Como lidar com a pressão de não conseguir amamentar

0
2571
Crédito: Pxhere

Ter um bebê envolve uma série de sentimentos, preocupações e responsabilidades complexas. Isso envolve uma série de idéias preconcebidas do que é uma maternidade ideal, gerando muita ansiedade nas mamães. Não conseguir amamentar está no foco das “falhas” de uma mãe que não é perfeita.

Depois que o bebê nasce, começa uma série de novas pressões, não somente sociais, mas também da própria mãe consigo mesma. Ela quer fazer tudo ao mesmo tempo, se recuperar, aprender como lidar com uma vidinha delicada em suas mãos, amamentar e ainda estar com o corpo perfeito e o sono em dia.

E um desses pontos, a amamentação é cercada de mitos, pois envolve não somente uma questão de vínculo com o bebê, mas também um certo orgulho de poder gerar o alimento do seu filho.

Quando acontece da mãe não conseguir amamentar, seja por causa da sua rotina de trabalho, alguma questão de saúde ou até mesmo o leite, que secou, ela se sente frustrada, triste e, muitas vezes, culpada, por ter falhado.

Amamentar não é tarefa fácil e muito menos automática, como algumas pessoas acreditam.

5 Dicas para mães que não conseguem amamentar

Dicas para mães que não conseguem amamentar
Crédito: Freepik

Veja como lidar com a pressão, tanto a sua quanto dos outros, com relação ao fato de não conseguir amamentar.

1. Pense sobre o que está acontecendo

Não adianta empurrar um sentimento com a barriga. Tem que processar o que está se passando em seu coração e lidar frente a frente com a raiva, frustração, tristeza e principalmente o sentimento de culpa.

Entenda o porquê de você não estar amamentando e mostre para você mesma, através da lógica, que está tudo bem. Se você tem que sair para trabalhar e não tem como amamentar nem deixar o leitinho, tudo bem.

Se o leite secou, se você tem que tomar algum medicamento que seca ou inviabiliza o consumo do leite, tudo bem! Cada coisa é como tem que ser e sua maternidade vai ser tão ideal quanto qualquer outra.

Aceite a situação com está, ela é única e a base para a construção da história de vocês. Sua vida não precisa ser como a de todo mundo, cada pessoa, cada unidade familiar é diferente e às vezes o que funciona para um, não funciona para o outro.

2. Reconheça que fez o que poderia fazer

Se você já tentou todas as formas de produzir, armazenar ou aumentar o leite e não funcionou, tudo bem! Reconheça que você fez o que poderia para resolver o problema, mas outras variáveis não colaboraram.

O mais importante na criação dos filhos é que não existe uma regra absoluta de como se deve proceder, passo a passo, sem erros. Ver um pequeno ser humano crescendo diante dos seus olhos é um feito por si só, independente dos caminhos tomados.

Então fique grata ao seu esforço, mesmo que o resultado não tenha sido o esperado, e aceite os novos desafios de peito aberto, pronta para novas trocas e experiências, em um modelo não esperado, mas tão eficaz quanto o outro.

3. Crie laços da sua forma

Um dos pontos mais reforçados como benefício da amamentação é a criação de laços entre mãe e bebê, através do toque, do olhar, do sentir. E quem disse que só dá para fazer isso dando o peito? Não conseguir amamentar não é sinônimo de abandono.

Ao dar a mamadeira para o filhote, o faça em local calmo e silencioso, ou com sua música favorita de fundo. Curtam o momento, se olhem nos olhos. Sinta o tempo passando, o cheirinho único dele… Isso é criar laços.

Apenas esteja presente, se entregue, nos momentos em que passar com ele.

4. Aceite que a maternidade perfeita é um mito

Sabe aquelas cenas leves e fofas de propaganda de fralda? Esses momentos até existem, mas não passam nem perto de refletir o que é a maternidade real. Mãe de verdade sua, tem que amarrar os cabelos, tirar brinco de argola e acaba eventualmente recebendo presentinhos desagradáveis dos bebês.

A amamentação dói, pode sangrar, pode não acontecer. Os seios podem empedrar ou secar. Muita coisa é realidade para muitas mamães e não é culpa delas, simplesmente acontece. Cabe a cada um entender que a maternidade não é perfeita e que estão todos aprendendo a cada dia.

Não crie altas expectativas de como seria o dia ideal, a vida ideal. Apenas viva e planeje o melhor para vocês, lembrando que não existe perfeição e que nem sempre as coisas acontecem como o planejado, principalmente com um bebê a bordo.

5. Valorize o que você tem agora

Se você não conseguir amamentar, ao invés de chorar pelo que não tem jeito, que tal olhar para o momento presente e curtir o agora? Você perde um tempo precioso com seu bebê, reclamando e se sentindo culpada, enquanto poderia estar apreciando o momento e registrando em sua memória.

Valorize cada ml a mais que ele consegue tomar na mamadeira, as noites bem dormidas – e as de farra também – valorize as cólicas e a oportunidade de estar ao lado do bebê, ou ter alguém de confiança que esteja com ele, nos momentos em que você estiver fora.

Valorize o seu trabalho, que vai dar um futuro melhor para o bebê ou até mesmo a falta de um trabalho, que te permite ficar em casa com ele. Não se compare, nunca! Cada família tem seu formato, seus sonhos e desafios. Lute e ensine a melhor lição para seu filho: se amar, se adaptar e nunca desistir.