A importância da música na educação e no desenvolvimento da criança

As crianças quem têm contato com a música podem até aprender a escrever mais rápido

0
1290
como usar a música na educação
Crédito: Freepik

Todas as mães sabem intuitivamente, ou não, que a música na educação pode fazer a diferença. E as crianças adoram brincar com instrumentos musicais ou com objetos que emitem sons.

Panderos, teclados, violões e todo o tipo de coisa que faça barulho chama a atenção da criançada. O que nem todo mundo sabe é que esses instrumentos podem influenciar até mesmo na alfabetização.

Estudos recentes revelaram que cantar e tocar instrumentos musicais para e com a criança faz com que os bebês estimulem áreas específicas do cérebro. Essas áreas serão necessárias para outras funções futuramente, como aprender a ler e a escrever ou até fazer cálculos. Daí a importância da música na educação infantil.

Importância da música na educação infantil

a importância da musica na educação infantil

A música é uma ferramenta importante no desenvolvimento humano desde a gestação. Inúmeras pesquisas comprovam que, mesmo na barriga da mãe, o bebê demonstra reações a estímulos sonoros externos. Afinal, o ser humano desenvolve a audição por volta dos 5 meses ainda durante gravidez.

O estimulo sonoro, de acordo com os especialistas, é fundamental para o desenvolvimento socio-emocional das crianças. Principalmente se elas escutam ou estudam música em conjunto com outras crianças, há aí então a formação de uma identidade cultural.

Ao mesmo tempo, a música na educação ajuda a criança a ter disciplina, prezando pelas regras e valores da sociedade. O contato com a música na infância também interfere no desenvolvimento motor. O ritmo, o movimento sonoro da música e da dança estimula as motricidades fina e grossa. O mesmo vale com o aprendizado de um instrumento musical.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos com crianças entre 9 e 10 anos provou que as crianças que possuem interação com a música têm mais facilidades no desenvolvimento de atividades de leitura e de escrita.

Isso acontece porque aprender uma música e aprender a ler são atividades muito parecidas para o cérebro. Por isso, por volta dos 6 anos, os pequenos já podem ter aulas formais de música, pois é nessa idade em que começam a controlar as técnicas para tocar os instrumentos.

Música para recém-nascido

Há sons específicos que estimulam a capacidade cognitiva do recém-nascido, o que facilita o aprendizado. Por isso é muito importante utilizar a música no dia a dia do bebê, desde o primeiro dia de vida. Isso ajudará no desenvolvimento de habilidades linguísticas, motoras, cognitivas, emocionais e sensitivas. Veja quais sons estimulam mais o recém-nascido:

  • Som de chocalho;
  • Cantar músicas infantis, alterando tom, timbre e ritmo da voz;
  • Música instrumental.

Som da máquina de lavar roupa pode acalmar o bebê, uma vez que lembra a ele os sons da barriga da mãe

Cantar ou tocar uma música para o bebê é indiferente em termos de resultado. É fato que recém-nascidos se acalmam quando escutam as vozes dos pais, principalmente a da mãe. Ainda assim, ambas abordagens são válidas. Como alternativa, existem diversas playlists no YouTube ou mesmo no Spotify específicas para acalmarem os recém-nascidos.

Música para bebê

Assim como os recém-nascidos, os bebês são estimulados pelos mais diversos tipos de sons. Eles gostam de músicas e sons repetitivos, preferencialmente os instrumentais, ainda mais na hora do soninho. Nessa fase, do primeiro ano para cima, tenha preferência por canções de ninar.

Bebês também se interessam muito por barulhos da natureza. Quedas d’água, barulhos de rio e chuva acalmam os pequenos. Eles também gostam de ouvir risadas de outros bebês, que os fazem se sentir felizes.

Música para criança

música no aprendizado das crianças

A criançada mais velha se interessa por músicas mais complexas. Aliás, apesar de elas gostarem ainda de músicas instrumentais, algumas começam a achá-las chatas. Nessa fase elas demonstram preferência por cantar, uma vez que acham essa atividade divertida e adoram se exibir de forma artística.

Sendo assim, apresente aquelas playlists do YouTube que contém diversas versões de músicas infantis clássicas. Além de divertir as crianças, elas estimulam a memorização, o desenvolvimento cognitivo e o aprendizado cultural.

Obrigatório por lei

Você sabia que a música é disciplina obrigatória na educação infantil? De acordo com a lei 11.769/2008, a obrigatoriedade da música na educação básica se estende a todas as escolas brasileiras. Não é que o governo pretenda fazer dos alunos músicos profissionais. A ideia é sensibilizar e integrar os alunos.

Dentro de casa

Tudo que os pais apreciam também é geralmente apreciado pelas crianças. Por isso, se você e seu companheiro têm o costume de escutar música dentro de casa, é muito provável que o desenvolvimento do seu bebê seja mais rápido que o de outras crianças.

Mas não dá para esquecer dos devidos cuidados em relação aos barulhos. Lembrem-se de manter o volume da música em som ambiente, para não prejudicar a audição da criança. Além disso, preocupe-se com o tipo de música que ela vai ouvir. Quanto menor a criança, mais calmas devem ser as músicas.

Saiba um pouco mais sobre a relação da música e o desenvolvimento da criança no vídeo abaixo:

Crédito das imagens: Freepik