Staphylococcus aureus: o que são, sintomas e prevenção

0
1905
staphylococcus aureus
Crédito: Freepik

Segundo o estudo publicado no Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial (JBPML), o Staphylococcus aureus é bastante comum, sendo uma bactéria gram-positiva, que podem conviver com seu hospedeiro. Ela está normalmente presente na pele e dentro do nariz, sem causar muitos problemas.

Porém, ela pode também dar origem a pequenas infecções, que é o caso de espinhas e furúnculos, ou até casos mais graves, como pneumonia e meningite, por exemplo.

Apesar de ter sido uma das primeiras bactérias a ter um antibiótico capaz de controlá-las, elas também são extremamente adaptáveis. Dão origem a evoluções muito mais resistentes, sendo elas que causam as temidas infecções hospitalares.

Isso aconteceu por causa do uso indevido ou mal ministrado de antibióticos, que eram de livre comercialização por muitos anos no país. Agora, com um maior controle e venda somente sob prescrição médica, as superbactérias tendem a reduzir a velocidade de desenvolvimento.

Para os pesquisadores, o amplo uso desses remédios tem sido uma das maiores barreiras à cura das infecções causadas pelo Staphylococcus aureus. Por isso, é fundamental seguir criteriosamente a recomendação médica.

Por causar doenças de diferentes intensidades e características, a infecção por essa bactéria pode trazer sintomas diversos e de muito rápido desenvolvimento. Então, se vir dois ou mais sintomas abaixo, procure orientação médica o quanto antes.

Sintomas da infecção por Staphylococcus aureus

staphylococcus aureus sintomas
Crédito: Freepik

De acordo com a ANVISA, essa bactéria casusa infecções agudas e podem se espalhar rapidamente para outras regiões do corpo, causando doenças graves. Porém, normalmente são casos mais simples, fáceis de tratar, por se tratar de uma bactéria relativamente comum, presente em grande parte da população.

1. Furúnculos

O furúnculo é uma infecção de pele, em geral causada por essas bactérias. É bastante comum em crianças e idosos, que têm a imunidade mais fraca do que os adultos.

Ele causa endurecimento da região, com forte vermelhidão e aquecimento do local. Em seguida aparece uma cavidade com excesso de pus, de tamanho e profundidade variados. No geral o tratamento é simples, mas se surgir perto do nariz ou ouvido, vá ao médico imediatamente, pois há ligação direta com o cérebro.

2. Infecções na pele

Essa bactéria é a responsável por inflamações na pele, com inchaço, aquecimento e vermelhidão do local, podendo ocorrer por simples lesões, como ao se barbear, ser arranhado por um gato ou cachorro, se cortar na cozinha ou colocar um brinco pela primeira vez.

Ela também pode se propagar em regiões que sofreram traumas internos, decorrentes de quedas ou acidentes, que lesionam a pele por dentro, dando espaço para que os micro-organismos se desenvolvam, dada a menor presença dos anticorpos.

3. Febre alta

Um dos principais sintomas que devem servir como principal alerta de que algo não está bem com o seu organismo é a febre alta e persistente. As infecções causadas pela Staphylococcus aureus são marcadas por esse tipo de febre.

Ela pode ser causada por infecção alimentar, meningite, pneumonia e muitas outras doenças decorrentes da contaminação pela bactéria, sendo assim fundamental que a pessoa seja encaminhada para o hospital, a fim de averiguar se há a presença da mesma.

4. Vômito e dor no estômago

Também sintomas de infecção alimentar, como afirma a Coordenadoria de Controle de Doenças de São Paulo (CCD). Quando diagnosticada rapidamente, a infecção alimentar tem seus sintomas reduzidos após dois dias.

Mas isso não quer dizer que se deve parar o uso do antibiótico, ao contrário. Deve tomar pelo tempo prescrito para que nenhuma bactéria crie resistência ao mesmo, eliminando de vez o problema.

5. Cefaleia

Dor de cabeça constante, acompanhada de dores no corpo e mal estar são sinais de contaminação por Staphylococcus aureus, seja por contaminação alimentar ou outras patologias causadas pela bactéria.

Geralmente é uma dor de cabeça constante e muito incômoda, com picos de dor que se aliviam por algum tempo, tendendo a piorar a medida em que a infecção avança. Para resolver, não adianta analgésico, tem que procurar um médico que irá receitar o antibiótico necessário.

6. Hipotensão

A redução dos batimentos cardíacos e queda da pressão arterial também são sinais de contaminação. A pessoa fica mais pálida, com a pele fria, sentindo o corpo pesar mais do que o normal e com muito sono.

Pode inclusive ocorrer eventos de perda momentânea de consciência, tontura, fadiga e muito sono, devendo ser levado imediatamente para o médico. Isso acontece dada a falta de oxigenação no cérebro, por causa do bombeamento insuficiente de sangue para a região.

Causas

staphylococcus aureus causas
Crédito: Freepik

De acordo com um estudo publicado na Revista Brasileira de Enfermagem (REBEn), mesmo que o Staphylococcus aureus faça parte da flora, convivendo pacificamente a maior parte do tempo, alguns fatores podem causar uma infecção, desde as mais simples até casos graves.

As causas de contaminação primordiais são duas. A primeira é o rompimento da principal barreira de proteção contra ataques, que é a pele – ou seja, algum corte ou lesão na pele, que permita a entrada das bactérias.

A segunda causa é a queda da imunidade, que leva a um enfraquecimento da proteção, fazendo com que as toxinas liberadas constantemente pela bactéria possa romper a barreira e se instalar no corpo.

Há também os casos nos quais a pessoa leva a bactéria para dentro do seu corpo, através de objetos e mãos contaminados, bem como alimentos já infectados, que podem levar a uma infecção alimentar.

Prevenção

Conhecendo as causas, fica fácil encontrar formas de evitar o contágio por essas bactérias, tão comuns e, ao mesmo tempo, tão perigosas. Veja algumas dicas de prevenção.

  • Lavar muito bem as mãos antes de comer, ao chegar em casa e depois de ir ao banheiro;
  • Higienizar corretamente os alimentos antes de consumir;
  • Manter os alimentos refrigerados ou consumir imediatamente, evitando a proliferação de bactérias;
  • Não espremer espinhas, lavando sempre que possível com água e sabonete apropriado;
  • Não coçar nem tirar a casca de ferimentos ou picadas de insetos.

É fundamental também fortalecer a imunidade, então procure uma alimentação balanceada e pratique atividades físicas adequadas, mantendo hábitos saudáveis, para deixar seu corpo mais protegido dos ataques de agentes infecciosos.