Caso de ruptura uterina em gestante termina bem

Ruptura uterina
Publicidade

Emocionante e dramático, esse caso repercutiu nas redes sociais estimulando a discussão sobre um risco que poucas gestantes conhecem: a ruptura uterina.

Conheça o caso

Uma gestante francesa de 33 anos foi fazer a ultrassonografia de rotina e se deparou com uma realidade assustadora na sua 22ª semana de gestação: as penas do seu bebê estavam fora do útero.

De acordo com o Dr. Pierre Bouet, do Hospital Universitário D’Angers, havia ocorrido a ruptura uterina e parte do corpo do feto encontrava-se na cavidade abdominal.

Esse caso é descrito em um artigo da revista especializada The New England Journal of Medicine, explicando que a mãe não sentiu incômodo ou dor, confirmando a importância do acompanhamento pré-natal.

Publicidade

Acompanhamento do caso

Como a gravidez ainda era bem recente, foi escolhida a opção de apenas monitorar e dar suporte para que o bebê pudesse continuar se desenvolvendo no útero da mãe.

O pré-natal é muito importante, para detectar qualquer problema com a mãe e o bebê!

Essa foi uma decisão difícil, pois haviam diversos riscos durante a gravidez, pois poderia aumentar a ruptura, desenvolver placenta acreta, histerectomia e até um parto prematuro.

Progresso

Na primeira ultrassonografia, quando tinha 22 semanas, foi detectada uma ruptura uterina de 2,5 cm, sendo que haviam saído do útero e se alojado na cavidade abdominal, 19 cm de saco amniótico.

Publicidade

Já no ultrassom seguinte, na 30ª semana, o médico notou um aumento da ruptura para 5 cm e dessa vez, além das pernas, todo o abdômen do bebê estavam para fora do útero.

Foi então marcado o parto cesariano de emergência.

Antecipação do parto

Nenhuma mãe quer ver seu filho nascendo antes da hora, até mesmo pelos riscos envolvidos, mas esse era um caso mais que necessário.

Publicidade

O parto transcorreu com tranquilidade e o bebê nasceu com 1,3 kg, a mamãe teve uma recuperação excelente e o ele também. Com apenas 5 dias, ela já estava em casa.

Causas e riscos da ruptura uterina

Toda gravidez, por mais que seja um período mágico, envolve certo risco, e a ruptura uterina é um deles, mesmo sendo pequeno (acontece em apenas 0,1% das gestações).

Conheça algumas causas:

  • Antigas cicatrizes ou traumas no útero
  • Útero com má formação
  • Doenças que atingem o útero
  • Alimentação inadequada, levando à desnutrição
  • Aumento considerável do líquido amniótico
  • Tumores uterinos
  • Abortos prévios mal realizados

Os principais riscos para a mamãe e para o bebê são:

  • Útero rompendo por completo
  • Hemorragia
  • Perda do útero
  • Parto antes da data prevista
  • Placenta acreta
  • Sofrimento do feto, com risco de falta de oxigênio

É um assunto que realmente não agrada, mas absolutamente necessário que se discuta cada vez mais para que mais mamães compreendam a importância de se realizar o exame pré-natal, garantindo mais saúde e segurança para elas e seus bebês.

Publicidade

Relacionado: Cuidado com o colo do útero curto durante a gravidez

E você, acha o pré-natal importante? Chegou a fazer? Qual era a frequência das visitas? Compartilhe seu conhecimento com as outras mamães e vamos cultivar juntas uma maternidade mais consciente. Compartilhe!