Romana conta que trombose na placenta foi causada por Covid-19

A trombose levou ao parto prematuro de Raika, aos 7 meses, e trouxe momentos de aflição aos pais

Crédito: Instagram @romananovais
ADs

Em dezembro de 2020 veio ao mundo a pequena Raika, filha de Alok e Romana Novais. Apesar de ter dado tudo certo, Raika nasceu prematura, pois sua mãe sofreu uma trombose na placenta, desencadeada pela ação da Covid em seu corpo.

Em um bate-papo com Thaís Fersoza, que foi publicado no canal da atriz no YouTube, Romana contou mais detalhes sobre como 2020 foi um ano cheio de desafios para a família, que tinha acabado de receber o primeiro filho, Ravi, em janeiro, e em dezembro a Raika chegou também, em meio a uma situação bastante preocupante.

Romana contou que ambos os partos foram normais, e ela queria assim. Mas, no da Raika tudo aconteceu de repente, quando ela estava fazendo exames e começou a sangrar.

“O da Raika foi um pouco diferente, porque não foi como eu esperava, mas foi um parto, posso dizer, que dos sonhos, porque no final tivemos um final feliz, então não posso reclamar de nada, só tenho a agradecer. Até me emociono ainda quando eu falo”, disse a médica.

ADs

Dias antes do nascimento da filha, Romana começou a apresentar sintomas de Covid-19. Ela estava no sétimo mês de gestação, e estava tudo indo muito bem, até começar a sentir dores de cabeça, febre e dores pelo corpo. O mais preocupante foram as dores abdominais.

“Tinha certeza que a Raika ia nascer de parto prematuro, porque eu sentia muita dor na barriga, parecia muito contração de parto. Eu não estava em trabalho de parto ainda, mas era uma contração que estava encaminhando para o parto acontecer”, contou.

Preocupada, Romana foi fazer exames para saber se estava tudo bem com a filha. Foi assim que descobriu a trombose na placenta, causada pela Covid. A trombose deixou o ambiente do útero desconfortável para a bebê, e foi quando o parto prematuro aconteceu.

“Apesar de optar sempre pelo parto normal, no caso da Raika foi normal porque precisava ser. Se a gente fosse optar por uma cesárea naquele momento talvez complicaria muito mais o quadro, o meu e o dela. O parto cesáreo a gente sabe que sangra um pouco mais, então eu já estava numa situação em que eu estava sangrando bastante, não seria legal se eu estivesse sangrando mais. O importante é que a gente tentasse cessar esse sangramento o quanto antes”, disse.

ADs

Quer assistir ao bate-papo completo entre Romana e Thaís? Confira no vídeo abaixo:

As gestantes e o Coronavírus

Em tempos de Coronavírus, as gestantes e as puérperas devem ter cuidado redobrado, pois se contraírem a doença, o risco de terem complicações é maior devido à fragilidade em que o organismo se encontra.

Não significa que toda gestante que contrair Covid-19 vai ter um parto prematuro, mas o risco aumenta. Além disso, aumenta também o risco de precisarem ser internadas na UTI para receber ventilação mecânica. Então, todo cuidado é necessário, tanto pela saúde da mãe quanto do bebê.

Pub