Síndrome alcoólica fetal: entenda os efeitos

O consumo de álcool na gestação é vetado por importantes motivos

0
1012

A recomendação para que mulheres grávidas não consumam bebidas alcoólicas é fundamentada nos múltiplos riscos que a substância causa para o desenvolvimento fetal.

Os riscos associados ao consumo de álcool para o feto vão do aborto prematuro até a Síndrome Alcoólica Fetal

A síndrome é considerada o principal fator de risco para anomalias congênitas não hereditárias e, também, para o retardo mental. A estimativa é de que a síndrome atinja até dois bebês para cada grupo de mil nascidos vivos.

Conheça os demais efeitos da Síndrome Alcoólica Fetal:

1. Limitação do crescimento;

2. Dificuldade de aprendizado;

3. Problemas de comportamento;

4. Deformidades no crânio;

5. Problemas coronarianos.

Um estudo conduzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria que observou 2 mil mulheres, apontou que 33% consumiu álcool durante a gravidez. Isso comprova que o consumo de álcool durante a gravidez é elevado.

A pesquisa apontou, ainda, que em 71% dos casos, a gravidez não foi planejada e isso aponta que o desconhecimento sobre a gravidez impedisse a paralisação do hábito de beber.

Relacionado: As mulheres bebem enquanto tentam engravidar, diz estudo!

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria