Se o primeiro filho foi prematuro, o segundo também pode ser?

0
2582
Se o primeiro filho foi prematuro o segundo também pode ser
Crédito: Freepik

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, cerca de 10% dos partos no Brasil ocorrem prematuramente. É importante observar que para a estatística oficial, prematuro é o bebê que nasce com até 37 semanas de gestação. Muitas mulheres ficam preocupadas, achando que, se o primeiro filho foi prematuro, o segundo também vai ser.

Para muitas famílias, ter um filho prematuro é causa de medo e apreensão, mas não deve ser visto dessa forma, pois cada um tem sua jornada e as coisas são exatamente como devem ser.

A prematuridade do primeiro parto pode se repetir no segundo?

A prematuridade do primeiro parto pode se repetir no segundo
Crédito: Freepik

De acordo com um estudo publicado na revista científica Obstetrics & Gynecology, “as mulheres que dão à luz seu primeiro bebê com menos de 37 semanas de gestação têm probabilidade de 3 a 7 vezes maior de entregar o segundo bebê prematuro”. Para eles, é uma obrigação do obstetra informar essa possibilidade para os pais, a fim de evitarem os fatores de risco, quando possível.

Porém, para o médico neonatologista do Hostpital São Luiz, em São Paulo, Sérgio Ayres, a coisa não é bem assim. Vai depender muito dos fatores que levaram ao parto prematuro da gravidez anterior. Muitas podem ser as causas e elas podem variar entre as gestações, ocorrendo ou não nas seguintes.

Alguns exemplos citados pelo médico foram o aumento da pressão arterial e incontinência urinária – que pode ser evitada apenas com exercícios físicos, como o de Kegel. Há também outras razões, mas são muitas especificidades do organismo e do meio da gestante, não podendo-se generalizar. O fundamental, segundo Ayres, é entender o que aconteceu na anterior e se precaver na seguinte.

Então de nada adianta ficar alarmada ou preocupada em excesso. O que deve ser feito é um acompanhamento médico, antes mesmo de engravidar, preparando o corpo para uma próxima gravidez mais tranquila. Veja algumas dicas para reduzir as chances de um segundo parto prematuro.

1. Dê um tempo

Deixe seu corpo se recuperar totalmente do primeiro filho e, se for da sua vontade, prepare-o com calma para a segunda gestação. Vocês terão uma vida inteira para desfrutar os momentos com seus bebês, então paciência.

O ideal é aguardar ao menos um ano e meio antes de engravidar novamente, sendo o tempo em que o seu corpo se fortalece. Nesse meio tempo, uma excelente alimentação, muita atividade física, incluindo os exercícios de Kegel e pompoarismo e, é claro, muito treino.

2. Não se pressione

Controlar a pressão arterial é fundamental para que a segunda gravidez possa transcorrer com tranquilidade. Então faça da alimentação pobre em sódio, sua rotina alimentar, um estilo de vida e não uma dieta temporária. Capriche nos alimentos ricos em potássio e, claro, faça o devido acompanhamento médico.

Outro ponto a ter cuidado é a pressão sobre você, de deixar o corpo e vida perfeitos. Lembre que não há perfeição, há dias em que se pisa na casca da banana e tudo bem! Procure adotar um estilo de vida saudável e tudo vai fluir mais facilmente.

3. Cuidado com infecções

Sabe aquela festa cheia de gente diferente, em um espaço pequeno, com um monte de fumaça, espirros ou tosse? Passe longe. Adotar uma rotina saudável inclui deixar para trás alguns hábitos antigos e que não vão te ajudar nesse momento. Para deixar seu corpo livre de infecções, fique longe delas, lembrando sempre de lavar bem as mãos ao chegar em casa e as outras regrinhas básicas de higiene.

Outra fonte de infecções, que infelizmente é mais comum do que você imagina, é a relação sexual, mesmo que com o mesmo parceiro em uma relação monogâmica, sem infidelidade. O corpo da mulher e do homem possui diversos agentes infecciosos que podem ser passados pelo sexo, o que torna realmente interessante o uso de preservativos, nessa fase.

Ao menor sintoma de ardor, queimação ou dor ao urinar, seu ginecologista deve ser informado, para que seja realizado o tratamento o mais rápido possível, eliminando qualquer possibilidade de alguma bactéria encubada resolva aparecer durante a gestação.

4. Reveja hábitos e vícios

Se você ainda fuma, saiba que é um veneno não somente para você, mas também para seu bebê, que pode nascer inclusive com malformação, por causa da quantidade de venenos encontrados no cigarro. Então nem é um ponto de discussão. Seja mais forte do que o vício, pela sua saúde e do bebê.

O mesmo se aplica ao álcool, que não é aceito na gestação nem mesmo socialmente. Uma pequena dose de bebida corre em seu sangue e vai direto para a placenta e posteriormente para o corpo do seu bebê, com todo o organismo em formação. Nem se precisa citar as drogas ilegais e alucinógenas, não é?

Quer ver outro vício terrível? Açúcar. Isso mesmo, aquela vontade de um docinho depois do almoço nada mais é do que o vício, depois de anos de treinamento. Para ter uma vida saudável, você tem que manter seu nível glicêmico sob controle. Mas isso não quer dizer que vai banir alimentos doces da sua vida. Invista em docinhos saudáveis, como um delicioso brigadeiro de mandioca ou aquele pão de mel integral.

5. Prepare-se para o parto

É um momento tenso, que pode envolver riscos, mas se executado corretamente, trará sua recompensa ao final. Então, se prepare, cuide de você, do seu corpo e mente e aproveite a jornada!

No segundo filho, você já sabe quais são os sinais de alerta que seu corpo te passa quando alguma coisa está errada, então fique atenta, sem pressão. Deixe, em todo caso, sempre uma malinha pré-arrumada, caso o bebê não seja tão paciente e queira chegar logo. Tenha o contato do seu obstetra sempre acessível, caso precise tirar dúvidas.

Agora o mais importante, não pense nas probabilidades, apenas faça o seu melhor para estar saudável e forte, preparando-se para mais uma grande jornada.