O que não pode comer no resguardo e o que é permitido pelos médicos

0
16851
o que não pode comer no resguardo após parto normal
Crédito: Freepik

Muitas mães pensam que o resguardo controla apenas suas atividades físicas e as relações sexuais durante esse período. Elas também devem estar atentas, contudo, à alimentação. Alguns alimentos não devem ser consumidos sob hipótese alguma, enquanto outros são recomendados. Por isso é importante saber o que você pode e o que não pode comer no resguardo.

Muito se fala sobre o que pode ou não pode ser feito no período do resguardo. Algumas atividades não são recomendadas pelos médicos, enquanto outras são proibidas. A intenção é que a mulher se recupere devidamente de todo o processo que gerou o recém-nascido em seu braço.

O resguardo é, portanto, um período em que a mãe deve descansar após o parto. Ele costuma se iniciar assim que a placenta sai do corpo e dura até por volta de dois meses após o nascimento do bebê. Devido a todo o estresse, às mudanças corporais, emocionais e psicológicas pelas quais passa a mãe, é justo que haja um tempo de recuperação.

O que não pode comer no resguardo?

o que não pode comer no resguardo
Crédito: Pxhere

Primeiro é importante que as mães saibam que durante o resguardo devem consumir 400 calorias a mais do que o habitual. Uma vez que elas amamentam, o corpo precisa de mais calorias para que a produção de leite seja boa.

É preciso cuidar a qualidade dessas 400 calorias que serão ingeridas a mais

A mãe não deve esquecer que todos os alimentos que ela ingere serão transformados em nutrientes para o bebê. Pensando nisso e na saúde materna, os médicos recomendam que determinados alimentos fiquem de fora da dieta das mulheres enquanto estiverem no período do resguardo. Veja abaixo quais estão proibidos e por quê.

1. Chocolate, chás e Coca-Cola

Todo mundo conhece os males da Coca-Cola. É um produto com muitos gases e com alta concentração de açúcar. Os chás e chocolates, quando consumidos com moderação, são até benéficos. Para as mães que estão no resguardo e seus bebês, contudo, não são. Eles causam cólicas no recém-nascido.

2. Alimentos ricos em enxofre

Todos os alimentos com alta concentração de enxofre também causam cólicas no bebê. Portanto evite pimentão, pimenta, melão, ervilha e couve-flor.

3. Salsa e menta

Esses dois alimentos podem diminuir a produção de leite. Por esse motivo, ele deve ser evitado não só durante o resguardo, mas também enquanto estiver no período da amamentação.

4. Pepino, brócolis e milho

Apesar de serem conhecidamente saudáveis, esse trio tem potencial para causar desconfortos no intestino.

5. Bebidas alcoólicas

bebida alcoólica e o que não deve comer no resguardo
Crédito: Freepik

As bebidas alcoólicas não são consideradas alimentos, mas é importante falar nelas. Sob hipótese alguma as mães devem consumir esse tipo de produto, por menor que seja a quantidade.

O que não pode comer no resguardo após parto cesárea?

Há muitos mitos sobre resguardo por aí a respeito do que pode ou do que não pode comer após a cesárea. De acordo com os especialistas e médicos, alimentos processados, que causem alergia à mulher e carne de porco não devem ser consumidos. Chocolate, ovos e peixes estão liberados, desde que em pequenas quantidades, ao contrário do que muito se ouve por aí.

O que é necessário comer?

A nova mamãe deve pensar em quais nutrientes são indispensáveis ingerir. O período do resguardo é um bom momento para equilibrar a dieta e experimentar um cardápio mais saudável e repleto de nutrientes. Veja abaixo o que é permitido e recomendado comer após o parto.

1. Cálcio

o que não deve comer no resguardo e o que deve comer
Crédito: Freepik

O cálcio estimula o funcionamento correto dos músculos e nervos, além de fortificar dentes e ossos. Consuma gergelim, sementes de girassol, iogurtes e leite desnatados, ricota e vegetais verdes-escuros.

2. Vitamina B6

É responsável por auxiliar na absorção das proteínas. É encontrado na banana, na batata, em cereais integrais, na rúcula, no espinafre e no agrião.

3. Vitamina C

As frutas e legumes são as melhores fontes de vitamina C, que aumenta as defesas do sistema imunológico.

4. Ômega 3

Ômega 3 é facilmente encontrado em peixes, como o atum, a sardinha e o salmão. Linhaça também é uma boa fonte. Esse nutriente auxilia no bom desenvolvimento visual e mental do bebê.

5. Proteínas

Proteínas são a base do leite materno. Elas são encontradas em carnes de ave, de peixe, de feijão, de lentilha e de ovo.

O importante é a mãe tentar agrupar o maior número de nutrientes em sua alimentação. Tenha cuidado com alimentos que lhe dão gases. A tendência é, automaticamente, o bebê ter cólicas se você ingerir esse tipo de alimento. Se tiver dúvidas mais complexas sobre o que não pode comer no resguardo, consulte um médico.