Número de partos por cesárea não aumentou em 2016

Levantamento do Ministério da Saúde comprova que a tendência para o aumento de cesarianas começa a ser invertida. Confira as estatísticas!

0
1003

Entre 2015 e 2016 o número de cesáreas no Sistema Único de Saúde (SUS) não aumentou. Esses dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde.

O número de partos por cesárea não registrou crescimento

2015

É a primeira vez que isso se registra desde 2010, no Brasil. Porém, em 2015 a taxa de partos por cesariana baixou 1,5 pontos percentuais. Isso quer dizer que, dos partos realizados nesse ano, 55,5% foram cesáreas. Se tivermos em consideração apenas os partos ocorridos na rede pública, verificamos ainda que o número de partos normais foi superior ao de cesáreas: 59,8%.

2016

Em 2016 a tendência para a estabilização dos números foi mantida. O índice avançado por esse levantamento do Ministério da Saúde corresponde exatamente aos mesmos 55,5% do ano anterior.

O governo encara esse fato com muito positivismo, e assume o compromisso em fazer decrescer o número de intervenções desnecessárias.

De acordo com esse órgão, procedimentos como a episiotomia, o uso de oxitocina, a cirurgia cesariana e a aspiração naso-faringiana do bebê só deverão seguir avante caso sejam estritamente necessários. O que ainda não se verifica em grande parte das unidades de saúde brasileiras.

Plano de parto para o parto natural

Para que os números da cirurgia continuem baixando, o Governo Federal implementou uma série de diretrizes de assistência ao parto, que pretendem reger os comportamentos das gestantes e dos profissionais de saúde. Essas medidas asseguram que o plano de parto pode e deve ser definido pela mulher. Nele constarão informações como o método escolhido, o local onde está previsto realizar-se bem como outras diretrizes que permitam facilitar o procedimento, tornando-o numa situação menos traumática.

Relacionado: Mulheres têm a última palavra sobre o parto

Essa matéria é do seu interesse? Compartilhe!