrupados por idade e não por série.