Prisão de ventre em bebês até 1 ano: quais os sintomas e como aliviar?

Descubra tudo o que você precisa saber sobre um quadro de constipação em crianças até 1 ano de idade, incluindo as suas principais causas

0
2406

Não há uma regra definida relativamente à frequência da evacuação em bebês.

É necessário analisar bem a criança para saber o que é regular no seu filho: afinal, cada um conta com um ritmo próprio.

Como ter certeza de que o seu bebê sofre de prisão de ventre?

Antes de mais, saiba que toda criança deve fazer força para evacuar, inclusive quando o cocô é líquido ou pastoso.

Por esse motivo, é normal que o bebê faça algumas caretas no momento da defecação.

Saiba ainda que é mais relevante avaliar o aspecto do cocô (que não pode ser duro e seco) e o desconforto da criança do que contar quantos dias o bebê ficou sem evacuar.

A prisão de ventre é um problema raro em recém-nascidos, principalmente naqueles que estão no período da amamentação no seio.

Normalmente, as fezes desses bebês são pastosas ou praticamente líquidas, com um tom amarelo e com grumos reduzidos que se assemelham a um gergelim.

Se o cocô do recém-nascido tiver o aspecto de uma pequena bola, é possível que a criança esteja sofrendo de prisão de ventre.

De resto, durante a amamentação no seio, as crianças fazem a evacuação diversas vezes ao longo de um dia no decorrer das primeiras semanas.

Após essa fase, os bebês podem evacuar menos.

As crianças que ingerem fórmulas lácteas têm tendência para defecar uma única vez em 24 horas com uma forte consistência. No entanto, também é normal evacuar uma vez de 3 em 3 ou de 4 em 4 dias, desde que o cocô não seja demasiado duro, saindo em pequenos bocadinhos, e desde que a criança se mantenha tranquila e confortável.

Geralmente, os bebês começam tendo prisão de ventre ao ingerir outros ingredientes.

Eis os sintomas desse problema:

  • Irritabilidade
  • Dores no abdômen
  • Incômodo gástrico
  • Abdômen duro, estufado e repleto de gases
  • Dor de barriga, que melhora após a evacuação
  • Sangue no cocô
  • Fezes duras, em bolinhas
  • Em certos casos, fezes praticamente líquidas, frequentes e em pequenas quantidades

Conheça 5 causas da prisão de ventre

1. Fórmula

É provável que alguns produtos em pó prendam o intestino das crianças.

Tudo depende da sensibilidade de cada bebê.

Além de se consultar com o pediatra para alterar a fórmula utilizada, você também pode confirmar se está fazendo corretamente essa fórmula: por exemplo, uma fórmula bastante concentrada pode estar na origem do problema.

“Confirme sempre se a criança está bebendo líquidos suficientes”

2. Falta de hidratação

Confirme sempre se a criança está bebendo líquidos suficientes.

Caso você esteja dando de mamar, eleve o seu consumo de líquidos, sempre confirmando se há suficiente produção de leite e se a criança está mamando corretamente.

Lembramos que um bebê em período de amamentação apenas sofre de prisão de ventre, caso as fezes estejam duras e ressecadas – uma situação bastante incomum.

Se a criança estiver tomando fórmula, deve beber água entre uma e outra mamada.

Se os bebês já ingerem outros ingredientes, é melhor dar água e sucos no decorrer do dia.

3. Novos ingredientes

Sempre que a criança começa ingerindo novos alimentos, é provável que o intestino funcione de uma forma mais demorada.

Um dos grandes vilões é o mingau de arroz, que não só prende o intestino, mas também conta com uma baixa quantidade de fibra.

Consulte um pediatra para ir introduzindo os ingredientes que têm mais fibras no cardápio do bebê.

4. Auto-obstipação

Quando cresce, o bebê pode ir segurando as fezes, porque relaciona a defecação com dor – afinal, é provável que a evacuação tenha sido dolorosa uma vez.

Fale com o pediatra para seguir uma estratégia que ajude o bebê a deixar de associar a evacuação com a dor. Por exemplo, esse especialista pode indicar um laxante leve ou um regime alimentar laxativo.

5. Patologia ou problema congênito

Essas causas são mais raras e devem ser devidamente analisadas pelo pediatra.

Relacionado: Prisão de ventre no bebê: conheça estratégias para ajudar o pequeno

Descubra mais 4 meios de aliviar a prisão de ventre

Antes de seguir qualquer sugestão, consulte o pediatra.

Eis algumas dicas:

1. Exercícios

Para as crianças menores, é necessário fazer um movimento de bicicleta nas pernas.

Caso o bebê já esteja engatinhando, ponha-o no chão durante muito tempo no decorrer do dia.

2. Massagens

Faça massagens na barriga do bebê.

Realize uma pressão firme 3 dedos debaixo do umbigo ao longo de 3 minutos.

3. Mexidas na alimentação

Troque o cereal de arroz por outro. É o caso do cereal de aveia.

Você também pode dar um cereal mesclado com frutas que acabam soltando o intestino, como o mamão papaia.

Opte por verduras e frutas que soltem o intestino e diminua a presença da maçã e da banana no cardápio.

4. O truque da ameixa

Coloque uma ameixa preta de molho num recipiente com água ao longo da noite.

De seguida, dê essa água à criança ou você ainda pode mexer a fruta juntamente com suco.

Nunca se esqueça de que os bebês não devem ingerir mel.

Supositório ou laxante são boas alternativas?

O pediatra pode indicar um laxante natural ou um supositório de glicerina.

Lembre-se sempre: o supositório tem de ser utilizado somente para casos de emergência tal como o estímulo do ânus. O bebê tem se habituar a evacuar sem qualquer tipo de apoio externo. Consulte sempre um pediatra antes de iniciar qualquer tratamento.

Conheça outros meios para aliviar um quadro de prisão de ventre, assistindo a esse vídeo:

Compartilhe esse artigo com outras mamães!