O perigo do som alto para os bebês

Poluição sonora é responsável por uma perda de audição acumulativa e irreversível

0
2627

A audição é um dos sistemas mais sensíveis do nosso organismo. Daí que origine tanto interesse junto da comunidade científica. Aliás, muitos estudos recentes até têm desenvolvido exames específicos, incluindo para as gestantes.

Afinal, não podemos esquecer que, durante a gravidez, cada barulho é fisicamente conduzido para os bebês, ainda que a sua audição esteja resguardada pela barriga das gestantes.

Além disso, a partir da 20ª semana de gravidez, o bebê já reage aos sons, alterando a frequência dos seus batimentos cardíacos. De resto, alguns estudos têm comprovado que o feto é capaz de diferenciar sons e a sua altura e intensidade. Sem esquecer que ele também consegue desenvolver uma memória auditiva.

“Os ruídos entre 60 a 80 decibéis estressam o feto e, quando são acima de 80 decibéis, até são nocivos”

Quais são os efeitos do ruído para o feto?

Algumas investigações já chegaram a uma conclusão que interessa a todas as mamães: os ruídos entre 60 a 80 decibéis estressam o feto e, quando são acima de 80 decibéis, até são nocivos.

Por exemplo, investigações recentemente divulgadas pelo Institute of Environmental Medicine (IMM) informaram que a poluição sonora no decorrer da gestação pode danificar a audição do bebê, havendo uma subida de 80% de risco em espaços com decibéis elevados.

Destacamos ainda os dados curiosos de uma investigação conduzida pelo Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar da Suécia que envolveu mais de 1.4 milhões de bebês nascidos entre 1986 e 2008. Nesse estudo, a exposição à poluição sonora no decorrer da gestação foi dividida em 3 categorias: baixa (inferior a 75 decibéis), média (entre 75 e 84 decibéis) e elevada (mais de 85 decibéis).

Os bebês das gestantes expostas a ambientes com um volume elevado tiveram um risco de disfunção auditiva 80% superior aos filhos das mulheres que ficaram em ambientes com uma exposição baixa. As grávidas expostas parcialmente a ruídos elevados sofreram um aumento de 25% do risco – um dado que os investigadores não consideraram relevante em termos estatísticos.

As mamães expostas a um nível médio não sofreram um aumento evidente. No entanto, houve o registro de uma hipótese de maior risco nos diagnósticos de disfunção auditiva.

Ou seja, o estudo concluiu que a exposição a um ruído ocupacional a um grau igual ou acima de 85 decibéis – e durante 8 horas por dia – pode causar o nascimento de bebês com pouco peso e até uma interrupção involuntária da gravidez. Daí que até haja a hipótese de a exposição a elevados níveis de ruído causar infertilidade.

Mesmo após nascer, a criança pode sofrer sérios danos provocados pela poluição sonora. Além do desgaste acumulativo e irreversível da sua audição, os pequenos podem se sentir desconfortáveis e até tornarem-se agressivos. Também é frequente a associação entre a exposição ao ruído e o aparecimento de náuseas e enxaquecas.

Como proteger o ouvido dos bebês na barriga?

As gestantes têm de evitar níveis de som acima de 80 decibéis. Se não houver outro jeito, frequente moderadamente os espaços com um som elevado, em especial a partir do 3º trimestre de gestação.

Depois do nascimento, os médicos fazem o teste da orelhinha, um exame gratuito que analisa a capacidade de audição do bebê a partir de sons e sensores. Além de não ser incômodo para a criança, esse teste ajuda no diagnóstico de alguma deficiência, o que suaviza possíveis sequelas.

Mesmo após esse teste, os cuidados devem continuar: os bebês não podem ficar expostos a sons muito elevados, nem frequentar espaços com poluição sonora. É o caso dos estádios de futebol ou shows. Se não der mesmo para impedir a presença dos seus filhos nesse tipo de lugares, opte por colocar um protetor auricular nos seus ouvidinhos.

Dentro de casa, é recomendável que o televisor e o rádio estejam sempre com volumes agradáveis. Evite ainda ligar diferentes aparelhos ruidosos simultaneamente, como o aspirador, o micro-ondas…

No carro, a regra é escutar o rádio o mais baixo possível. As janelas devem estar fechadas para diminuir o impacto do barulho do trânsito.

É essencial prestar atenção aos brinquedos: como muitos são sonoros, é necessário verificar se existe alguma garantia de que o grau de ruído não ultrapassa os 80 decibéis.

Relacionado: 14 dicas de como cuidar de um recém-nascido, com passo a passo

Assista a esse vídeo para saber mais sobre poluição sonora:

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe!