Engravidou? Está na hora de perder o medo do parto

O nervosismo é até um sentimento natural, mas pode prejudicar as futuras mamães na hora do parto

0
1872
Pregnant woman holding a sonogram

Algumas mulheres realmente não possuem o desejo de ser mãe. Enquanto outras sonham com esse momento, mas entram em pânico só de pensar na hora do parto.

Dor extrema, sofrimento, choro, complicações cirúrgicas e muitos outros fantasmas assombram essas mulheres quando a ideia é o parto normal. Se somarmos o medo próprio aos relatos de outras mulheres que tiveram partos traumáticos, pronto! Essas mulheres podem até desistir de serem mães.

A verdade é que esse sentimento negativo pode causar efeitos ainda mais negativos que geralmente se estendem até o período pós-parto.

Mulheres que sentem pânicos relacionados ao parto têm mais tendências a desenvolver depressão pós-parto.

De acordo com Karina Zulli, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, em alguns casos a ansiedade da mãe deixa de ser natural e passa a ser uma doença emocional. Em alguns casos elas precisam até mesmo de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

A melhor maneira de conseguir fugir desses males é buscando informações e aprendendo o máximo possível sobre cada tipo de parto e cada tipo de alternativa que se pode recorrer caso hajam dificuldades.

A dica aqui é conversar sempre com seu médico durante toda a gestação, tirando todas as dúvidas que possam surgir para manter a cabeça tranquila. É importante lembrar que tudo que acontece com a mãe, acontece também com o bebê.

Por isso, leia bastante sobre o assunto, converse com outras mães, procure pessoas que passaram por tipos de partos diferentes. Tenha em mente que a experiência vivida varia de mulher para mulher e sempre questione seu médico sobre a veracidade das coisas que lhe contam.

Relacionado: 10 inseguranças que passam pela cabeça da mulher durante a gestação

Tenho medo quando penso na dor:

Não dá para negar que sentir dor é um dos maiores medos do ser humano. Mas a dor faz parte do processo, caso você tenha optado pelo parto normal.

Não existe forma de evitá-la por completo, mas existem maneiras de amenizá-la em todos os tipos de parto. Exercícios de relaxamento, massagem, técnicas de respiração e analgésicos são algumas dessas maneiras.

De acordo com a doula Eleonora de Moraes, a posição de jogar o tronco para frente e os quadris para trás, alivia a dor e favorece a saída do bebê.

Tenho medo quando penso na anestesia:

Existem três tipos de anestesia para aliviar as dores do parto. A Raquianestesia é aplicada na região da medula e tira o movimento das pernas por algum tempo; a Peridural é mais utilizada em partos normais e não cessa os movimentos da gestante; no Bloqueio Duplo uma injeção peridural é aplicada a um cateter ligado ao corpo da mulher.

Esse último tipo de anestesia retira a dor da mulher instantaneamente, mas não elimina a sensibilidade do corpo. De acordo com Karina Zulli, as anestesias dos dias de hoje são procedimentos muito mais seguros que antes.

Segundo a médica, essas anestesias não oferecem mais riscos à mãe e nem ao bebê.

Tenho medo que meu bebê passe por complicações:

É nesse sentido que a Dra. Karina afirma que as mães sentem mais medo. Algumas entram em pânico só de pensar que podem haver complicações cirúrgicas ou alguma complicação na saúde do bebê.

Por isso a presença do médico que acompanhou a gestante durante a gravidez é tão essencial na hora do parto. Caso eles mesmos não sejam os cirurgiões, sua presença pode acalmar a gestante, já que eles acompanharam todos os seus momentos importantes antes da cirurgia.

Além disso, se você seguir todas as orientações médicas e realizar todos os exames, vai saber exatamente a situação do bebê dentro da barriga. Assim terá certeza da sua saúde, da saúde dele e de tudo que pode ou não pode ocorrer na hora mais esperada da sua gravidez!

Gostou dessas dicas? Então a ideia é manter a calma, buscar o máximo de informações e aproveitar ao máximo a hora do parto.

Deixe sua opinião nos comentários e lembre-se de compartilhar esse artigo com suas amigas.