Os mitos e as verdades sobre a amamentação e como lidar com esta fase

0
9044
mitos e verdades sobre a amamentação
Crédito: Freepik

Há muito tempo há uma romantização da maternidade. A gravidez e o parto, por exemplo, são vistos como um momento sublime. E o mesmo ocorre com a amamentação. Há muitos mitos e verdades sobre a amamentação que tornam esse período ainda mais difícil e doloroso para muitas mães.

Porque amamentar não é fácil. Após carregar por 9 meses um bebê, é preciso nutrir essa vida todos os dias. O peso dessa responsabilidade é terrível. As mães quase sempre não sabem como funciona o processo do aleitamento. Elas não entendem por que às vezes sai pouco leite, por que sai muito ou por que não sai nada.

E dói. Em alguns momentos a dor é física, porque o bebê puxa, suga e até morde o peito da mãe. Em outros, é psicológica, emocional. Porque a sociedade cobra muito das mulheres e ainda mais das que são mães. A maternidade, infelizmente, se torna um fardo para aquelas que não tem suporte e ainda são julgadas.

Amamentar é uma das maiores entregas de uma mãe

Toda mulher aprende desde cedo que a amamentação estabelece um laço eterno com o bebê. As mulheres são criadas a partir de uma ideia romântica sobre o aleitamento materno, de que é algo incrível, lindo e fácil. Talvez por esse motivo elas nunca se questionem ou questionem os médicos sobre esse período.

O fato é que, na realidade, essa pode ser uma das experiências mais difíceis da maternidade. Muito dessa dificuldade vem de as mulheres serem ensinadas a verem apenas a beleza desse processo. Mas muitas mães relatam sentirem-se emocionalmente drenadas durante o período do aleitamento.

Pare para pensar: você sabe, por exemplo, de onde vem o leite? Alguma vez já lhe falaram quando é preciso passar por uma suplementação de nutrientes? Em algum momento já explicaram o que fazer quando o leite simplesmente não sai? Quantas vezes por dia é preciso amamentar o bebê? Como saber se ele está bem nutrido?

Entrega emocional

A entrega emocional relacionada ao aleitamento materno é muito intensa. Por vezes parece que, além de dormir, seu filho apenas come. Isso gera um ciclo constante de amamentação. Afinal, de acordo com a ciência, quanto mais você amamenta, mais leite produz.

Há mulheres que tem dificuldade de expelir o leite pelos mamilos. O bebê, óbvio, não entende isso. Ele está com fome. Ele suga e puxa o peito com ânsia de se alimentar. Quando os dentes começam a crescer, então, cresce o problema e a dor materna. Mas a mãe continua ali, ainda que chorando. A vontade de ver o bebê feliz e cheio é maior do que tudo.

Mitos e verdades sobre amamentação

mitos e verdades da amamentação
Crédito: Freepik

Pouco se fala sobre a amamentação, o que provoca a criação de muitos mitos em torno desse assunto. Isso contribui certamente para que as mães se sintam confusas e muitas vezes não peçam ajuda. Afinal, elas foram criadas acreditando que o aleitamento materno significa apenas dar o peito para a criança quando ela chorar.

Veja abaixo o que é mito e o que é verdade sobre a amamentação:

Faz bem para a saúde do bebê

Essa é uma verdade indiscutível. Aliás, é consenso que até os 6 meses de vida o leite materno deve ser a alimentação exclusiva do bebê. Esse alimento contém todos os nutrientes que o recém-nascido precisa para se desenvolver com saúde.

O tipo de parto interfere na amamentação

Não há qualquer comprovação científica que prove isso, portanto é mito. O que pode acontecer é que a dor sentida pela mãe que fez cesárea pode fazer com que o leite demore a descer. Mas nada além disso.

Pegar sol nos seios facilita a amamentação

Verdade! Durante a gestação recomenda-se que a mãe pegue sol nos seios duas vezes por dia. A vitamina D evita a rachadura nos seios, o que facilitará o processo de aleitamento.

A criança deve mamar a cada duas ou três horas

Mito, pois não há regras de horário ou quantas vezes a mãe deve amamentar por dia. O que os especialistas dizem é que é necessário alimentar o bebê sempre que ele sentir fome. Com o tempo, os pequenos vão criando seus próprios horários biológicos para a amamentação.

Acelera a perda de peso da mãe

Essa é uma grande verdade que vai agradar a todas as mães. A amamentação gasta cerca de 700 calorias por dia. Aliando isso a uma dieta balançada e saudável, a perda de peso é certeira!

É preciso revesar os seios

Mito! O ideal é deixar o bebê terminar de se alimentar em um mesmo seio. Isso porque a troca de um seio para o outro pode fazer com que o bebê não se sacie plenamente. Se acabar o leite de um seio e ele ainda estiver com fome, apenas aí troque.

Existe uma posição ideal para amamentar

A posição ideal é aquela em que mãe e filho estão confortáveis. É interessante, no entanto, que a mãe amamente sempre sentada, com o bebê em seu colo.

Estresse atrapalha a produção de leite

As mães que estão sob forte tensão ou estresse produzem uma quantidade maior de adrenalina. A adrenalina inibe a oxitocina, hormônio atuante na produção de leite. É, portanto, verdade.

Fortalece o vínculo entre a mãe e o bebê

Essa talvez seja a maior das verdades. Não apenas pela amamentação, mas por aninhar o bebê no colo, por sentir aquela pequena vida protegida em seus braços. Tanto a mãe quanto o filho sentem o amor crescer a cada amamentação.

Amamentar é fácil

O maior de todos os mitos. Amamentar é cansativo e exige demais não só da mãe quanto do bebê. No início, então, logo após o parto, é ainda mais complicado. Essa é uma tarefa que exige muita paciência.

Como preparar os seios para a amamentação?

As mães que desejam oferecer aos seus filhos a melhor experiência da gravidez devem estimular os seios mesmo antes do nascimento. O objetivo é deixar os mamilos preparados para enfrentar as fase de sucção do bebê. A melhor forma de garantir o fortalecimento é tomar sol por até 20 minutos por dia.

Os banhos de sol precisam respeitar os horários de menor incidência de raios ultravioleta, o que ocorre antes das 10 da manhã e depois das 14 horas. Tente deixar os seios em contato com tecidos grossos, livres do sutiã. O atrito vai fortalecer os mamilos. Algumas mulheres usam o sutiã de amamentação e os deixam abertos para facilitar o processo.

A amamentação é um processo que também depende de treinamento

Os hospitais oferecem auxílio, basta recorrer ao médico responsável pelo pré-natal. Fisioterapeutas especializadas em amamentação também são excelentes alternativas para aprender como será o processo. A troca de experiências entre mães que já tiveram bebês também ajuda. Nesse caso, contudo, só não vale aceitar julgamentos.

Veja como foi a experiência com amamentação da atriz Tatá Fersoza: