Mulher tem parada cardíaca e só é reanimada depois do parto

Já conhece a história do nascimento desse bebê? Mãe e filha correram perigo de vida!

Ad

Primeiro que tudo vamos ao que importa! Essa é uma história incrível e com um final feliz. Michele e Maisa, mãe e filha, estão vivas e de boa saúde. Mas não sem antes passarem por provações e sustos que fizeram dos primeiros instantes de vida dessa bebê uma autêntica aventura. Conheça essa história inacreditável!

Michele Santiago dá à luz após parada cardíaca

A história do nascimento de Maisa Santiago parece enredo de filme, mas é a pura realidade. Mãe e filha podem se orgulhar de terem sobrevivido a um parto muito perigoso, durante o qual ambas poderiam ter morrido. Mesmo antes de dar início ao parto Michele teve uma parada cardíaca. A solução encontrada pelos médicos foi prosseguir com o procedimento, de forma a não comprometer a saúde da criança.

A parada cardíaca de Michele foi a consequência de uma pré-eclampsia grave.

Esse é um cenário muito improvável! De acordo com as estatística acontece uma vez em 30 mil nascimentos. Sabe quanto tempo Michele ficou sem dar sinais de vida? Durante 10 minutos, segundo a equipe médica. Porém, quase que por milagre, depois de sua filha nascer, seu ritmo cardíaco foi retomado.

Parada cardíaca mesmo antes do parto

A parada cardíaca de Michele foi a consequência de uma pré-eclâmpsia grave. O fato da pressão arterial da jovem mãe ter aumentado bruscamente fez com que o coração dela parasse de bater momentos antes de dar à luz.

Ad

Relacionado: Pré-eclampsia: conheça as causas, sintomas e saiba como tratar

Lutando conta o tempo

Uma situação assim tão inesperada exige uma resposta urgente por parte da equipa médica, que optou por adotar uma estratégia inspirada em situações de guerra. Os profissionais liderados pelo obstetra Gláucius Nascimento deram então início a uma cesariana de emergência, numa tentativa de salvar as vidas de mãe e filha.

No momento em que nasceu, a bebê não tinha sinais vitais, acabando por reagir positivamente à ventilação por oxigênio. A recuperação foi rápida e deixou a equipe médica bastante motivada. Com a menina em segurança, a prioridade foi tentar salvar a mãe. A recuperar vagarosamente seu ritmo cardíaco, Michele foi submetida a uma terapia de choque, a cardioversão. Foi então que retomou seu ritmo normal, deixando todo mundo mais tranquilo.

Uma história que não acontece sempre

Na perspetiva de Helaine Rosenthal, coordenadora do estabelecimento hospitalar, esse é mesmo “um fato raro”. Uma história que comprova o quanto é importante acreditar e não desistir.

Ad

Curtiu essa história inspiradora? Assista ao vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=WqZ_nNbV_E0

Compartilhe essa história!

AD