Saiba tudo sobre parto humanizado

É importante respeitar sempre as decisões da mulher

0
4659

Uma das principais coisas que os adeptos do parto humanizado defendem é que a diferença marcante dessa forma de dar à luz são os procedimentos. Segundo eles, na maioria das vezes, as gestantes passam por procedimentos não necessários como indução de parto, corte do períneo, uso de anestesia, raspagem de pelos ou cesarianas.

“O parto humanizado não é apenas um outro tipo de parto…”

A apresentadora Bela Gil é um exemplo de mulher que decidiu não seguir as habituais decisões na hora de dar à luz a sua filha. De acordo com ela, “o parto humanizado não é apenas um outro tipo de parto, mas sim um processo que questiona toda a industrialização e a padronização de partos que são impostos à maioria das mulheres”.

O questionamento do parto humanizado é o direito que as mulheres têm de decidir o que querem fazer na hora de ter um bebê. É importante que elas tenham todos os seus instintos e desejos realizados, o que não acontece nos hospitais, em outros tipos de partos. Existem relatos de mulheres que desejavam realizar um parto natural e que, por influência médica, familiar, ou da sociedade, desistiram dessa vontade para não serem julgadas pelas suas escolhas.

Segundo Gil, quando a mulher entende que o parto faz parte da natureza humana e do amadurecimento do ser humano, ela é capaz de saber o que é melhor para ela. Lembrando que sempre é importante ter informações. Se você é gestante e está em dúvida de qual é o melhor tipo de parto, reúna todas as informações possíveis relacionadas a cada um deles e, depois de aprender os detalhes de cada um, decida qual tipo de parto é melhor para você.

Atualmente, a Organização Mundial de Saúde vem dando forças para que as mulheres optem pelo parto normal, já que o Brasil é um dos países com maior índice de cesarianas. Na rede privada, esse número chega a quase 90% das mulheres.

Qual a sua opinião a respeito do parto humanizado? Assista ao vídeo da entrevista com a Bela Gil sobre o assunto e nos conte o que você pensa, através dos comentários.

Achou interessante? Compartilhe!