Ovário Policístico: Conheça a Síndrome que Dificulta a Gravidez

0
1702

Engravidar é o sonho da maioria das mulheres que sonha em ter um ou mais filhos, porém, muitas delas têm problemas de saúde que dificultam a gravidez e muitas vezes fazem com que as mulheres nunca consigam engravidar.

O surgimento de pequenos cistos durante o processo de ovulação é natural no funcionamento dos ovários, no entanto, se continuarem surgindo podem indicar que a mulher sofre de ovário policístico (SOP).

O que é ovário policístico?

O ovário policístico é uma alteração hormonal que ataca cerca de 7% das mulheres com idade produtiva, de acordo com uma pesquisa feita pelo Hospital das Clínicas de São Paulo, essa síndrome faz com que aconteça a interrupção da ovulação, chamada “anovulação crônica” e o aparecimento de microcistos nos ovários, fazendo com que se torne muito difícil engravidar.

Os médicos afirmam que a síndrome do ovário policístico tem relação com a resistência à insulina, pois quando o metabolismo da insulina está alterado, ele muda também a função hormonal, o que auxilia no aparecimento da síndrome.

Sintomas do ovário policístico

São muitos os sintomas da síndrome do ovário policístico, sendo que os principais são: irregularidade menstrual, algumas mulheres podem ficar até seis meses sem menstruar, alteração frequente de peso, queda de cabelo, excesso de pelos no rosto, abdômen e seios, surgimento de acne e oleosidade na pele.

Mulheres com ovário policístico têm dificuldade de engravidar

A síndrome do ovário policístico interrompe a ovulação, ou seja, torna muito difícil a mulher engravidar, mas a boa notícia é que mesmo com esse problema é possível engravidar.

O primeiro passo para tentar engravidar é a introdução de um anticoncepcional, que terá o objetivo de regular o ciclo menstrual e secar os cistos. Depois o anticoncepcional deverá ser substituído por hormônios que estimulem a ovulação.

Para as mulheres que não querem engravidar, apenas regular o funcionamento hormonal, o tratamento com anticoncepcional é o suficiente. Praticar exercícios físicos também é fundamental para perder peso e regular o ciclo.

Quando a mulher consegue engravidar, a síndrome do ovário policístico não consegue interferir no desenvolvimento da gravidez. A gestação evolui normalmente sem nenhum risco, porém engravidar não resolve o problema, por isso, após o nascimento do bebê é indicado que a mulher volte a fazer o tratamento.

Exame para detectar o ovário policístico

Diagnosticar a síndrome do ovário policístico não é difícil. Em exames de rotina que avaliam os níveis de hormônios, as alterações podem ser encontradas, e com um exame de ultrassom é possível ver se tem uma quantidade de cistos acima do limite aceitável, que são 12 cistos.

Portanto, se sofre com a síndrome do ovário policístico, e quer engravidar, procure o médico e faça o tratamento.