Muco hostil na mulher: saiba o que é e como tratar

0
252
muco cervical hostil
Crédito: Freepik

O corpo humano é uma obra perfeita da natureza que a ciência ainda não compreende por completo, devido sua complexidade e particularidades. No que diz respeito à reprodução, são muitos os fatores que precisam estar alinhados para que ocorra uma fecundação saudável e seja possível conceber uma nova vida. Um desses fatores é a presença e a qualidade do muco cervical na mulher. Se ele for um muco hostil, por exemplo, a mulher terá dificuldade em conseguir engravidar.

Veja também: sintomas de gravidez antes do atraso menstrual

O que é muco cervical hostil?

o que é muco cervical hostil
Crédito: Freepik

Antes de falar sobre a hostilidade do muco é preciso compreender o que é o muco cervical. Todas as mulheres em idade fértil produzem muco cervical que é um fluido localizado no interior da vagina e expelido em pequena quantidade diariamente para que se mantenha em equilíbrio. Muitas mulheres confundem com corrimento vaginal, mas nesse caso o muco é saudável, não representando qualquer doença.

O muco cervical muda ligeiramente de cor e de textura ao longo do ciclo menstrual da mulher. Durante a maior parte do mês ele tem um aspecto leitoso, às vezes amarelado, e é mais líquido. Seu odor é quase neutro e bem natural. Quando o ciclo se aproxima do período fértil o muco vai ficando mais transparente e com textura de clara de ovo.

Quando faltam 2 ou 3 dias para a mulher ovular, o muco continua transparente, mas fica mais elástico. Ele ganha essa textura para que se torne próprio para a fecundação, ou seja, o fato de ser mais elástico contribui para que o espermatozoide consiga chegar ao óvulo com mais facilidade, propiciando a fecundação e, então, a gravidez.

O que acontece no caso do muco hostil é que algumas mulheres produzem um muco mais ácido ou mais espesso que não é adequado para ajudar o espermatozoide a chegar no óvulo. Ele é chamado de hostil porque o esperma não consegue sobreviver nesse ambiente desequilibrado e acaba morrendo antes de encontrar o óvulo para tentar fecundar. Logo, por mais que tente da forma natural e acredite estar seguindo corretamente os dias do seu período fértil, a mulher não consegue engravidar.

Veja também: o que é e como tratar a bolsa rota na gestação

Como saber se tenho muco hostil?

Quando uma mulher ou um casal começa suas tentativas de gerar um bebê de forma natural e não conseguem, começam a pensar no que pode estar acontecendo de errado. Então, uma das possibilidades é muco hostil, embora muitos profissionais da área de reprodução humana não acreditem que ele realmente exista. Então, há controvérsias, mas mesmo assim é bom saber o que pode ser feito.

A princípio, quando busca ajuda profissional para descobrir por que não consegue engravidar, se consultar um médico que acredita na existência do muco cervical hostil, ele irá recomendar que seja feito um exame pós-coital, isto é, um exame que analisa a presença de espermatozoides vivos na mulher logo após a relação sexual.

Os espermatozoides sobrevivem de 3 a 5 dias dentro da mulher para que haja maior chance de fecundação. Porém, se o exame identificar que dentro desse período nenhum esperma sobreviveu ao ambiente vaginal, pode ser considerado que ela tenha muco cervical hostil.

A controvérsia se dá porque existem muitos outros fatores a se considerar, inclusive algum problema nos espermas. Além do mais, 70% das mulheres que já foram diagnosticadas com o muco hostil conseguiram engravidar de forma natural, o que levou muitos profissionais a duvidarem da existência do muco hostil. Por isso é recomendado que se façam outros exames, tanto na mulher quanto no homem, para que se chegue a um diagnóstico mais preciso.

Veja também: o que é o tampão mucoso no final da gestação

O que fazer para tratar o muco cervical hostil?

como tratar o muco cervical hostil
Crédito: Freepik

Considerando que o muco cervical hostil seja uma realidade, existem diferentes formas de tratamento para deixá-lo menos hostil e próprio para a sobrevivência dos espermatozoides no ambiente reprodutor da mulher. Aliás, são os mesmos tratamentos que se disponibilizam para outros diagnósticos de infertilidade, então a escolha vai depender das particularidades de cada caso.

Manter o corpo hidratado

Um ponto importante para começar a melhorar a qualidade do muco cervical é a mulher ter consciência de que seu corpo precisa estar muito bem hidratado todos os dias. Como o muco cervical é composto principalmente por água, é essencial beber pelo menos 2 litros de água todos os dias. Esse é um hábito que favorece a saúde de modo geral e recomendado para todas as pessoas em qualquer idade.

Inseminação intra-uterina

A inseminação intra-uterina é a inseminação artificial. Nesse caso, não se mexe no muco cervical, apenas realiza-se uma fecundação sem que o muco precise ajudar no processo, ou seja, se ele for mesmo hostil, vai continuar sendo, pois não fará diferença no processo de gravidez.

Nesse procedimento o espermatozoide do homem é coletado por meio da masturbação para que seja injetado diretamente na cavidade uterina, tornando desnecessário seu caminho natural até o óvulo e aumentando as chances de uma fecundação com sucesso.

Indução de ovulação

Existem casos em que o problema da mulher é a ovulação deficiente. Se o ginecologista diagnosticar que essa é a causa da dificuldade para engravidar, poderá recomendar um tratamento para induzir a ovulação. Pode ser que o foco esteja na produção de hormônios, então são prescritos hormônios sintéticos que vão ajudar, inclusive, a reduzir a hostilidade do muco. Geralmente esse tratamento faz parte do tratamento para a inseminação artificial.