Mitos da Gravidez para Quebrar

0
40

A gravidez é algo único e quase inexplicável, em torno dela existem mitos para quebrar, que só quem já passou por isso pode entender. São muitos sentimentos simultâneos, empolgação e medos, planos e ansiedade.

Esse fenómeno é tão relevante que os estudos a respeito são milhares, assim como as trocas de experiências e até as tradições culturais e familiares em torno desse processo.

Com o passar dos séculos, alguns mitos e verdades absolutas foram se fixando no imaginário popular.

Mitos da Gravidez para Quebrar

A força desses mitos é tão grande, que com a reprodução dos mesmos pareceu por muito tempo que eles jamais seriam contestados.

Como a ciência é contestadora de tudo e até de si mesma desde sempre, muitos desses mitos vem sendo derrubados de forma categórica, e outros vem sendo confirmados, comprovando que nem sempre o conhecimento popular está errado.

Nesse artigo, falaremos quais os mitos da gravidez que estão errados, para que você esteja mais bem informada a respeito da gravidez, e livre de visões errôneas preconcebidas.

A forma do ventre indica o sexo do bebê

Aquela história de barriga pontuda é menino e barriga redonda é menina é falsa.

A forma da barriga vai dizer apenas a respeito da posição do bebê na barriga e sobre o seu tamanho.

Ultrassons podem trazer riscos

Independentemente da frequência, o ultrassom não prejudica a saúde nem do bebê, nem da mãe, porque não utiliza radiação, apenas ondas sonoras totalmente inofensivas.

Se houvessem riscos, seriam devido ao exame ser feito por pessoas não indicadas para tal.

A mãe não pode deitar de bruços

O bebê está bem protegido pelos músculos uterinos, e o peso da mãe não vai prejudicá-lo durante a gestação, então se você se sentir confortável de bruços, não tem problema.

O peso se perde na hora do parto

Seria ótimo se as mulheres recuperassem a forma depois do parto de forma instantânea, mas não é bem assim.

A mulher ganha peso durante a gravidez, o que é normal, mas exceto aquilo que é totalmente ligado ao bebê, como a placenta, o resto fica com a mãe, já que o corpo da mulher muda não apenas para sustentar a gravidez, mas também para que exista leite para alimentar o nascituro e o ganho de gordura também ocorre.

O bebê está totalmente isolado

Pesquisas comprovam que o bebê pode sim ouvir sons dentro do útero. Além disso, ele pode ver luz se for forte, pode sentir o sabor dos alimentos que a mãe come através da placenta.

O bebe pode sentir o cheiro do que a mãe come, apesar de ainda não respirar pelo pulmão. Portanto, conversar com o filho pode ser feito pela mãe e pelo pai.