Obrigar as crianças a comer. Certo ou errado?

Conheça a opinião de um especialista na matéria, o pediatra Carlos Gonzáles e tire suas conclusões!

0
3046

Quando temos filhos é impossível não nos perguntarmos como os devemos educar. Queremos lhes proporcionar o melhor, sem dúvida! Mas o que é o melhor?

Para dar sua opinião sobre estes e outros assuntos, relacionados com a educação, o pediatra espanhol, Carlos Gonzáles, de 56 anos, lançou o livro “Meu Filho Não Come!”.

Em uma entrevista ao jornal “Folha”, Carlos Gonzáles, pai de três filhos, assegura que, na sua maioria, os pais têm ideias erradas acerca do que deve ser a alimentação de seus filhos.

“Todas as crianças comem o necessário, exceto se estiverem doentes”

Ele diz ainda que as crianças não devem ser obrigadas a comer, nunca! E que a ideia de que devem comer quantidades exageradas é, em parte, fruto do que foram ouvindo de profissionais em que levaram seus filhos.

Para o pediatra, os pais, através do seu exemplo, serão determinantes em criar bons hábitos alimentares, desde cedo, nas crianças.

Se tiverem em casa, principalmente alimentos saudáveis, e forem esses tipos de alimentos que os filhos os veem comendo, raramente lhe pedirão outras coisas, assim como o contrário, acontecerá.

“Há alguns que não comem verdura, mas que querem obrigar o filho. Se não come verdura é um sinal de que não é importante”.

Também em relação a comidas e bebidas light, o pediatra tem uma opinião muito particular. Para ele, não faz sentido comer light para poder comer mais… “Coma uma pequena porção, é melhor do que comer o que tem gosto ruim”, comenta.

Relacionado: Não caia nesses 5 mitos sobre alimentação na gravidez

Ainda questionado pela “Folha”, sobre o que fazer quando as crianças fazem birra para comer bobagem, responde que também neste caso, o bom senso dos pais tem de imperar, nem sempre nem nunca! Existem coisas que se podem comer todo dia e outras não. Há que saber ceder, com peso e medida!

À parte da alimentação, Carlos Gonzáles acredita também que “excesso de colo” é coisa que não existe e que o partilhar da cama com os filhos, não será nunca sinônimo de falta de independência no futuro! De jeito nenhum! A seu tempo, de forma segura e tranquila, eles se irão afastando e ficando mais autônomos.

O pediatra Carlos Gonzáles nos quis passar a ideia de que não existem verdades absolutas nem fórmulas mágicas quando o assunto é criar nossos filhos.
E você, o que achou do assunto?

Compartilhe esta dica!

Fonte: m.folha.uol.com.br