Por que os pais não devem obrigar os filhos a comer? Veja o que diz o pediatra

Tudo que se faz por obrigação e sem prazer vira um problema e se transforma em aversão

Crédito: Freepik
ADs

Quando se tem filhos é impossível não se perguntar o que fazer para criá-los de forma equilibrada. Quando os pequenos não querem comer, por exemplo, bate um desespero. Afinal, a alimentação é fundamental para o desenvolvimento das crianças.

Para dar sua opinião sobre estes e outros assuntos, relacionados com a educação, o pediatra espanhol, Carlos Gonzáles, lançou o livro “Meu Filho Não Come!”.

Em uma entrevista ao jornal Folha, Carlos Gonzáles, pai de três filhos, assegura que, na sua maioria, os pais têm ideias erradas acerca de como deve ser a alimentação de seus filhos.

“Todas as crianças comem o necessário, exceto se estiverem doentes”

O médico afirma que as crianças não devem ser obrigadas a comer, nunca! E que a ideia de que devem comer quantidades exageradas é, em parte, fruto do que foram acostumados ao longo da vida e da vontade de compensar no filho a falta de comida que eles próprios tiveram quando eram pequenos.

ADs

Dar o exemplo é essencial

Para o pediatra, os pais, através do seu exemplo, serão determinantes em criar bons hábitos alimentares, desde cedo, nas crianças.

Se tiverem em casa, principalmente alimentos saudáveis, e forem esses tipos de alimentos que os filhos os veem comendo, raramente lhe pedirão outras coisas, assim como o contrário acontecerá.

“Há alguns que não comem verdura, mas que querem obrigar o filho. Se os pais não comem verdura, para a criança, isso é um sinal de que verdura não é importante”.

Veja também: Não caia nesses 5 mitos sobre alimentação na gravidez

ADs

Educar sobre as guloseimas

Questionado pela Folha sobre o que fazer quando as crianças fazem birra para comer guloseimas, o médico responde que o bom senso dos pais tem de imperar: nem sempre, nem nunca. Existem coisas que se podem comer todo dia e outras não. Há que saber ceder, com peso e medida, e explicar às crianças sobre a importância desse equilíbrio para que elas não fiquem com dor de barriga e dentes podres.

Criar uma relação saudável com a comida

Quando os pais obrigam os filhos a comer, estão criando na mente da criança uma relação de desgosto com o alimento. Comer se torna um sacrifício, um momento de desprazer. Isso pode refletir em distúrbios alimentares ainda na infância ou ao longo da vida.

Determinar os horários de comer

Quando a criança fica petiscando de tudo um pouquinho durante o dia, ela não sente fome de verdade na hora da refeição. Pode ser esse o problema que esteja fazendo seu filho ser tão seletivo ou recusar a comida. Então, determine horários para as refeições e corte as “beliscadas” entre esses horários. Criança com fome não nega comida.

Criatividade na hora de preparar as refeições

Para as crianças, um prato bem colorido faz toda a diferença. Use sua criatividade para criar um prato divertido, atraente e que tenha apenas a quantidade de comida que a criança vai conseguir comer.

ADs

Deixar a criança participar da escolha e preparo do prato

As crianças adoram participar das tarefas da casa. Na hora de fazer o almoço, escolha duas opções e deixe que seu filho escolha entre essas duas opções. Se possível, deixe-o participar do preparo, ficando junto na cozinha e vendo como as coisas são feitas. A vontade de experimentar o prato vai ser maior, e o prazer nesse momento também.

Mudar o formato dos alimentos

Para as crianças que fazem cara feia para as frutas, os pais podem transformá-las em saladas de frutas bem coloridas ou sem sucos e smoothies cremosos, assim como em sorvetes saudáveis feitos em casa.

Não mentir sobre o que a criança está comendo

Nunca diga ao seu filho que ele está comendo uma coisa, mas na verdade é outra. Ele precisa confiar em você para querer comer o que você prepara. Além disso, como seu filho vai apreciar o sabor de um alimento e aprender a diferenciar as comidas, se ele come uma coisa pensando que é outra? Não dá certo.

Pub